Número total de visualizações de página

terça-feira, 8 de março de 2016

Aníbal Cavaco Silva

Termina amanhã o mandato de Cavaco Silva como Presidente da República. Um cidadão que viu na Presidência da República uma missão e não a manifestação pública de ambição e vaidades pessoais ou a mera glória do poder. 
Conhecendo o que é o povo, por si e não por ouvir dizer, soube geralmente interpretar os seus anseios mais profundos. 
Um homem honesto, rigoroso, competente, sinceramente preocupado com o bem estar dos portugueses.
Um cidadão que,  tendo servido a política, nunca se serviu da política. 
A minha homenagem ao Presidente da República Aníbal Cavaco Silva 

24 comentários:

Bartolomeu disse...

O meu caro Amigo, Dr. Pinho Cardão, tem uma jeitaça para contar anedotas. Sente-se neste post, a sua veia de humorista a latejar.
Obrigado, fêz-me rir imenso!

João Pires da Cruz disse...

Cavaco Silva dá-me um misto de sensações. Não consigo decidir se o coloco entre as causas ou entre os sintomas de Portugal ser um país pobre.

Bartolomeu disse...

Tem razão, caro Dr. Cruz. Neste caso é difícil concluir se a causa determina o efeito ou, vice-versa.

Zuricher disse...

Dê-se tempo ao tempo. Pela sua forma de ser, discreto, mais partidário do exercício da política discreta do que da ribalta dos jornais, a presidência de Cavaco só poderá ser entendida com o passar do tempo, com os anos, com a desclassificação de arquivos vários, com o ocaso duma certa opinião publicada que lhe era irracional e visceralmente hostil e com o distanciamento que apenas o tempo permitirá. Só com o tempo iremos saber - enfim, talvez nem seja para o nosso tempo de vida - qual a influência que Cavaco realmente teve e qual a que tentou ter e não conseguiu pelas limitações próprias do cargo de Presidente.

Tenho para mim que a história lerá Cavaco Silva como um bom presidente. A seu tempo.

Carlos Sério disse...

Caro Pinho Cardão
Não vale a pena brincar com coisas sérias.

Tiro ao Alvo disse...

Caro Pinho Cardão, louvo-lhe a sua capacidade de encaixe, essa sua capacidade de aceitar ser quase desconsiderado, digamos assim, na sua própria casa. É uma virtude rara, acredite.

JM Ferreira de Almeida disse...

Durante o dia não me saiu da cabeça o velho e sábio provérbio: "atrás de mim virá quem justiça me fará"...

Paolo Hemmerich disse...

Enquanto isso, o ex-presidente do nosso Brasil, o socialista Lula da Silva, acaba de ser denunciado pelo Ministério Público de São Paulo, por crimes econômicos, lançando mais essa vergonha sobre o povo brasileiro!!! Lamentável!
Bem diferente do grande Presidente da República de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, verdadeiro homem público e exemplo de democrata!

Pinho Cardão disse...

Caro Tiro ao Alvo:
Felizmente, sou capaz de conviver com opiniões diferentes. Gostava, sim, que outros pudessem conviver bem com as minhas...

Caro Ferreira de Almeida,

Mais uma vez o meu amigo está cheio de razão. O tempo se encarregará de fazer luz sobre o tema. Mas também, e por mais luz que haja, como outro provérbio diz, pior cego é o que não quer ver...

Bartolomeu disse...

