Número total de visualizações de página

terça-feira, 10 de junho de 2014

Os donos da república

Que os partidos partners dos promotores da vergonhosa manifestação no decorrer do discurso do Presidente da República nas comemorações do Dia de Portugal, não a tenham condenado, é compreensível. Não se condena o que se estimula e dinamiza.
Que da parte do Partido Socialista não se tenha ouvido qualquer sentimento ou expressão discordante, também se compreende. A ética republicana que reivindicam só funciona quando a República é sua, porque o Presidente é um dos seus. Se é dos outros, pois que seja republicanamente enxovalhado.  

7 comentários:

Floribundus disse...

a esquerda festiva
é uma NOJEIRA

ficavam melhor nas tvs se usassem bigode à Estaline

Bartolomeu disse...

Não será que o problema resida precisamente no facto de o Presidente ser "dos outros" em lugar de ser, de todos?!
Não sei... isto sou só eu a magicar.

João Pires da Cruz disse...

O presidente não é um dos deles? Engana bem...

Pinho Cardão disse...

Mas que diabo de magicação, caro Bartolomeu!...
Essa não lembrava ao diabo...

Caro João Cruz:

O Presidente, sendo de todos, naturalmente também é deles. Sem engano!...

Luis Moreira disse...

Liderados por um homem sem préstimo

jotaC disse...

Considerando o tempo de transmissão das tv.s privadas, parece que a falta de gente interessada em acompanhar este evento, o Dia de Portugal, é muito pouca, se calhar não justifica 1 cêntimo quanto mais esta fortuna, no entanto há que ter respeito pelo menos ao simbolismo implicito...

JM Ferreira de Almeida disse...

Muito bem, Pinho Cardão. Quem no País não respeita quem nos representa, ainda para mais no dia dedicado à portugalidade de que é o PR é símbolo, não merece qualquer respeito.
Mas a omissão do PS de uma condenação firme do que já foi considerado, com propriedade, como uma pulhice de uns quantos arruaceiros comandados por um profissional da arruaça, é também muito significativo da degradação que atingiu os chamados partidos ditos institucionalistas.
ET. - Sobre a pulhice, ver no Blasfémias (link ao lado) o post da Helena Matos