Número total de visualizações de página

quarta-feira, 8 de abril de 2015

José da Silva Lopes


Foi hoje a despedida do Dr. José da Silva Lopes. Foi um momento muito bonito e sentido, de homenagem e de recordação do Homem e do Economista de quem tanto nos últimos dias se escreveu e falou. Perdemos um brilhante economista, um servidor da causa pública e um homem bom.
Deixa um legado de competência e exigência, de seriedade e rigor e de muitos e difíceis serviços prestados ao País de que tanto gostava. Era um homem simples, com um trato muito amável, com quem se gostava de estar e, em particular, com quem era um privilégio conversar.
Ficará na memória de muitos...

7 comentários:

Bartolomeu disse...

Os melhores estão a desaparecer, cara Drª. Margarida. Penso que devemos interrogar-nos: que será deste país quando só restarem os ímpios...

JM Ferreira de Almeida disse...

Não o conheci pessoalmente mas apreciava a honestidade intelectual. Uma perda mais para o País.

Pinho Cardão disse...

Um economista sábio e honesto que nas altas funções públicas que exerceu procurou servir bem o país, não se pautando pela glória pessoal.
Como economista, foi um keynesiano inteligente, moderado e sensível a outras correntes.
Discordando de algumas das suas posições, reconhecia que as defendia com argumentação sólida, distinguindo-se por isso da argumentação primária de muitos economistas tornados estrelas dos media ou da política. Um senhor.
Dizia-me há tempos um catedrático do ISEG que era a pessoa que mais sabia da economia portuguesa. E eu concordo.

Zuricher disse...

É muito raro sentir pena pela morte de alguém e, de todo, não sou nada dado nem entendo os elogios fúnebres. José Silva Lopes é excepção que confirma a regra. Lamento a sua morte e acho que irá sentir-se a sua falta.

septuagenário disse...

Tudo muito bonito, mas é desta cortiça que se fazem as melhores «rolhas».

Daquelas que bóiam maravilhosamente.

Tavares Moreira disse...

Cara Margarida,

Por razões de força maior, não me foi possível participar nessa cerimónia - mas faço minhas as suas palavras, se me permite.

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Claro que sim, Dr. Tavares Moreira.