Número total de visualizações de páginas

terça-feira, 20 de dezembro de 2005

Debate Soares-Cavaco

Mário Soares jogou os trunfos todos que tinha, mas não se pode ir a jogo só com paus.
Deu uma imagem que se traduz em deselegância e deslealdade. Um candidato a Presidente da República não pode dar esta imagem. Esta é a imagem da velha política, dessa de que o Povo português está farto e desconfia.

33 comentários:

Tonibler disse...

Hoje, concordamos. Cavaco esteve muito bem, deixou o Soares enterrar-se sózinho na baixa política. E a imagem do Soares aos berros e Cavaco a rir-se (expontaneamente!) vai ser a imagem desta campanha.

Pinho Cardão disse...

Deselegância e deslealdade é pouco.
Também houve, pelo menos, mentira, falta de educação mínima e atitude trauliteira.

Tonibler disse...

E o epíteto, caro Pinho Cardão, é?....

crack disse...

Muita falta de educação e desnorte em Soares puxaram Cavaco para uma prestação muitos furos acima do que lhe é habitual.

Carlos disse...

O que é lamentável é falta de respeito que MS tem por si próprio, pelos entrevistadores e, acima de tudo, por todos nós. Expressões como "mas agora não me interessa nada falar disso", não revelam alguém que "sabe ouvir".

Pinho Cardão disse...

Caro Tonibler:
Resisto estoicamente!...

Ricardo S. Reis dos Santos disse...

Muito honestamente, não acho nada lamentável a forma como o Doutor Mário Soares conduziu este debate. O que podiamos esperar de uma pessoa que não passa de uma personagem fabricada da democracia pós-revolução?! O Doutor Soares foi hoje o que sempre foi no passado. Uma verdadeira falácia política que se prepara agora para dar mais algumas voltas ao mundo à conta do Estado. Muito provavelmente para ganhar a sua ímpar visão humanista do mundo. Diz ele. E convenhamos. Não deixa de ter graça!

crack disse...

Segundo a sondagem rápida da Eurosondagem, Soares ganhou o debate. Só me surpreendia se não acreditasse, há muito, que o resultado final será sempre favorável à mediocridade e à falta de princípios. O que não deixo de lamentar, obviamente.

David Justino disse...

Meu caro Crack
o resultado da sondagem dá uma diferença entre os "scores" inferior à margem de erro, donde se conclui que se o rasultado fosse ao contrário também estava certo.
O problema para mim está em saber se é este o tipo de política que os portugueses querem e que o país precisa. Com a pequeníssima experiência que tenho deste tipo de debates, confesso que não sei se aguentaria aquilo que Cavaco Silva aguentou.

Tonibler disse...

Crack, é um pouco irrelevante o que diz a sondagem. O que fica é o sumo. E no sumo...
De qualquer forma, quando é eurosondagem eu dou algum desconto. Talvez um quarto do entrevistados recusarem-se a responder queira dizer alguma coisa.

crack disse...

Caros Professor Justino e Tonibler
Sem dúvida que esta sondagem enferma das circunstâncias que apontam e a sua relevância é, por isso mesmo, apenas a que se traduz no impacto da transmissão, sem comentários, do resultado. Mas, por pouco que represente, representa algo sobre o tipo de "político" que os portugueses reconhecem como bem sucedido. Uma lástima!
Soares disse hoje que as sondagens valem o que valem e que ele não lhes atribui importância. Vamos a ver como vai ele, e seus "super marionettes", reagir a esta sondagem relâmpago.

Tonibler disse...

Estamos a falar do Presidente da República. Aquilo que o português procura nos debates é carácter. E mau carácter encontraram...
Estou a ver a repetição e estou a ver o soares a começar com "não faço ataques pessoais nem nunca farei..."

Al disse...

Sou suspeito porque vai muito tempo que decidi votar em Cavaco Silva, mas hoje fiquei triste pela forma "infantil" como Soares se comportou.

Anthrax disse...

Pois, de facto, parece que estamos todos de acordo. Para além de todas as coisas que o mp3 revelou, revelou também o político medíocre que há em si.

Marga disse...

Durante toda a pré-campanha MS não falou de mais nada senão de Cavaco Silva. Por isso não se estranhou que o enfoque do debate fosse centralizado no seu próximo Presidente da Républica. Esta ideia deixa-o desesperado e à beira de um ataque de nervos.

Numa tentativa desesperada de reverter as coisas a seu favor MS, disse tudo o que vai na alma, espingardou, esperneou qual menino mal comportado que não quer largar os seus brinquedos preferidos.
E assim, prestou um bom serviço à democracia, bem haja.

Deste já nós nos livramos. UFA...

O Reformista disse...

1- Em primeiro lugar tiro o chapéu a Mário Soares. É um homem que luta. Não espera que os outros o façam por si nem que as coisas lhe caiam no colo. Percebeu que para ter hipoteses precisava de ir à luta. E foi-o com todas as armas que tinha e não tinha.

2- O seu problema é que os portugueses sabem hoje que no seu segunto mandato, em plena crise económica mundial, Mário Soares preferiu cavalgar a onda da contestação, e assumir-se, em nome do seu ego, sobretudo como uma força de desgaste do Governo. E que isso teve terríveis custos para o País.

Os portugueses sabem que se um presidente tem poucas competências as suas acções têm consequências.

Por isso sabem o que importa sobretudo é a própria personalidade e preparação de quem ocupa o cargo.

E isso não se debate. Conhece-se.

É por isso Cavaco vai ganhar.

Virus disse...

Tá tudo dito... A partir da noite passada a luta é pelo segundo lugar...

