Número total de visualizações de página

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Regresso oficial ao Estado corporativo

Com as medidas anunciadas pelo Ministério da Educação relativas aos cortes de financiamento da educação nas escolas privadas com contratos de associação, o Ministro já assegurou avaliação positiva no exame trimestral a levar a cabo pelo júri sindical. presidido por Mário Nogueira. 
Um regresso educacional e pedagógico ao Estado corporativo. A Bem da Nação, claro está!...

5 comentários:

Alberto Sampaio disse...

Tenho a certeza que irá ser um bom aluno. No fim da legislatura talvez já perceba alguma coisa da área do cargo para o qual foi nomeado (e aceitou apesar da sua falta de conhecimentos sobre o ensino. Assim se vê a honestidade das pessoas).

Paolo Hemmerich disse...

O Paraíso Socialista chegou!!! Nunca fomos tão felizes!!!

Carlos Miguel Praxedes disse...

Então, agora já não interessa cortar na despesa?

Não há quem entenda estes neoliberais...

Pinho Cardão disse...

Pelo que tem sido referido e não tem desmentido, o custo para o estado com os alunos das escolas com contrato é inferior ao custo com os alunos do ensino público. Assim, o caro Praxedes não vai longe com esse argumento. Depois, há tudo o resto...
De facto, não há quem entenda estes estes esquerdistas do ensino...

Gaudêncio Figueira disse...

Essas contas, de tão certas, transportam-nos às contas do Sr Ricardo Salgado que prescindia da ajuda do FMI de tão sólidas que elas estavam.