Caros Tiro ao Alvo e Pinho Cardão, parece-me que se está a escorregar no erro de confundir, desconsideração e aceitação de opiniões com outra coisa qualquer não identificada.
É obvio que cada um tem direito às suas opiniões, mas é obvio também que não poderá esperar concordância daqueles com quem as partilha, se elas não possuirem fundamento.
E a discordância é também uma opinião que não tem de ser necessáriamente uma desconsideração.
Eu, considero a pessoa do Dr. Pinho Cardão, considero-o também, amigo. Aprecio-lhe o espírito comunicativo e por vezes sarcástico como observa e avalia as situações. Mas, raramente as nossas opiniões convergem totalmente.
A ele, pode não lhe interessar uma amizade com estas características, a mim não me causa qualquer constrangimento.
No caso do ex-PR que ambos conhecemos pessoalmente, em planos e contextos diferentes, não vislumbro onde terá o insígne ex-deputado do XII governo constitucional liderado pelo Prof. Aníbal Cavaco Silva ido rebuscar os dados que lhe permitiram construir a imagem de missionário-presidente, de confidente e de quase assistente social. Acho até que o nosso ilustre Dr. talvez levado pelo ritmo esfusiante da homenagem, se deixou escorregar no último elogio, trocando a ordem dos factores. Mas, é claro, que pela minha parte, a sua opinião é totalmente respeitada, mesmo que a homenagem comportasse comparações do tipo: Ele foi Deus na Terra!

septuagenário disse...

Embora não se goste, mas fica para a História a Ponte Vasco da Gama e a Expô 98 e o CCB.
Depois vieram os imitadores, os detractores, os banqueiros nas coxas, os empreiteiros impostores e os sanguessugas.
Aguentou os maquinistas, camionistas e sindicalistas, jornalistas, regionalistas norte sul e ilhas.
Aguentou os armadores e pescadores que queriam o dinheiro e o peixe.
Aguentou os agricultores que queriam os tomates tractores e Todo-o-Terreno.
Aguentou professores sem alunos, alunos sem professores. Aguentou greves porque sim, greves porque não.
Mas que vida!

Bartolomeu disse...

Ser-se septuagenário, aumenta a responsabilidade daquilo que afirmamos, sobretudo quando somos contemporâneos dos acontecimentos e se os soubemos interpretar na sua real dimensão e enquadrar no contexto da época.

Tiro ao Alvo disse...

"Ser-se septuagenário, aumenta a responsabilidade".
Isso também deveria valer para si, a não ser que, no seu entender, sabe correctamente "interpretar, na sua real dimensão e enquadrar no contexto da época", os factos citados e que todos os outros, mesmo os septuagenários, estão errados e, assim sendo, nunca se desviar um milímetro da sua posição.

Bartolomeu disse...

Tiro ao Alvo, sei interpretar os factos corretamente, na sua real dimensão, enquadrando-os no tempo em que ocorrem.
Dou-lhe um pequeno exemplo: Neste preciso momento, no nosso país sobrevivem miserávelmente um enorme número de septuagenários e octogenários; um elevado número de crianças no limiar ou abaixo do limiar da pobreza. Vivem assim, porque o OE não dispõe de verbas para lhes proporcionar uma melhor qualidade de vida. Contudo, o mesmo OE disponibiliza verbas avultadas para manter 4 (quatro, QUATRO, espero que tenha lido bem, note, QUATRO) ex-Presidentes da República. Sabe o que a república lhes oferece?! Gabinete (aluguer, equipamentos, consumíveis, água luz e telefone), assessor, secretária, assistente, motorista, segurança, carro topo de gama com todas as despesas de manutenção, consumo e portagens inerentes. Para Cavaco Silva, o mesmo que ontem declarou perante as câmaras de televisão que iria a partir de agora aproveitar para descançar, foi recuperado um palacete em Alcântara.
É triste, Tiro ao Alvo, muto triste, que os governantes de uma nação tão pobre, com problemas sociais de uma grandeza imppossível de contabilizar, se aproveitem; sim, se APROVEITEM porque não existe na Constituição da República nenhum artigo que os obrigue a aceitar o "benefício" que lhes é oferecido, sabendo que no mesmo país e ao mesmo tempo, tantas pessoas que neles confiaram as suas vidas, e o seu voto, assim sejam relegados para uma situação de número negativo.
Compreende agora, Tiro ao Alvo, um dos motivos porque não concordo e considero anedota, as elegias e laudes que são tecidas e cantadas a tão ingratas personalidades?
Mas se achar este motivo de somenos importância, terei nenhum gosto em lhe mencionar muitos outros, tão graves, num contexto social, quanto este.

