Número total de visualizações de página

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Das leis da física às leis da propaganda política

Crescimento económico-Spin (a propósito dos números do PIB)
Da física à propaganda política, um notável artigo no Observador do ilustre comentador do 4R, desde a primeira hora, João Pires da Cruz.  

7 comentários:

João Pires da Cruz disse...

Grato pela referência e simpáticas palavras.

Alberto Sampaio disse...

Caro João Pires da Cruz,

Gostei. E gostei independentemente da orientação do artigo. Venham mais. Também gostei de ler os comentários dos contratados pela governação para criticar o artigo. Hilariante.

Carlos Sério disse...

“A verdade é que, depois de confirmados os valores pelo INE (ver figura abaixo), a coisa está perfeitamente normal.”
E a figura diz-nos:
Para o valor do Produto Interno Bruto (Taxa de variação em cadeia) temos:
1º Trimestre de 2015 o valor de 0,6
2º Trimestre de 2015 o valor de 0,3
3º Trimestre de 2015 o valor de 0,1
4º Trimestre de 2015 o valor de 0,3
1º Trimestre de 2016 o valor de 0,2
2º Trimestre de 2016 o valor de 0,3
3º Trimestre de 2015 o valor de 0,8

Estes 0,8 são portanto “perfeitamente normais” explicados pelo JPC por uma qualquer poderosa força anómala de um qualquer “extraordinário campo magnético”. (Deixemos de lado a confusão entre campo magnético e íman mas, já agora, o plural de íman não é ímãs mas é ímanes).

Esta atitude de negação, de não aceitação da realidade, leva a explicações burlescas e mirabolantes e vazias de qualquer argumentação capaz.
O choque que provocou na direita neoliberal este número de 0,8 foi deveras terrível e difícil de engolir. Paciência.

Bartolomeu disse...

Confesso; percebo nada de economia, de finança e de engenharias políticas. Porém, e porque faço parte desta sociedade maluca - maluca porque: ora grita pela defesa da transparência nas contas públicas, ora endromina tudo e faz crer que uma coisa é outra e a outra é coisa nenhuma - sinto que os imãs já não são o que foram e, se aceitarmos como prova, o modelo de Ising, então, concluímos que até o Presidente da República percebe o mesmo que eu, em matéria de economia, finança e engenharias políticas.
Dizia Friedrich Nietzsche:
"Perdido seja para nós aquele dia em que não se dançou nem uma vez! E falsa seja para nós toda a verdade que não tenha sido acompanhada por uma risada!"
Resta-nos alegrar-nos com a verdade (?) Seja lá isso o que for...

Alberto Sampaio disse...

É com uma risada que afirmo que os comentários hilariantes chegaram aqui.

Caro Bartolomeu, tem razão em quase tudo! O Sr Presidente da República, como político que também é, percebe de engenharias políticas.

Alberto Sampaio disse...

Caro Bartolomeu, o comentário que lhe dirigi não tem nada de pessoal, serviu apenas para dizer que o Sr. PR percebe de engenharia política e que no resto tem razão - talvez não tenha quando diz que não percebe :-)

Manuel Silva disse...

Caros «sociais-democratas»:
Para quando um post a fustigarem os vossos correligionários Vítor Gaspar, Carlos Moedas e Miguel Frasquilho.
Os homens passaram-se para o campo do adversário.
Mas para isso é preciso descentrarem-se um pouco dos vossos hiper-umbigos (o vosso pequeno mundo) e lerem o que eles dizem.
Podem fazê-lo nos 3 links do artigo abaixo, «Portugal visto do mundo»
http://pedrolains.typepad.com/pedrolains/2016/11/portugal-visto-do-mundo.html
-----------------
P. S. Se precisarem de uma grua que vos eleve acima do vossos hiper-umbigos (o vosso pequeno mundo), e assim passarem a ver o país e o mundo, eu posso fornecer-vos uma gratuitamente.
É o meu pequeno contributo cívico.
Aceitem que é de boa vontade.
Eu gosto muito de visitar este blog, aprendo muito com a sabedoria, a seriedade e a sensatez de pessoas como a Dr.ª Margarida Corrêa de Aguiar e divirto-me muito com a maioria das outras.
Vocês são uns divertidos.
E evito assim ir comprar calmantes à farmácia para enfrentar os meus problemas domésticos.
Tenho uma grande dívida de gratidão para convosco.