Número total de visualizações de página

terça-feira, 19 de abril de 2016

O apontador do regulador

Por uns momentos, deparei-me esta manhã com a transmissão em directo da audição do Governador do Banco de Portugal referente ao caso BANIF. Comprovei a ideia de que o objectivo único que os ilustres representantes do povo prosseguem é imputar culpas e responsabilidades exclusivas e directas, ao Governador, uns, e ao Governo, outros. 
Em certo momento, até se chegaram a conferir horários de decisões do Governador, ao minuto. O que leva a que, de futuro, qualquer Governador, para sua defesa, se obrigue a ter junto de si um apontador oficial que anote a hora, minuto e segundo de todos os passos e despachos, no trabalho ou em casa. Perdidos nesta inquirição de horários, a ninguém parece interessar saber das causas e razões do colapso. Nem é esse o objectivo. 
Os dados estão lançados, aliás como sempre. Os culpados já foram pré-determinados por cada um dos partidos e o inquérito um mero pró-forma.
Fundamental, fundamental é que o regulador se muna de um apontador...  

5 comentários:

mensagensnanett disse...

Como diz o BE: «a Banca é assunto 'sério demais' para ser deixada na mão de banqueiros».
(Bom, analisando a forma como alguns banqueiros angariaram a sua fortuna... percebe-se que é um percurso altamente duvidoso...)
.
A minha opinião é semelhante: UMA ACTIVIDADE ECONÓMICA DE ALTO RISCO para os contribuintes: a actividade bancária - ex: bpn, bes, novo banco, banif,...
.
Sendo a actividade bancária uma actividade económica de alto risco para os contribuintes, o Regulador (Banco de Portugal) deverá ser obrigado a apresentar periodicamente relatórios minuciosos e detalhados aos contribuintes.
.
Uma opinião um tanto ou quanto semelhante à minha:
Banalidades - jornal Correio da Manhã (antes da privatização da transportadora aérea):
- o presidente da TAP disse: "caímos numa situação que é o acompanhar do dia a dia da operação e reportar qualquer coisinha que aconteça".
- comentário do Banalidades: "é pena que, por exemplo, não tenha acontecido o mesmo no BES".
.
.
.
P.S.
Mais, ver:
http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/
http://concorrenciaaserio.blogspot.pt/

opjj disse...

As comissões são rocambolescas cheia de deputados patuscos. Ninguém apurará nada.Nem a vedeta esganiçada conseguiu encontrar um tostão dos 1.600 M€ que Salgado desviou.Deve estar a rir-se com mos patuscos.
Minha espôsa diz há muito que ainda vamos ter de pagar indemnizações ao insonso Salgado e a Sócratyes.

Carlos Sério disse...

Não seria preferível o regulador munir-se da Maria Luis Albuquerque?

asam disse...

Com as intervenções do pm no negócio dos bancos, bpi/bcp, estes têm sofrido desvalorização muito fortes. Se houver novas falências, pelo menos desta vez já há culpado.

João Pires da Cruz disse...

Caro Pinho Cardão,

Não há como o estado português não tratar o BdP como hostil. Governador incluído. E este inquérito mostra isso todos os dias. É hostil e temos que acabar com ele e com a união bancária pelo meio. O BdP não é um instrumento de estabilidade financeira, no que a Portugal diz respeito.