Tiro ao Alvo disse...

Obrigado caro Bartolomeu, dispenso o esforço que ia fazer para me lembrar outros motivos "graves" do mesmo género, no contexto social em que vivemos.
Além do mais, julgo que me é fácil adivinhar os exemplos que me ia dar. Ou seja, não sairíamos disto: o Bartolomeu a dizer que sabe interpretar os factos correctamente e eu, na minha, a considerar que o Bartolomeu tem uma visão sectária, e que não consegue distanciar-se o suficiente para ver a floresta. (Fique a saber que conheço mais gente assim e que, de alguns, até sou amigo).
Dito isto, não compreendo como é que o Bartolomeu vem para aqui procurar ridicularizar um post da autoria de um dos donos deste blogue, onde, legitimamente, o dr. Pinho Cardão, quis exprimir o seu apreço pelo ex-Presidente da República, não respeitando, assim me parece, este espaço de liberdade.
Convém dizer que o Blogue não é meu e que este sermão não me foi encomendado. O mesmo é dizer que o Bartolomeu pode, também legitimamente, desconsidera-lo. Não seria assim se estivéssemos a viver em certos países, mas, felizmente, estamos num país livre.

Bartolomeu disse...

Uma vez que o Tiro ao Alvo confirma a gravidade dos motivos que me dispensa de lhe apresentar, porque já os conhece, parece-me termos chegado a impasse.
Quanto às revindicações de respeito pela pessoa do Dr. Pinho Cardão que me exige, concluo que não terá entendido a referência que coloquei nom comentário anterior, relativamente a esse assunto.
Sabe, eu não confundo a rua do meio, com o meio da rua. Para mi, amizade e consideração, não implicam subserviência ou concordância forçada. Se discordo de uma opinião que é publicamente manifestada, digo-o, independentemente do respeito e da amizade que tenha pelo opinante.
Se me acusar de por vezes, no calor da contraposição me exceder nos termos que uso, penitencio-me, admito os erros e tento retratar-me dos mesmos.
Quanto ao resto, não entendo onde encontra o amigo motivos de desconsideração, isto, partindo do princípio, que para si o substantivo significa o mesmo que para mim.

Pinho Cardão disse...

Caro Bartolomeu:
Digo, repito, reafirmo que Cavaco Silva foi, de longe, o melhor Presidente da República que tivemos, desde o 25 de Abril. Como também foi o melhor 1º Ministro.
Claro que não teve o séquito de jornalistas e fazedores de opinião que outros Presidentes fizeram gravitar à sua volta. E isso nota-se na opinião publicada. Também não fez uma Fundação, muito à custa de dinheiros públicos, que o promovesse após as funções oficiais. E que aluga ao Estado, recebendo uma renda pela ocupação como gabinete de ex-Presidente. Cavaco Silva é um homem íntegro e honesto e não se serviu da política, antes a serviu para bem dos portugueses.
Por mim, encerro este debate. Não procuro convencer ninguém, mas não abdico do que penso. Nem me passa pela cabeça sugerir sequer que alguém abdique.
PS: Por último, não fui Deputado em nenhuma Legislatura com o Prof. Cavaco Silva como 1º Ministro. A minha vida tem-se passado sempre na área empresarial, Fugazmente, fui Deputado Independente nas listas do PSD, de 2002 a 2005, era Durão Barroso 1º Ministro, um interregno de 3 anos na minha vida profissional. Ah, e fui democraticamente "dissolvido" pelo Presidente Jorge Sampaio, que não gostava da maioria, digo, maioria absoluta do PSD com o CDS, então existente no Parlamento.

Caros Comentadores:

Obrigado pela vossa participação. De forma muito especial ao Septuagenário, ao Tiro ao Alvo, ao Paulo Hemmerich e ao Ferreira de Almeida.

