Número total de visualizações de página

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Temos que reconhecer que é refrescante!

Quando fui a Atenas, há uns meses atrás, tinham sido aprovadas algumas das novas medidas de agravamento de impostos e redução de regime de pensões impostas pela troika, e perguntei se ia haver as habituais manifestações violentas na Praça Sintagma. Riram-se muito e disseram que não, porque os que dantes se manifestava estão agora no Governo.
Lembrei-me deste episódio quando vi há pouco na televisão passar em rodapé que o BE e o PCP felicitam o Governo pela forma exemplar como decorreu a abertura do ano lectivo! Não tenho memória de um fenómeno destes e, nesta matéria, a minha memória pode recuar mesmo muitos anos. Pois agora não há escolas degradadas, nem em obras, nem turmas a abarrotar, estão os professores colocados tal e qual como queriam, perto de casa, nem há falta de coisa nenhuma, nem de funcionários, nem contratos a termo por renovar, tudo impecável, a merecer aplauso dos mais exigentes e atentos defensores da escola pública.
Temos que reconhecer que, para variar, é refrescante!

9 comentários:

Pinho Cardão disse...

Certeiro, cara Suzana. As esquerdas profissionalizaram-se na manipulação. Manipulam na Oposição e manipulam no governo. É a noção que têm de governar. E a troco de 30 dinheiros, que é manter-se no poder, o PS tornou-se simultaneamente refém e dinamizador da manipulação.

Carlos Sério disse...

Comparar o “agravamento de impostos e redução de regime de pensões” com a abertura do ano escolar que desta vez parece ter corrido melhor que em anos anteriores, não é nada . . . refrescante!

É, ao contrário, mais escaldante, com cheiro a queimado, de algum diabinho (a) incendiário que anda por aí a espalhar o medo às pessoas.

opjj disse...

Acrescente-lhe que acabaram com a emigração de 300 por dia e 300.000 em 4 anos(Dito por ACosta.

Pinho Cardão disse...

"...abertura do ano escolar que desta vez parece ter corrido melhor que em anos anteriores...".
Lá está, PARECE...,ou melhor,FAZ-SE PARECER...A imagem, sempre a imagem e a manipulação.
O que até está certo, quando ministro e presidente do sindicato dos professores, que originava e dinamizava a luta, se confundem agora na mesma função.

Zuricher disse...

Suzana, o que elenca neste seu post é parte do método vermelho desde sempre e em todo o lado. Os vermelhos sempre, sempre e em todo o lado souberam usar muito bem a propaganda e a manipulação. Após a Segunda Guerra, quando estavam a construir o comunismo no que viria a ser mais tarde a Alemanha Oriental, Walther Ulbricht resumiu numa frase lapidar tudo isto: "Tem que parecer democrático mas nós temos que ter tudo nas nossas mãos.". E efectivamente conseguiam dar a aparência de democracia aos observadores menos conhecedores. O comunismo sempre viveu da arte da propaganda, arte na qual, muito a meu pesar, não posso deixar de reconhecer serem mestres sem igual. O que está a acontecer no Portugal dos tempos que correm é exactamente isto: "Tem que parecer tudo muito bom mesmo que a casa esteja a desabar".

É gente muito perigosa, cara Suzana. Sobretudo em sociedades como a Portuguesa, é gente muito perigosa.

Bartolomeu disse...

Nesta matéria há que levar em conta o papel desempenhado pelas televisões que, nesta altura do início do ano escolar têm por hábito entrevistam toda a gente e mais alguém, esmiúçam, escarafuncham, quase obrigar, usando o processo da tortura psicológica, pais, alunos e professores a declarar-se insatisfeitos, vítimas do sistema e da perseguição política e da falta de organização e de método do governo.
Este ano... esqueceram-se de entrevistar os professores que ainda não sabem se vão e onde ser colocados, se os edifícios escolares reúnem as condições necessárias para funcionar, etc.
Uma amnésia jornalística invadiu o país.

Suzana Toscano disse...

Pois é isso mesmo, caro Bartolomeu, devem ter andado distraídos com outros assuntos ou então passou a estar tudo "pacificado".
Caro Pinho Cardão, é como diz o ditado, "mais vale cair em graça que ser engraçado", se não assistíssemos a estes milagres não acreditaríamos! Caro Carlos Sério , eu não comparei as situações em si, como terá reparado, embora a dramatização da abertura dos anos lectivos, até agora, fosse sempre um ponto escaldante do que corria mal no País. Caro Zuricher, as técnicas não mudam, felizmente a matéria em que incidem é que são mais benignas na actualidade, até nos perguntamos se há ideologias a comandar a política ou se há apenas tácticas de circunstância que recorrem aos velhos truques propagandísticos. Mas o preconceito da "virtude" da esquerda mantém-se perfeitamente actual, tantas vezes alimentado pelos discursos disparatados da chamada "direita" e do gosto que parece ter em se afirmar como "punitiva" mesmo nas medidas políticas que não tem outro remédio senão aplicar.

Gaudêncio Figueira disse...

Farto que estou eu e o País de esquerda e direita! Haja pachorra para entretanto nem esquerda nem direita ligarem a isto:
http://paraisoehades.blogspot.pt/2016/09/juizes-somos-todos-nos-estados-de.html
Então que tal se tiverem 20% de nulos a juntar a tradicional barrigada de abstenções? Representam-se a si próprios? Chega de pusilanimidade!

Paolo Hemmerich disse...

Este é o lado bom dos desgovernos socialistas/comunistas: poucas greves; nenhuma manifestação violenta, visto que, são eles que as promovem!!! Os conservadores temos pudor e respeito pelas coisas públicas!! E sabemos que somente com trabalho se constrói uma nação forte!!