Número total de visualizações de página

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Um alegre desatino

Manuel Alegre, referindo-se a Almeida Santos, disse que desapareceu um príncipe da república.
Se é assim, nunca ouvi um elogio tão grande à monarquia!...

4 comentários:

ainda ha disse...

Pinho Cardão, desculpe-me.
O Ferreira de Almeida mostrou ser cobarde ao bloquear comentários ao seu post de agradecimento ao celerado transmontano que se foi governar em Moçambique.
Em Lourenço Marques era conhecido como o Sr 10%, dado nada se conseguia fazer sem lhe dar uma gorjeta proporcional ao emprendimento que se pretendia. Foram MõesdeContos com cabora bassa. Um polítiqueiro e um meliante que, com outros, foi responsável pelas mortes de milhares de brancos e de pretos nas colónias após o 25.
Maçon, como outros, foi velado na igreja da estrela. Eu sei o que é um ritual, após a morte, na maçonaria. De fugir. Nem o Spilberg se lembrava de copiar. O pariarcado tem sido uma bosta.

Oscar Maximo disse...

Uma Achega ao Ainda Há: esse senhor depois do 25 de Abril, fartou-se de criticar capitalistas como o Champalimaud, depois de antes se ter abotoado largamente á conta da herança Sommer.
Os atos desse senhor falam por si.

Pinho Cardão disse...

Caro ainda há:
Se o Dr. Ferreira de Almeida, um cidadão que lutou e luta pela liberdade, incluindo a de expressão, um cidadão sério e justo, democrata, equilibrado, exemplar na sua vida pessoal e profissional, fez o que refere, terá as suas razões e não sou eu que as irei contestar. Como tem podido verificar, este Blog critica ideias, critica atitudes, mas não alimenta suspeitas, sobretudo se as não puder comprovar, como não alinha em fáceis ataques pessoais.
Assim, o comentário do meu amigo aparece desajustado às características fundadoras deste Blog. Gostaríamos, pois, melhor, pediria ao meu amigo que não enveredasse por esse tipo de comentários.

Caro Óscar Máximo:
Dir-lhe-ia o mesmo que referi ao Ainda já.

ainda ha disse...

Pinho Cardão, grato pela a atenção. Resposta e Conselhos. Senão nem resposta enviava.

Não conheço o cavalheiro FA, seus predicados e impredicados.

A minha ideis não foi ser mal-educado, tendo, por experiência pessoal, saber o que é ser mal-tratado durante uma vida profissional, injustamente. Aí a culpa minha, pois nunca curvei a espinha.

O que censurei foi FA ter postado e, logo a seguir, bloquear o acesso a comentários. Ou enviava as condolências à família, ou não vinha com segredos do coração.