Número total de visualizações de página

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Grandes, somos grandes!

Campeões da Europa na meia maratona, no triplo salto, dos melhores no lançamento do peso e a pedalar na frente da volta à França em bicicleta. Um dia glorioso em que a juntar ao título de campeão europeu de futebol, Portugal averba outro feito: apagou a Torre Eiffel.


7 comentários:

Bartolomeu disse...

Preferia festejar o fim da pobreza no meu país:
Da pobreza que nos faz esquecer os mais pobres, que vivem na miséria, que perderam os empregos, a habitação, a saúde. Dos que trabalharam uma vida e recebem uma pensão de miséria.
Da pobreza que permite que a corrupção continue, que os abusos de poder continuem, que as fraudes continuem a suceder.
Da pobreza que nos faz ser invejosos, que não nos impede de ser justos e de amar o que é nosso, os que são nossos e de construir em conjunto.
A Seleção Portuguesa ganhou o Campeonato Europeu, alguns atletas distinguiram-se em várias modalidades.
Os sem-abrigo continuam a dormir nas caixas da cartão e a ser alimentados pelas associações humanitárias, Portugal passa-lhes ao lado e grita: SOMOS CAMPEÕES! SOMOS CAMPEÕES! SOMOS CAMPEÕES!


Fernando Vouga disse...

Caro Bartolomeu

Apoiado!

Suzana Toscano disse...

Sim, os astros alinharam-se para estas vitórias, parabéns a todos os nossos desportistas que deram esta alegria aos portugueses. Há que festejar quando é altura disso, estes momentos fantásticos ajudam a enfrentar os maus momentos. Quanto à Tore Eiffel, pois paciência, ouvi não sei onde que houve uma votação (nao sei entre quem) e que assim ficou decidido, possivelmente para não acirrar mais os ânimos.Se havia de dar confusão, antes assim.

JM Ferreira de Almeida disse...

Sim, pouca coisa muda, Bartolomeu e Fernando. A vitória neste torneio não torna os pobres menos pobres nem o País menos vulnerável. Mas convenham que não existe nenhuma razão válida para deixar de comemorar um sucesso que é sentido como tal por todos ou quase todos, simbolizando também que os pequenos podem bater o pé aos grandes e que é possível superar as adversidades com estudo, com planeamento, com esforço, com entrega e generosidade. Então isso não é de celebrar? Os nossos irmãos timorenses pensam que sim. E eu, vendo aquelas manifestações de jubilo pelos feitos de,portugueses numa competição que todos quiseram ganhar, encho-me de orgulho.

Fernando Vouga disse...

Caríssimo Zé Mário

Claro que esta vitória me deu muita alegria. Mas gostaria que ela fosse o resultado de boas práticas governativas (em que, para lá de outros aspectos, as estrelas não tivessem de emigrar...). E não de um esforço localizado num sector muito popular.
Enfim, o velho "pão e circo". Mas sem pão.

Pinho Cardão disse...

Ainda bem que há esforço e organização num sector. E sucesso.

Alberto Sampaio disse...

Parabéns às selecções nacionais de futebol, atletismo e ao ciclismo nacional!

Parabéns ao antónio costa e seus amigos por terem ajudado a conduzir o País à bancarrota e agora poderem/conseguirem viajar e assistir a jogos da Selecção gratuitamente.