Número total de visualizações de página

domingo, 26 de junho de 2016

Sai um referendo fresquinho!

Eu até já estava a ficar com complexos de pertencer a um pais de moles, de molengas, então não havia gato sapato que não estivesse já na fila para ameaçar referendos e nós, com tantas razões de queixa, nós, com a espada das sanções em cima da cabeça, nós, nada? Uf, eis que a grande timoneira  Catarina Martins,  consagrada líder indiscutível do glorioso BE, veio lavar a honra nacional, ai deles que se lembrem de nos provocar, levam com um referendo e pronto, fica o caso resolvido.
Ainda pensei que algum jornalista mais embirrante se lembrasse de perguntar o que proporia a timoneira para o Portugal Liberto das Grilhetas da Europa, mas felizmente isso não aconteceu, a estratégia funcionou bem e logo se seguiram as perguntas emocionadas aos ministros, ao Presidente da República e talvez a mais alguém em que já não reparei, haverá referendo, não haverá, o que pensa  desta proposta? 
Está portanto garantido, agora já apanhámos o comboio referendário, está salva a honra da Pátria. E, se a Europa pensa que não é a sério é porque não ouviu, como devia, a Convenção do BE, onde também se garantiu que o projeto do BE é " sério" e que " querem ser governo". 
Aposto que amanhã esta novidade caseira vai ofuscar as eleições em Espanha...

9 comentários:

Pinho Cardão disse...

Proposta cómica é a do referendo, mas cómicos, cómicos, verdadeiramente cómicos são os que respondem à pergunta!...

Zuricher disse...

Num país como Portugal propôr referendar a pertença à União Europeia é algo que só pode vir de gente muito, muito oportunista e sem um pingo de caracter. Mas, Suzana, pode esperar-se alguma coisa mais dessa gente? São o que são. O que é pena é haver tanta gente a votar neles mas, enfim, é o que há.

Repare, Suzana, essa gente já rebentou com vários países e sociedades pelo mundo fora. Desde 1917 que não fazem outra coisa. Agora mais recentemente já acabaram o trabalho na Venezuela. Os alvos seguintes são Espanha e Portugal, naturalmente. Em Espanha os eleitores tiveram juízo nas eleições de hoje e cortaram-lhes as asas. Algo a que não será alheia a tristissima figura que estão a fazer nos municípios onde governam, uma tragédia pegada. No municipio de Madrid, mesmo com as baixas de impostos em cima das eleições conseguiram perder dois deputados! Em Portugal, pois veremos a ver.

Suzana Toscano disse...

Caro Zuricher, às vezes convenço-me de que, à falta de ideias (ou de ideais, como agora se diz), instalaram-se na política uns irresponsáveis que acham que isto é tudo uma grande brincadeira, copiam os gestos e as retóricas daquilo a que se chama "esquerda" mas depois são completamente incapazes de sair deste registo da provocação e da tontice. O problema é que são úteis para outras forças políticas que ainda correm o risco de ser governo e deixam-nos campear, sem os ridicularizar como merecem, até que eles se convencem de que afinal são temíveis. Seria apenas ridículo se, como diz, não pudesse tornar-se dramático.

Joao disse...

Estes tipos (BE e parecidos) fazem me lembrar umas pessoas que conheci na universidade, na California. Eles filhos de pais ricos, diziam-se diferentes dos pais, que nao ligavam a dinheiro, que eram tolerantes, abertos, etc, etc.

Um grupo deles decidiu que ia viver livremente e meteram-se numa caravana e decidiram andar por ai, em liberdade. Durou um mes ate que o cartao de credito acabou. Correram a telefonar aos papas para lhes dar mais dinheiro. Fim de Aventura.

Agoram andam por ai, iguais ao paizinhos.

Zuricher disse...

