Número total de visualizações de página

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Quem muito fala pouco acerta.

Abro a televisão e no primeiro canal está o Seguro, passo ao segundo e aparece o Jerónimo, ligo ao terceiro e deparo com o Semedo, rapidamente e em força vou para o quarto e aparece-me a Catarina , fujo para o quinto e apresenta-se-me o Passos, volto ao primeiro e lá está o Arménio, bato com a porta e aparece-me o Portas, tento um novo canal e vejo a Apolónia a entrar-me em casa sem pedir licença... 
Das oito da manhã de um dia às oito da manhã do dia seguinte. Todos os dias, todas as semanas, todos os meses, todo no ano, todos os anos!...
Falam, falam, sem nada terem para dizer. Mas falam e ininterruptamente continuam a falar. Desconfio que nasceram exclusivamente para falar. Sòzinhos.
Quem muito fala pouco aprende e menos acerta, diz o provérbio. Foi optimista o autor!... É que nenhum acerta seja o que for. A não ser que, pelo cumprimento da lei das probabilidades, tantas dizem que lá acabam por acertar uma. De quando em vez, por mero acaso, e sem saber!... 

10 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Já não suporto a TV e por isso desligo-a.
Mentiras e abusos já temos mais do que desejamos...

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Dr. Pinho Cardão, falam todos muito, é uma doença contagiosa, porque de outra forma não teriam nada para dizer!

T disse...

Raramente vejo a TV portuguesa. Quem o faz como eu sabe o descanso que é, no fundo acaba-se por saber o que é importante sem distrações e tragédias. Sim, por que fora o comentário político as tragédias estão sempre presentes. Quanto a estes comentadores do comentário, fazia-lhes bem umas 2 ou 3 semanas isolados numa ilha só para serem obrigados a conviver uns com os outros, a debater as suas ideias vazias e a pouparem os portugueses da sua verborreia diária. Pode ser num sitio longe.

jotaC disse...

Pois eu desisti de conflituar com a televisão, seleciono os comentários políticos em que os comentadores ainda não conseguiram enfastiar-me, depois parto para os canais didáticos e de cinema e chega-me.

MM disse...

Ja me sinto mais acompanhada! Pensei que era sintoma de envelhecimento a minha falta de paciencia para a tv portuguesa, mas afinal...

Pinho Cardão disse...

Pois, cara MM, sinal de "envelhecimento" revela quem promove
tal dislate e quem o difunde. Sob a capa da democracia, como se fosse dessa maneira que ela se defende.

Suzana Toscano disse...

O melhor é ver só depois de terminado o telejornal, volta-se atrás é vê-se co. O cursor a correr, breve paragem aqui e ali só para apanhar o que interessa e em poucos minutos está visto. E basta um por serão.

.'. ACASO (ૐ) disse...

O ideal é ler. Meditar. Contemplar a natureza. Dar carinho a quem o merece. Fazer algum exercício.

Televisão? Um bom documentário, um filme volta e meia... de resto: isso é coisa do passado!

:)

Antonio Cristovao disse...

proverbio chines que me tem parecido muito ajuizado:
nao digas tudo o que sabes;não faças tud oo que podes;não creias em tudo o que ouves; não gastes tudo o que podes;
o que faz tudo o que pode; o que cre emtudo oque ouve;o que julga tudo o que vê, o que gasta tudo o que pode;
Diz o que não ouve ; Faz o que não deve;julgao que não vê; Gasta o que não pode.
Na vida de excesso de comunicação estes dizeres são muitas vezes pertinentes.

Pinho Cardão disse...

Cara Suzana:
Ora aí está uma excelente alternativa!...À medida que passa imediatamente para o lixo...

Caro Acaso:

Por acaso, parece-me que o meu amigo já vai uns anos à frente...Faz muito bem.

Caro António Cristóvão:

Se outras razões não houvesse, agora que eles andam por cá, parece-me bem avisado recorrer à sabedoria chinesa...
Mas não, se há classe que já sabe tudo é a dos escreventes dos media.