Só me lembro daquela grande tirada de MS quando a jornalista o interpelou para falar dos seus projectos para o futuro enquanto PR, e a sua resposta foi "já vou falar, já vou falar..." e de seguida veio mais um chorrilho de palavreado sobre o passado... e esperei até ao fim pelo futuro de MS... mas de facto só ouvi o passado... que até nem foi grande coisa...

Igual a si próprio.

Já estou como o Tonibler disse, MS conseguiu uma coisa espantosa neste debate: Fez Cavaco sorrir espontâneamente... e isso é obra.

Carlos Monteiro disse...

TOC TOC... POSSO ENTRAR??

Anthrax disse...

Ó «Sinhor», pelo amor de Deus, não me fique aí especado à porta! Se fica aí plantado na corrente de ar, ainda apanha uma constipação.

"Aprochegue-se" e sente-se aqui, à volta da braseira, que está mais quentinho.

Carlos Monteiro disse...

É que com uma uninimidade de 18 comentários pensei que se calhar não dava para entrar e discordar, e perguntar se para gente com experiência de vida (uns) ou presumo que também experiência destas coisas de debates e campanhas (outros), esperavam que a coisa fosse a feijões?

Tanta indignação! Não é isto o "jogo político" ou lá como se chama? De repente ficámos todos... sensíveis?!

Tonibler disse...

Pois, Monteiro, se calhar este país já não é uma espécie de Venezuela. Faz parte daquela evolução em que todos insistimos e só de tempos a tempos a notamos. Este país já não suporta políticos badalhocos. Já estamos um pouco dinamarqueses...Presunção? Talvez, mas desse peixelim já não comemos.

Anthrax disse...

Pois que concordo aqui com o amigo "Tóni".

Aquele «já foi chão que deu uvas», «'tamos noutra». Mas não se preocupe em ser a voz dissonante, só mostra que, é uma pessoa que não tem medo de defender as suas convicções mesmo em terreno adverso. E isso é bom.

Carlos Monteiro disse...

Ao Toni,

Ai sim? Desculpa, leste o que acabaste de lhe chamar?

Qual era o político, líder do PSD, que ainda há oito meses fez considerações pessoais nojentas acerca de um adversário?

Onde estava a tua indignação então? Julgo que na altura até achaste piada...

Pois é... Não estamos onde?

Quanto ao debate: Para além de ouvir verdades, não ouvi insultos. Alguém ouviu? A critica deve ser ouvida e respeitada, e não tomada como ataque pessoal, porque enfim, ainda não estamos de volta a esses tempos em que uma critica ao lider era um insulto à nação.

Lá chegaremos, mas entretanto...

Tonibler disse...

Ao monteiro,

E se te lembras bem, apesar de ter achado piada que o Santana Lopes tivesse chamado bicha ao Sócrates, disse-te logo que merecia levar um tareão por causa disso. E não levou o suficiente, mas não duvides que o que levou foi muito à conta disso.

"Ele ia para as reuniões em Bruxelas e os meus amigos contavam-me bem o que lá se passava(...) eu nem quero falar disso aqui" "Ele não sabe nada disso, é só conversa" "Isso é falta de cultura" "O outro é tão bom, ou melhor, que ele" são expressões indelicadas para quem pretende debater olhos nos olhos. É grosseiro. Enfim, é um porcalhão que acha que por ser política é absolvido.

Não é. Ao fim do dia é um porcalhão como qualquer outro porcalhão. Mera crítica política...

Carlos Monteiro disse...

Mas Toni, não podes critica-lo. Sorry... Essa indignação não serve a quem publicamente ou em privado manda por água abaixo aquilo que exige dos outros.

E depois quanto ao assunto em concreto, continuo sem ver onde foi ofensivo. Lá está; a critica ao messias tomada como uma ofensa.

Grande espírito democrático esse! Mas também porque me admiro eu? O cavaquismo e a democracia não são propriamente parentes próximos.

Tonibler disse...

No dia em que quiser dos meus concidadãos a confiança para ser o seu representante máximo, preocupo-me em não ser um porcalhão. Estou-me nas tintas que o Mário Soares se porte da forma que se porta. Desde que não seja PR.

Quanto ao cavaquismo, já te disse que a minha opção vai para aquele que faz parte da Grande Família Benfiquista, a família que se confunde com a própria nacionalidade e que integra 100% dos bons chefes de família do país. A minha opção é para esse grande benfiquista, sócio de longa data, Manuel Alegre.

Carlos Monteiro disse...

Não há duas atitudes na vida, sejamos uma figura publica ou um ilustre desconhecido.

É conveniente ter dois candidatos...

Tonibler disse...

Ilustre desconhecido?? Quem?

Já disse que o meu candidato é o grande Benfiquista Manuel Alegre. Nem pode ser outro para qualquer membro da grande família benfiquista.

Anti-soarista não é ser cavaquista. Anti-Soarista é ser recto!

Carlos Monteiro disse...

Recto?...

Tonibler disse...

Direito! Vertebrado! Honrado!

Carlos Monteiro disse...

Toni, vamos acabar de discutir o assunto ali mais ao lado...

Anthrax disse...

Ainda bem que são amigos :))

Caro cmonteiro, devo dizer que o amigo Tóni tem razão. Lá porque ele é "anti-soarista", não quer dizer que seja "Cavaquista".

E digo mais, caso o Prof. CS não se tivesse candidatado, o meu voto iria para o Manuel Alegre por várias razões, mas acima de tudo porque o homem é um verdadeiro Senhor.

Virus disse...

Já vou tarde, mas se não fosse o CS o meu voto também ia inequivocamente para o M.Alegre. Aliás já aqui o disse várias vezes. O homem merece o nosso respeito e admiração por aquilo que está a fazer.