Número total de visualizações de páginas

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

Sá Carneiro


Faz hoje 26 anos que morreu Sá Carneiro.
Alguns julgam-se os seus sucessores exclusivos e os paladinos das suas ideias. Não. Sá Carneiro era ele e deixou um Partido, o PSD, e não sucessores individuais.
A minha homenagem no 4R.

6 comentários:

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Caro Dr. Pinho Cardão,

Acompanho totalmente as suas palavras, acrescentando que Francisco Sá Carneiro deixou grandes testemunhos e muitas saudades.
Já lá vão 26 anos, mas até parece que foi ontem...

Tonibler disse...

Lembro-me de estar em casa (tinha 15 anos) e telefonar um amigo do meu pai que trabalhava na agência Lusa que me disse com uma voz apavorada "Onde anda o teu pai? Chama o teu pai depressa!". O meu pai pegou no telefone e só dizia "Agora é que isto vai ser bonito...". Quando desligou virou-se para a família e disse "Morreu o Sá Carneiro num desastre de avião. Tenho que ir para a sede de campanha (Eanes), mas isto parece-me que vai rebentar tudo. Vamos ver se o Eanes consegue acalmar isto, porque vai rebentar tudo..."
A televisão, passados uns minutos começou a transmitir música sacra quando a minha mãe preparava as coisas para a debandada (tivemos várias lá em casa desde 74...).


Estas são as minha memórias do dia. Confesso que nunca dei grande atenção a Sá Carneiro (também, que miúdo de 15 anos deu...), mas hoje orgulho-me do povo que somos, em qualquer outro lugar do mundo "rebentava tudo..."

nikonman disse...

Justa, simples e objectiva homenagem, Pinho Cardão.
Em 1979 foi por Sá Carneiro e pelo seu projecto que entrei para o PSD. Não reconheço a ninguém o estatuto de seu sucessor.

RuiVasco disse...

Neste fim de dia, exausto por razoes pessoais, de que falei noutro comentario, este é o 2º post que leio na 4R e que me trouxe um pouco de ânimo num dia "retorcido"!
Sá Carneiro merecia um post de abertura de um dos autores do 4R. Falei disso ontem à noite, já quase ao fim do dia. Ainda bem, surgiu!Talvez eu seja tão sensivel a este homem, porque o conheci, com os meus 14 anos. Tive a felicidade de o acompanhar mais perto, algum do seu percurso, e todo a maior distância!Porque dele ouvi histórias, ideias, e dele senti transbordar coragem, seriedade, convicções.
Homem grande com alergia à baixa politica. De rupturas se necessário fosse, mas nunca da mesquinhez, da oposição pequena na forma, nos actos e, principalmente, nas ideias. Contrário à "agressãozinha miúda", de que hoje tanto gostamos, mas homem de força, de enfrentamento, sem medo e de consciência forte, sempre que tal fosse necessário!
Por isso hoje temos politicos tão pequenos, com a politica do atira a pedra e esconde a mão, da falta de alma e de pensamento!
Gostamos de dividir para reinar, de denegrir para aparecermos, de julgar, defender, ou agredir as pessoas, em vez da prioridade aos ideais e ao país! Das raivas, dos ciúmes, das invejas, do pequeno e disfarçado atquezinho!
Sá Carneiro nunca disfarçou! Não mandava recados! Não insinuava! Afirmava! E afirmou-se como um dos grande politicos deste país no seculo XX!
E procurava saber onde estava o adversário! Olhando para fora e não para dentro! Unindo dentro, tudo era mais fácil, para lutar lá fora! Por isso preferiu assumir a ruptura, mesmo dentro, quando foi necessário, para que o verdadeiro cobate se efectivasse lá fora! Não foi homem de lume brando! Era um HOMEM e um POLITICO!
E todos os que abraçaram o seu ideal e os seus princípios são seus sucessores, não necessariamente nas lideranças, mas pelo exemplo, pela postura! Saibamos sê-lo!

Pinho Cardão disse...

Caro RuiVasco:
Valeu a pena escrever o texto só para poder ler este seu sentido e belo testemunho. Confesso que foram as suas palavras de ontem que me levaram, de imediato, a apresentar o post, que estava a reservar para hoje ou amanhã, na esperança de encontrar excertos de duas ou três intervenções que teve na antiga Assembleia Nacional, em que preanunciava a social-democracia e que mereceram largos apartes de protesto, com batidas na mesa, de seus colegas Deputados.
Já nessa altura Sá Carneiro dava mostras do grande político que era e que viria a confirmar plenamente na sua curta vida.
Deixou aos portugueses ideais políticos em que muitos portugueses se revêem e um Partido para os concretizar.

Antonio Almeida Felizes disse...

A minha sincera homenagem ao último grande regionalista convicto de craveira e dimensão nacional.

O ...Regionalização