Número total de visualizações de página

quinta-feira, 23 de junho de 2016

E o alucinado sou eu?

Concorde-se ou não com o Inquérito Parlamentar à Caixa Geral de Depósitos, verdadeiramente alucinante é o facto de Ferro Rodrigues ter pedido um parecer à Procuradoria Geral da República sobre a aceitação de tal Inquérito. Não podendo deixar de aceitar o Inquérito potestativo, Ferro não hesita em submeter o poder soberano ao parecer técnico de um órgão sem quaisquer poderes constitucionais. Sendo um experimentado burocrata, Ferro sabe que da burocracia algum proveito pessoal pode tirar, o de atirar para as costas do procurador de serviço a responsabilidade que ao Presidente da AR competia.
Bom, há alucinados nestas alucinantes decisões ou o alucinado sou eu?
PS: Por mim, o burocrata-procurador não eleito chamado a dar o parecer devia ser já empossado como Presidente do Parlamento. Poupava-se um ordenado...

2 comentários:

Antonio Cristovao disse...

Excelente! a demo cracia a que temos direito; afinal fomos nós que os pusemos lá.

ainda ha disse...

Rodrigues foi um dos principais esteios dos Parodiantes de Lisboa. Criador de muito bom humor. Está explicado?