Não os subestime, Suzana. Isso é o maior erro que pode fazer-se. Eles têm uma ideia (ou realmente um ideal...), têm. E a estratégia que seguem já provou vencedora em muitos sítios por esse mundo fora. Estratégia essa que é parte integrante das prescrições para alcançar o ideal. Nomeadamente, Suzana, estamos a falar de religião, de algo poderosíssimo e que, por estar no domínio da fé, é muito difícil de combater. Eles têm as suas ideias bem vincadas como qualquer ser profundamente religioso e a estratégia é exactamente aquela seguida por Lenin entre 1905 e 1917. O BE já passou a fase Lenin 1900-05 e está agora a todo o vapor na fase que se iniciou em 1905 e decorreu até assaltar o poder em 1917. Comparar o que disse Lenin nessa altura com o que diz esta canalha (e ralé afim como seja o Podemos) é extremamente elucidativo. Só é pena que essa comparação a par dum profundo conhecimento do comunismo não seja algo a que os media se aferrem como forma de proteger o país e a sociedade. Mas, enfim, os media são também, em geral, dos iludidos pelas palavras doces. Exactamente como os camponeses Russos o foram há 100 anos para depois acabarem a ser das classes que mais sofreu e morreu às mãos dos assassinos vermelhos sob a batuta de Lenin.

Concordo plenamente com resto do seu post. Ao PS deve pedir-se maior responsabilidade e altura de vistas mas do actual PS, um partido tomado de assalto por uns garotos idealistas e desocupados, inúteis para a vida em sociedade e incapazes, sequer, de prover o seu sustento fora da política não pode esperar-se o que quer que seja além disto e muito pior. O seu objectivo e necessidade pessoal é o poder e para isso vendem a alma ao diabo e até aos vermelhos.

Bartolomeu disse...

Estamos em início de época estival, por todos os cantos do país se realizam arraiais, muita cor, muito tinto e muita música.
Este alimento "profano-cultural" que é oferecido ao povo, e que o povo recebe de beiças engorduradas, barrigas espichadas, e comentários brejeiros (apesar de a recente legislação punir as "bocas porcas*) reflete o vazio político em que vivemos. Catarina quer governar / Disso já não tínhamos dúvidas / A Europa quer mandar / $nossa que sais, ou nos que ficas?!

Fernando Vouga disse...

Isto faz-me lembrar a estória das arcas de Montemor. Terminava com ""Oh povo de Montemor, suspende o teu furor, porque se estás mal, podes ficar pior"

JM Ferreira de Almeida disse...

Foi preciso o RU decidir sair da UE para que se desse a reentrada da Suzana no 4R. Como se vê, nem todos os resultados do referendo são de lamentar :).
O BE faz o que o instinto populista lhe determina. Defende hoje o referendo como antes o secretário de estado dos assuntos parlamentares do PS atual defendia aos berros o "não pagamos" a dívida. Ironia do destino, foi esta a criatura encarregada pelo PS de comunicar ao mundo que não senhor, não há cá referendos que o PS continua a lutar ao lado do povo europeu por uma Europa melhor. Um mimo...
Sim, o melhor que há a fazer é reduzir a carga dramática e pelo menos sorrir.

Suzana Toscano disse...

Caro Zé Mário realmente e uma coincidência mas de sentido contrário, eu regresso e eles partem, eu fico melhor de certeza :) e um renovado gosto estar auaí convosco e com os nossos comentadores e leitores!
Caro Zuricher, procuro não os subestimar mas também não consigo encontrar nenhum fio condutor no falatório com que nos massacram quando os ouvimos, é puramente tático, para terem títulos de jornal. Até podem ser úteis como contrapoder, daí os votos que vão tendo, mas quando querem passar disso não vejo que mobilizem ninguém porque não há "causas", só conjuntura de curto prazo. Mas espero não estar enganada, e não ter que vir a dar-lhe razão.
Caro João, essa é realmente uma boa imagem, o pior é se, quando voltam a casa, os pais estão tão pobres como eles queriam ser...