Número total de visualizações de página

quinta-feira, 22 de março de 2012

Marinho e Pinto, por exemplo, concorda

Vai haver eleições para a direcção do sindicato dos juizes. Dois magistrados em disputa. Estilos diferentes mas pouca competição pelo que se pode perceber desta entrevista dada por ambos ao Expresso. No essencial convergem. A fechar a entrevista um dos senhores juizes desabafa: "se calhar os portugueses não merecem os juizes que têm". Injusto, muito injusto para alguns dos magistrados...

4 comentários:

Massano Cardoso disse...

A que ponto estamos a chegar. A este propósito já tinha feito um comentário que reproduzo aqui.

"Não percebo! São bons demais para tão "reles" gente? Não será presunção a mais? Cada vez entendo menos estas coisas..."

JM Ferreira de Almeida disse...

A coisa poderia ser posta deste modo: que fizeram os portugueses para merecer juízes assim?

Capuchinho disse...

Perante a dignidade da função do Juiz eu sou daqueles que há muito se interroga se tem sentido um sindicato de magistrados judiciais, porque a haver estamos sempre sujeitos a encontrar estas fraquezas de egos mal conformes com aquela dignidade.

Por isso não resisto aqui a reproduzir o comentário de um anónimo no site do EXPRESSO, onde está a entrevista e uma fotografia-slide do candidato a presidente do Sindicato:

- Reparem bem senão chegam à mesma conclusão que eu; os juizes quase todos vêm mal de uma vista!

politici lieg (seguir utilizador), 2 pontos , hoje às 21:38

Pinho Cardão disse...

Como uma das pouquíssimas funções essenciais do Estado, a Jusiça deveria ser um exemplo de funcionamento. Acontece que, na ânsia de poder, os políticos quiseram que o Estado também fosse produtor, industrial, distribuidor, comerciante, distraindo-se das suas funções essenciais para açambarcar áreas que não lhe competem. Acaba o Estado por não fazer bem nem umas nem outras.
No que à Justiça respeita, a maior crítica que se pode fazer aos governos e ao Estado é a que a deixou em auto-gestão. Regulando-se, em muitos aspectos, a si própria, acaba naturalmente por ter como um dos seus grandes objectivos a defesa corporativa contra "agressões" exteriores. Patente nos órgãos institucionais e nos órgãos sindicais.
Naturalmente que na justiça há excelentes juízes, excelentes magistrados, excelentes agentes. Eles não merecem o mau sistema em que estão inseridos. Mas os portugueses também não merecem a justiça que têm, isto é, têm todo o direito de ser tratados com dignidade pelo sistema de justiça. E não são.
Culpa dos juízes? Alguma, na medida em que terão capturado para si fragilidades do sistema. Culpa,sim, dos políticos. A eles elegemos para modificar o que vai mal. Não o fazem.