Número total de visualizações de página

quinta-feira, 16 de março de 2017

Inaptocracia

"...Um sistema de governo onde os menos capazes de governar são eleitos pelos menos capazes de produzir  e onde os outros membros da sociedade são recompensados por bens e serviços pagos pelo confisco de riqueza e do trabalho de um número de produtores em diminuição contínua..."
A definição nasceu em França, et pour cause... E em Portugal?  

2 comentários:

Carlos Sério disse...

Eles de facto fartam-se de trabalhar.
O Dias Loureiro, o Duarte Lima, o Oliveira e Costa, o Zeinal Bava, o Ricardo Salgado e respectiva família, o Miguel Relvas, o Sócrates, o Armando Vara, e muitos outros, especialmente muitos políticos, que no dizer da procuradora Maria José Morgado “entraram pobres para a política mas que ao fim de uns anos estão milionários”.
Fartaram-se de trabalhar, coitados.
Há quem lhe chame outra coisa.

E parece que em França, o líder da direita, um tal Fillon, ele a mulher e os filhos, também se fartam de trabalhar.


Carlos Miguel Praxedes disse...

É tudo gente que tresanda a transpiração, Sr. Carlos Sério.

Quem também se fartou de trabalhar foram os deputados que estiveram 8 anos na AR, ou os juízes do Tribunal Constitucional durante 12 anos. Ou o pobre António Mexia, coitado, cujo vencimento auferido ronda os 5.500 euros por dia. Trabalha, por dia, tanto como 10 portugueses que auferem o salário mínimo. Depois, venham com o discurso do empobrecimento com a baixa dos salários (chamando-lhe melhoria da produtividade).

É um país de trabalhadores, este. Até admira como é que não conseguimos sair da crise.