Número total de visualizações de página

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Festa começa cedo: CGTP considera insuficente plano de aumento do SMN...


  1. Ainda se ouviam as vozes triunfantes e triunfalistas dos Derrubadores de 10 de Novembro – futuros heróis nacionais, com direito a toponímia da mais destacada - e já se começa a ouvir algum ruído proveniente da gaveta das diferenças do PC…
  2. Neste caso pela voz autorizada do SG/CGTP, individualidade certamente presente na aprovação do Acordo com o PS, por unanimidade em decisão informal (…), o qual veio hoje afirmar que o Acordo, na parte que se refere ao programa de aumento do Salário Mínimo Nacional, não é suficiente…
  3. O capital de queixa contra o Acordo começa cedo a emergir da gaveta das diferenças…e alguém acredita que o SG/CGTP tenha dito o que disse sem prévia consulta aos seus Peers?
  4. A festa começa cedo e promete ser animada…

5 comentários:

Pedro Almeida disse...

Ainda a procissão vai no adro e já vão avisando:

Acordo nos mínimos: PCP e BE não têm amarras para Orçamentos nem censuras.

Nos acordos do PS com o PCP, BE e PEV não ficou preto no branco que a estabilidade do Governo PS está assegurada. O texto é um acordo mínimo onde os partidos à esquerda não se comprometem a rejeitar à partida todas as “moções de censura ao Governo”, dizem, isso sim, que estas serão examinadas em reuniões “bilaterais”

http://observador.pt/2015/11/10/pcp/

Pedro Almeida disse...

Pode ser que o PCP e o BE prestem, afinal, um serviço patriótico ao país: levar o PS a uma monumental derrota eleitoral e a uma nova maioria absoluta da Coligação PSD/CDS.

Carlos Sério disse...

A festa de um lado e o enterro do outro.

Nuno disse...

Acho que o PR deve exigir um acordo mínimo a sério. Aquilo que há neste momento é para rir.

Tavares Moreira disse...

Caro Pedro de Almeida,

Estes Camaradas do PC/CGTP se não conseguirem um mínimo de concessões do governo PS - as quais implicarão uma revogação muito expressiva de decisões do anterior governo no sentido da liberalização da economia e, em particular, da agilização dos mercados de factores e de produtos e que, caso sejam concretizadas, irão azedar seriamente as relações com Bruxelas - não hesitarão em manda-lo às urtigas...
Esta declaração de hoje é um primeiro aviso, já com alguma seriedade.
O governo PS pode acabar por precisar, muito mais cedo do que se esperaria, da muleta da Coligação para sobreviver...e aí é que vão ser elas, suspeito que vamos assistir a um verdadeiro pandemónio quando essa fase chegar...

Caro Nuno,

O PR vai estar sujeito a uma enorme pressão da comunicação social, de uma forma geral, para empossar o governo das 3 Esquerdas, exactamente porque a comunicação social precisa de festa, de broncas políticas se possível em moto contínuo, pois é isso que lhe dá vida e vendas...
O interesse do País pouco ou nada lhes interessa, eles prosseguem um objectivo que consiste na maximização do espectáculo e já perceberam que um governo das 3 Esquerdas, com esta base de gelatina que lhe dá sustentação, promete oferecer um "show" nunca visto, vai vender jornais e tempos de antena como já há muito tempo não se via...
Prepare-se, pois, por mim acho que o PR não vai resistir a essa pressão (também por falta de alternativas viáveis).