Número total de visualizações de página

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Somos tão bons ou melhores...

Leio que o governo quer atrair imigrantes talentosos. Acho muito bem, assim tenhamos capacidade para fixar em Portugal os melhores. As praias e o sol não serão por certo suficientes.
Leio que o governo vai lançar, para o efeito, os "vistos talento". O objectivo anunciado é atrair imigrantes de talento ou elevado potencial. Segundo o governo "A imigração que queremos cria o seu emprego e com isso cria oportunidades para os próprios portugueses, não assenta no mercado de trabalho tradicional mas enriquece-o e alarga-o".
Confesso que não compreendo a razão pela qual não criamos "vistos talento" para reter em Portugal os talentos nacionais. Estamos a assistir à saída significativa dos nossos jovens mais qualificados de sempre que procuram no estrangeiro o que o país não tem para lhes dar. Com eles vai-se o investimento feito na educação que tantos recursos custou ao país e que tantos sacrifícios exigiu de muitas famílias, vai-se a energia e a inovação, vai-se a esperança do futuro, fica um país cada vez mais envelhecido, mais pobre e triste por ver partir os seus jovens sem visto de regresso.
Se não somos capazes de fixar os nossos talentos, como seremos capazes de captar os talentos estrangeiros? Haja vontade e meios para o conseguir, mas coloquemos em primeiro lugar os nossos. O que é nacional é tão bom ou melhor!

4 comentários:

Luis Moreira disse...

Sim, não é claro.Dá para reflectir.

Floribundus disse...

os gajos das bolsas estão a pensar nas bolsas dos contribuintes

a maioria quer um emprego não quer trabalhar

os tózeros vêm da politica para os tachos
noutros países vêm das indústrias para o governo

tive duas bolsas de governos estrangeiros
trabalhei nesses países

o estado português so me reconhece como contribuinte

passa a competir ao MºPº e aos tribunais a elaboração do programa de governo e a sua execução

isto será sempre 'o da joana'

Suzana Toscano disse...

Margarida, se soubéssemos sequer detetar talentos não estaríamos como estamos, quanto mais ir atrás deles! É ridículo,para não dizer de humor negro, vir com o discurso dos "talentos" desculpem lá mas desde quando valorizamos "talentos"? É claro que sabemos ver depois de outros o terem descoberto e aproveitado, se "lá fora" são bem vistos então vamos buscá-los, mas os que ainda cã ficaram são tratados a pontapê, não valem nada, têm que vir certificados do "estrangeiro" para lhes venerarmos o talento. Somos mesmo pobrezinhos.

Maria Margarida disse...

Suzana, temos muitos talentos, a prova é que são valorizados lá fora.