Número total de visualizações de página

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Contas Externas melhoram em Junho...Crescimentistas salivam...


1.       Foi ontem divulgada (BdeP) a posição das contas externas no final de Junho, verificando-se uma melhoria em relação ao mês anterior: após um défice conjunto das Balanças Corrente e de Capital de € 104,3 milhões, até Maio, tem-se agora um excedente de € 214,1 milhões, valor quase idêntico ao registado no mesmo período de 2014 (€ 218,6 milhões).

2.       A Balança Corrente apresenta um saldo negativo de € 850,4 milhões (- € 950,6 milhões em 2014) e a Balança de Capital um excedente de € 1.064,6 milhões (€ 1.169,4 milhões em 2014).

3.       Note-se que a Balança de Capital, apesar de um excedente inferior em € 104,8 milhões ao de 2014, tem vindo a recuperar rapidamente, pois em Maio a diferença para menos era ainda de € 336,5 milhões.

4.       Quanto às componentes da Balança Corrente – Bens, Serviços e Rendimentos – os saldos são os seguintes: Bens, défice de € 4.251,7 milhões (€ 4.203,7 milhões em 2014); Serviços, excedente de € 4.949,7 milhões (€ 4.752,4 milhões em 2104); Rendimentos, défice de € 1.548,4 milhões (€ 1.499,5 milhões em 2014).

5.       Para a melhoria contínua do saldo dos Serviços contribui, muito especialmente, a esperada e forte subida das receitas líquidas do Turismo, originando um excedente de € 2.817,2 milhões nesta rubrica, quase 15% acima do registado em 2014, de € 2.456,3 milhões.

6.       No caso dos Rendimentos, o défice, de € 1.548,4 milhões, sobe ligeiramente em relação ao de 2014 (€ 1.499,5 milhões) provavelmente como resultado de rendimentos de investimento estrangeiro uma vez que os juros da dívida ao exterior têm registado uma descida acentuada.

7.    Registo especial, nos Rendimentos, para a manutenção de um forte ritmo de aumento das remessas de emigrantes, de € 1.174 milhões em 2014 para € 1.297,7 milhões agora, uma subida de 10,5%.

8.    Em suma, uma melhoria, certamente, mas bastante à boleia da forte descida dos preços do petróleo - que, tudo indica, deverão manter-se baixos por um período ainda longo…Crescimentistas voltam a salivar…

2 comentários:

João Pires da Cruz disse...

Aposto que o Galamba ainda não se lembrou de responsabilizar o terrorista Tunisino pelos números da economia portuguesa, claramente beneficiada pelo menor fluxo de turistas para aquele país. Este comentário também serve para testar se ele anda atento, agora que a venda de ouro penhorado deve estar a decair...

Tavares Moreira disse...

Caro Pires da Cruz,

Não menosprezemos as teses do Eng.º Galamba, que nos podem ser muito úteis para tirar conclusões válidas: basta raciocinar "a contrario"...é fácil e acerta-se quase sempre.