Número total de visualizações de página

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Já cá tardava!

Proposta pelo PCP e com o prestimoso apoio do BE e do PS, o nosso Parlamento decidiu promover a audição dos políticos que terão tido “responsabilidade” na Guerra no Iraque, a saber, Durão Barroso, Martins da Cruz e Jorge Sampaio. Pelo  menos esses, pode ser que ainda se alargue o leque dos implicados.
Parece que acordaram agora para a urgência de tal tema por causa de um relatório de uma comissão de inquérito ao envolvimento britânico na invasão do Iraque. Não havia armas nucleares, como é que os políticos portugueses não sabiam disto? E, se sabiam, porque é que não impediram os americanos e os britânicos de lá ir deitar bombas? Então os outros dois têm direito a relatório e nós, os portugueses, ficamos assim esquecidos? Até parece que não mandamos nada, que humilhação! Aí vão os nossos deputados esmiuçar o delicado dossier da alta política internacional, ao menos que se conclua que, sem a hospitalidade da Base das Lajes, ainda hoje lá estaria Hussein muito sossegado, e o Médio Oriente na sua paz. Sem a Ilha portuguesa, Bush e Blair não teriam tido onde congeminar as suas acções “mentirosas”, e Barroso vai ter que contar tintim por tintim, como é que os representantes da nobre gente lusa puderam dar para este peditório. Na altura, brincava-se com a figura de “hospedeiro” de Durão Barroso, agora há que investigar, ouvir, apurar e, claro, tirar imensas conclusões políticas arrasadoras para quem estendeu a passadeira vermelha aos decisores. Pode até acontecer que um ou outro jornal estrangeiro dê a notícia, nunca se sabe.

13 comentários:

Alberto Sampaio disse...

mais uma manobra para distrair os Portugueses da má governação.

Pinho Cardão disse...

Mais um orgasmo deputacional. Em público, que as TVs não vão descurar o espectãculo....

SC disse...

Cara Susana,
Andamos sempre a clamar por transparência. No entanto, em certos casos, achamos que não vale a pena...
Os ingleses fizeram. O principal protagonista pediu desculpa.
Isto já é qualquer coisa.

Alberto Sampaio disse...

É pena que não queiram investigar a CGD.
É pena que não se tenham insurgido quando na altura do governo do ps de socrates este "saneou" jornalistas e terá usado o sis para proveito do governo (partido) e dele próprio.
É pena que estes deputados sejam o que são e já não tenham autoridade moral para criticar um criminoso sequer tal é a sua desonestidade intelectual e não só.
se fossem honestos, até concordaria com esta comissão. Assim temos gente desonesta a fazer de conta para entreter os Portugueses e distrair do que realmente importa.
Não seria deste parlamento pensar numa comissão para criminalizar o governo ps do socrates por ter levado o País à bancarrota?
Não seria deste parlamento pensar numa comissão para criminalizar o actual governo ps do costa por não se preocupar com a qualidade do ensino?
Não seria deste parlamento pensar numa comissão para criminalizar o actual governo ps por continuar a deixar crescer a dívida pública quando afirma que a austeridade acabou? Se acabou, por que razão tem de continuar a endividar-se? Não se preocupa com a herança de dívida que vai deixar aos mais novos? Isso é criminoso.
Não seria deste parlamento pensar numa comissão para criminalizar o actual governo ps por não pagar atempadamente aos fornecedores quando afirma que a austeridade já acabou?
etc.

Carlos Sério disse...

Pelos vistos, o tempo de colocar a sujidade debaixo do tapete já lá vai, o tempo do obscurantismo e da manipulação política está a definhar.
Claro que há sempre os saudosos dessas maquinações. E porque será que é sempre gente conotada com a direita radical e com os interesses privados do Goldman Sachs e de outros que tais?

SLGS disse...

E QUAL É, NESTE MOMENTO, A OPORTUNIDADE DESTA ACÇÃO DA ASSEMB. REPUB. E DE TODA ESTA DISCUSSÃO?

Suzana Toscano disse...

Caros comentadores, vamos portanto ganhar imenso com um montão de pedidos de desculpa de protagonistas que já sairam de cena e que seguem com as suas vidinhas, com desculpas ou sem elas? Lá diz o ditado, os cães ladram e a caravana passa, podemos sempre dar dentadas no vazio e, à conta disso, dar palco a outros protagonistas que ainda não sabemos o que sabem decidir, entretidos a fingir que são excelentes julgadores. Por mim, preferia tirar conclusões pelo que eles fazem, ou farão, do que andar a ver se sabem vasculhar no que outros fizeram há 13 anos, ou há 20, ou o que for.Como diz o caro SLGS, qual a oportunidade e, já agora, o ganho?

José Domingos disse...

Estes moços de recados, fizeram o que lhes mandaram.
Já não há politicos, dignos desse nome, muito menos estadistas.
Estes moços de fretes, que por aí pululam, á custa e por vontade de um povo labrego, que se limita a alimentar quem o subsidia e a viver encostado ao estado, não fazem mais que tratar da vidinha deles.
Querem lá saber do povo ou do país. são demasiado miseráveis para serem alguém na vida.
Nasceram tapetes....

Carlos Sério disse...

"preferia tirar conclusões pelo que eles fazem, ou farão, do que andar a ver se sabem vasculhar no que outros fizeram há 13 anos, ou há 20"
Não. O que “eles” fazem ou irão fazer no futuro depende muito da condenação pública do que “eles” fizeram no passado. É para isso que serve uma coisa que se chama Justiça, mesmo que tardia.

Alberto Sampaio disse...

" O que “eles” fazem ou irão fazer no futuro depende muito da condenação pública do que “eles” fizeram no passado. É para isso que serve uma coisa que se chama Justiça, mesmo que tardia. "

Portanto ainda estamos a tempo de julgar socrates, a costa, santos silva, mais os que os apoiam(ram), etc. por terem lançado o País na bancarrota. Esses sim, deviam ser alvo de comissões e mais comissões. Mas não, para estes, impunidade política.

Fernando Vouga disse...

Por este andar, temos o D. Afonso Henrique. a ser ouvido.
Vê-se mesmo que essa gente só quer espalhafato.

Bartolomeu disse...

Estou desejoso que esta audição tenha início e que venha a ser apurada a quem se atribui a ideia dos tanques de guerra, das baterias de mísseis e dos aviões insufláveis que enganavam os raides de bombardeamento.
Depois, se a comissão encontrasse provas e concluísse ter sido um dos convocados para a audição, penso que deveria ser proposto ao PR para receber uma condecoração. Um grande colar, por exemplo.

Gaudêncio Figueira disse...

Há muita dificuldade em perceber-se que a peça com que os canastrões nos entretêm já só provoca bocejo.