Número total de visualizações de página

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Pobrezas...

Esta entrevista mostra, em todo o seu esplendor, uma faceta da pobreza. Neste caso, pobreza não corresponde à falta de dinheiro mas a uma pobre visão do mundo. Também eu gostaria de ver uma mulher na presidência. Não por ser mulher, mas por conhecer várias mulheres que, estou certo, exerceriam a chefia do Estado cumprindo o que se exige a um bom Presidente da República. Nenhuma delas se chama Roseta.

3 comentários:

Bartolomeu disse...

Eu, porque sou menos pragmático ou... mais boçal, conforme for mais adequado para a situação; também gostaria de ver uma mulher em Belém. Mas, obviamente não seria uma Roseta ou outra qualquer figura política actual, femenina.
Eu, gostaria de ver em Belém alguém com o perfil "politico" daquela húngara que se notabilizou como atriz de cinema e que em 1987 foi eleita para o parlamento italiano, tendo obtido o segundo maior número de votos.
Mas sinceramente, no espectro da politica nacional, não me ocorre ninguém com atributos, competências e curriculo idênticos ao da afamada atriz.
Portanto... assim como assim, olhe que se deixempor lá ficar "as" do costume, que ao menos essas, já sabemos do que são capazes...

Pinho Cardão disse...

De acordo. Mas tenho saudades de uma certa roseta que há uns trinta a quarenta anos existiu ...

JM Ferreira de Almeida disse...

As pessoas empobrecem, Pinho Cardao. E algumas não evitam mesmo a indigência.