Número total de visualizações de página

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Uma besta humana

Custa-me utilizar a palavra, nunca o fiz, mas só uma besta humana, como Maduro, é que recusa ajuda humanitária internacional, preferindo que o seu povo morra à míngua de alimentos e medicamentos. Diz ele que isso seria uma interferência na soberania da Venezuela, o que significa que a soberania de Maduro se concretiza na fuga, fome e morte dos compatriotas.  
E dizer que tem por cá apoiantes. Institucionais, o que é o mais grave.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

O comboio da geringonça

Notícia verdadeiramente sensacional, com direito a extensa reportagem do telejornal da manhã da estação pública de televisão: o comboio passou novamente a parar no apeadeiro da aldeia de Lapa do Lobo, localidade do concelho de Nelas! Acontecimento que teria apenas significado meramente local passou assim a ser acontecimento de relevo nacional.
Ridícula e primária esta forma canhestra de propaganda do governo, que visa contrabalançar todos os enormes problemas da ferrovia nacional: falta de investimento, comboios parados por falta de manutenção, atrasos, anulação de comboios sem pré-aviso, deixando as pessoas penduradas nas estações, mau serviço.
Mas, claro,a geringonça move-se e o governo está atento: o apeadeiro de Lapa do Lobo voltou a ter o seu comboio!

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Salário mínimo aumentado para 39,5 euros, um paraíso socialista

Multidões de homens, mulheres e crianças procuram fugir do paraíso venezuelano, tentando o refúgio nos países vizinhos. É o resultado da criminosa política de Chavez e, agora, de Maduro, uma política atentatória dos mais elementares direitos humanos, mas por cá bem apoiada pela esquerda comunista e bloquista. Os venezuelanos procuram fugir da tirania, da ditadura, da fome e da miséria, de um regime que tudo sacrifica à ideologia, mesmo à custa da fome e do assassinato dos cidadãos.
A inflação galopante provocada pelas políticas económicas do ditador socialista podem bem aferir-se pelo agora decretado aumento do salário mínimo de 5,19 MILHÕES para 180 MILHÕES de bolivares, o que em euros significa um aumento de 1, 14 EUROS para 39,5 EUROS!...
Salário mínimo de 39,5 euros, só num verdadeiro paraíso. Socialista, claro está! 

Congratulations Greece!

|20 agosto 2018| Para mim é claro que alguém da direção nacional do maior partido parlamentar, naturalmente o seu presidente, virá a terreiro durante o dia de hoje comentar o significado da mensagem amplamente difundida de Mário Centeno, presidente do Eurogrupo, na qual justa e justificadamente se regozija por a Grécia se ter libertado do jugo das condicionalidades, após 3 - três - 3 programas de resgate. E estou certo que Rui Rio não deixará de comentar essa mensagem à luz das repetidas declarações condenatórias proferidas repetidamente por um homónimo do presidente do Eurogrupo, ministro das finanças em Portugal, sobre o árduo caminho trilhado por Portugal para a recuperação conseguida de alguma da sua soberania.

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Acuidade policial


Há um ano atrás o senhor diretor da PJ assegurava que tinha descoberto, escassas horas após a tragédia de Pedrogão, a concreta árvore responsável pelo incêndio. Agora já tem debaixo de olho postes da EDP. Ainda dizem que nada funciona neste País...

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

A absolvição do SIRESP

No ano passado, o SIRESP foi apontado pelo 1º Ministro como um dos grandes responsáveis, se não o maior, pela desgraça do incêndio de Pedrógão e, em coro, toda a geringonça, governo e apoiantes,  pediam a nacionalização da empresa e culpavam a Altice pelo sucedido. 
O tempo foi passando e agora a Altice, com o acordo dessa mesma geringonça e do mesmo governo, passou  passou a ter a maioria do capital do SIRESP. 
Não podendo acreditar que mesmo um governo irresponsável como este pudesse assim premiar a Altice pelo crime de que a acusava há um ano, só pode concluir-se que o SIRESP foi mais uma desculpa rasteira utilizada por esse mesmo governo e pelo 1º ministro para fugir às suas responsabilidades.
Entretando, e agora sem falhas do SIRESP, o fogo de Monchique que durou 7 dias, foi considerado excepção pelo 1º Ministro, como se regra fosse um fogo durar 7 dias, mesmo no tempo em que tudo era culpa do SIRESP.

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Agora, em Monchique...

Ouvi ontem num canal televisivo um especialista muito especialista em fogos florestais dizer que operações de limpeza, construção de caminhos e de pontos de água na Serra de Monchique, tal como proposto por uma associação de produtores florestais, eram meros paliativos, sem importância decisiva no combate ao incêndio que lavrava há já vários dias.Como importância quase nula teriam as espumas que retardariam o fogo e que não constam das aquisições do governo. 
Ficamos então a saber que só um povoamento florestal desenhado de raiz em rigoroso e científico power-point, ignorando tudo o que existe, é que poderá salvar o país do flagelo dos fogos. 
É óptimo termos assim tão meritórios cientistas que definem estratégias contra os fogos numa situação ideal em que esses fogos, dizem eles, não existiriam.
Até lá, pois, é deixar arder, para que tudo recomece e o power-point se cumpra. Agora, em Monchique...