Número total de visualizações de página

quinta-feira, 22 de março de 2012

Ratings

Ou o anterior PM estava certo quando em sua defesa invocou que o mundo é capaz de mudar em cada 15 dias, ou então nos ratings da credibilidade que notação merecerá a S&P?

8 comentários:

Suzana Toscano disse...

Mas o meu amigo ainda teima em ir ver o que se disse na véspera? Ai, ai, isso está muito fora de moda, o que conta é que se diz hoje e mais nada!

JM Ferreira de Almeida disse...

Tem razão Suzana. Já me vergastei!

Tonibler disse...

Não há qualquer incoerência entre as duas afirmações da S&P, caro JMFA. A incoerência é entre as notícias, que são um bom exemplo de que não se deixa a verdade estragar uma boa história.

JM Ferreira de Almeida disse...

Ora bolas, Tonibler. Assim o meu Amigo estraga o efeito pretendido com o post!
Já agora pode fazer o favor de nos dar o esclarecimento que o seu comentário suscita?

Tonibler disse...

Caro JMFA, peço imensa desculpa e prometo não voltar a estragar o impacto de mais nenhum post!:)

A S&P diz, como passou a república da Grécia para default, a portuguesa ficou aquela com maior risco, certo? Mas já era, isto não era sequer notícia, mas se reparar onde entram as aspas e onde não entram (no link que introduziu) vê-se que na realidade a S&P não disse nada que não tivesse dito há 2 anos . a seguir à rep. da Grécia, a rep. portuguesa é a que tem o maior risco. O resto da notícia é toda fabricada, não há nada de novo.

Na segunda notícia a S&P diz que a rep. portuguesa tem o risco inferior ao da rep. da Grécia, exactamente a mesma coisa que tinha dito na notícia anterior. Acrescenta ainda que não há uma inevitabilidade de default, coisa que parece óbvio a partir da classificação que dão, porque se fosse inevitável, classificavam como inevitável. O jornalista, não satisfeito com tanta vulgaridade, fabrica o resto da "notícia" fazendo notar que outras fontes dizem "o contrário" da S&P como "podem ser" e "só conseguirá se".

No fundo, a desinteressante verdade é a mesma há 2 anos, agora a história que o jornalista passa é um novela em 120 episódios.

JM Ferreira de Almeida disse...

Meu caro Tonibler, agradeço o esclarecimento, clarinho.
Mas o post tinha mais piada...

Tonibler disse...

Pronto, já estou com remorsos...

Suzana Toscano disse...

O que temos que concluir é que a S&P passa a vida dizer coisas, se não há nada de novo a dizer porque é que não se calam ou não se limitam a dizer "nada a alterar" à anterior avaliação?