Número total de visualizações de página

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Desemprego volta a cair em Julho: será verdade?!

1. O Eurostat divulgou hoje dados sobre o desemprego referentes ao mês de Julho, segundo os quais a taxa de desemprego em Portugal voltou a baixar, agora para 14% da população activa (era de 16,3% em Julho de 2013), menos 0,1 pp do que em Junho e a maior descida anual na União Europeia (a par da Hungria).

2. Esta notícia não pode deixar de ser acolhida com a maior surpresa – diria mesmo com indignação – posto que contraria um dos pilares mais frondosos do pensamento Crescimentista: não admitir, em nenhuma circunstância, nem que chovam pregos ou parafusos, qualquer expressão de melhoria do quadro macro-económico enquanto continuarem em vigor políticas neo-liberais...

3. ...e como as políticas neo-liberais, segundo o mesmo pensamento Crescimentista-Panglossiano, persistem em impor a sua lei em Portugal, em matéria de mercado do trabalho só um resultado seria possível: o aumento, persistente e irrefragável, da taxa de desemprego.

4. Todavia, não sendo viável, para os mesmos Crescimentistas, contrariar frontalmente os dados divulgados pelo Eurostat, só uma solução, aliás inteiramente razoável, lhes resta: ignorar a realidade, mantendo a sua preciosa oratória de ataque aos terríveis malefícios das políticas neo-liberais e prometendo a promessa diáfana de políticas orientadas para o crescimento...

5. ...e até podem afirmar, tranquilamente, que o desemprego não cessa de subir, que já ninguém reparará na diferença...

7 comentários:

João Pires da Cruz disse...

Há um lapso nesse racional, caro Tavares Moreira. Não é verdade que as políticas crescimentistas não estejam em vigor. Elas estão, defendidas com unhas e dentes pelos mais altos magistrados da nação. Felizmente há quem proteja este povo ignaro das suas próprias decisões...

Diogo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diogo disse...

Caro Tavares,

Vou-lhe dar uma novidade: em Portugal, nos meses de verão e com a vinda dos turistas, os cafés, bares e discotecas tendem a contratar mais pessoal (não me pergunte porquê, porque eu também não sei).

Apenas sei, de fonte segura, que tal decréscimo do desemprego tem tudo a ver com a política de Austeridade dessa gente honestíssima que ocupa os cargos governativos…

Um Xi e também ao comentador João Pires da Cruz – seguramente um génio nas coisas da política, da economia e das finanças. Basta ver como ele cruza bem os braços, como a gravata está tão composta e a camisa tão bem engomada.

Tiro ao Alvo disse...

Caro Diogo,
Esse fenómeno dos bares, etc., admitirem muitos empregados no verão, acontece todos os anos, ou só nalguns? Pergunto isto, por que no ano passado e que me lembre, o desemprego não desceu.

Tavares Moreira disse...

Caro Pires da Cruz,

Há de facto um lapso, mas não no racional, antes um lapso que se deve a falta de informação...
Foi entretanto noticiado que uma boa parte dos novos empregos que têm sido cridos são de tipo panglossiano (uma maravilha), financiados por fundos públicos.
Sendo assim, tenho de me corrigir e reconhecer que as políticas crescimentistas estão de regresso, os Crescimentistas já marcam pontos...

Caro Tiro ao Alvo,

Ter-lhe-á porventura escapado, mas de facto os bares, esplanadas, cervejarias, marisqueiras e outros locais de frequência predominantemente estival estiveram efectivamente encerrados em 2013, um pouco por todo o País...exactamente para permitir que em 2014 fosse possível contabilizar uma diminuição do desemprego!
O Observatório Sociológico da Faculdade de Economia de Coimbra até registou essa estranha ocorrência...agora percebe-se

Diogo disse...

Caro Tiro ao Alvo,

http://expresso.sapo.pt/turismo-cresceu-para-417-milhoes-de-dormidas-em-2013=f855807

Turismo cresceu para 41,7 milhões de dormidas em 2013
Dados do INE revelam que em dezembro os hotéis tiveram aumentos de 8,6%, destacando-se o crescimento de turistas franceses, espanhóis e americanos.

Donde, não é difícil perceber que na era estival, os hotéis, os bares, os restaurantes e algum comércio específico meta pessoal, que será despedido a meio de Setembro.

Tiro ao Alvo disse...

Caro Diogo, nós estávamos a falar do desemprego em Julho de 2014 e o Diogo vem evocar uma notícia de Dezembro de 2013 que se referia a um aumento, naquele mês, de dormidas em hotéis... Mas, não se mace mais, eu já estou esclarecido: não me lembrava que, em Julho do ano passado, muitos bares estiveram fechados por causa da crise.