Bartolomeu disse...

Caro Dr. Pinho Cardão,
Tenho por já habitual, não conseguir fazer entender como desejaria a minha opinião pessoal; livre de qualquer atavio. No entanto, devo esclarecer que quando troco opiniões nunca o faço com intenção de ganhar batalhas, ou diminuir as opiniões contrárias, as quais, simplesmente não me ofendem. Prova disso, se estará recordado, à mesa do penúltimo almoço-tertúlia, o senhor duvidou da minha palavra quando referi assuntos relativos a despesas que considero abusivas. Por outras palavras, chamou-me mentiroso. Não me ofenderam as suas palavras, tratava-se da sua opinião, contra as minhas evidências.
Naquilo que refere em relação aos abusos do ex-presidente Mário Soares, que são evidentes, já na altura as contestei em sede propria e não por sinais mas de viva voz. Aliás, como está agora o meu amigo a fazer, comparei-as com o gabinete do ex-PR General Eanes. Um apartamento exíguo, quase espartano. O que está em causa, portanto, não é axistência da Fundação MS, que na otica do fundador presta um serviço público, mas sim a forma como se financia, ou seja, a custa do Estado. Jorge Sampaio também teve um palacete na tapada das necessidades (antigo pavilhão de caça do rei D. Carlos), todo equipado e com pessoal de apoio. Mas o nosso mais recente ex-PR que na sua opinião é um homem íntegro e mais uns quantos adjectivos qualificativos, manda-se de cabeça para um palacete em Alcântara que custou, em recuperação, restauro, adequação e equipamento, uns largos milhares de euros aos cofres do estado. Não sei se o Senhor tem assistido na SIC a uma rúbrica intitulada "Eu é que sou o presidente da junta"? Pois nesse programa que divulga as iniciativas de vários presidentes de junta para combater a pobreza e as péssimas condições de vida em que muitas famílias com filhos pequenos e idosos, vivem... no mesmo país que paga mensalmente as despesas inerentes aos gabinetes de 4 ex-presidentes da república - rendas, ordenados, equipamentos, mobiliários, consumíveis, carros, manutenção combustível e portagens e segurança.
Posto isto, concordo que esta troca de opiniões fique por aqui, até porque estou convicto que perante os meus argumentos o Senhor vá continuar a classificar-me de mentiroso e a defender as suas "razões" combatendo as minhas com o argumento da manipulação de imagens televisivas que não noticiam a pobreza mas sim, que a forjam.

cgardaos disse...

O autor deste post, estaria em coma alcoólico quando o escreveu.
è de uma falta de honestidade intelectual que até dói!!!

Alberto Sampaio disse...

Não gosto de Cavaco Silva, mas tenho de reconhecer que teve acções positivas.

Pinho Cardão disse...

Caro Bartolomeu:
Interpretar de modo diferente não é classificar de mentira, ou de mentiroso. E fiquei espantado com a sua posição.

Alberto Sampaio disse...

Aliás, por respeito à figura de Presidente, nunca fiz aqui afirmações que desrespeitassem essa figura. O mesmo não se pode dizer do be e do pcp que, não sabendo viver em democracia, já começaram a desrespeitar o actual, ao não terem aplaudido a tomada de posse do seu (deles) actual presidente, posse essa que resultou do exercício democrático do voto. Portanto, nada de novo dos comunistas do be e do pcp.

Oscar Maximo disse...

Sobre a já proverbial seriedade da figura, convém relembrar o episódio das escutas: o tal Lima foi apanhado em flagrante, e em vez de demitido, foi promovido. Mesmo que existam boas razões, a regra dum país desenvolvido é - quem for apanhado é sancionado - nessa altura fiquei esclarecido sobre a seriedade de Cavaco.

jotaC disse...

Estas avaliações são sempre difíceis, pois dependem do ponto onde se encontra o observador...