Número total de visualizações de página

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Cartão troika

Mal começou o bom tempo e, sobretudo, os dias mais compridos, senti saudades da natação à tardinha e lá me dirigi ao ginásio para renovar a minha assinatura. Até Fevereiro, que foi quando suspendi a minha actividade aquática, tinha um contrato bem simpático, quase metade do preço da assinatura normal mas limitado a 12 entradas por mês o que, para mim, era mais que suficiente, quando se aproximava o fim do mês até tinha que me esforçar por cumprir os mínimos para salvar o meu quinhão do negócio. Pois agora, quando me aproximei do clube, vi um outdoor enorme a anunciar a nova modalidade de adesão, nada mais nada menos que o Cartão Troika. Ora esta, pensei eu, até aqui?, mas lá entrei à espera de poder beneficiar das poupanças inspiradas na austeridade. Fiquei então a saber que o tal cartão troika permite acesso a todas as modalidades do ginásio menos à hidroginástica. Sem problema, disse eu, só pretendo ir à piscina nadar, mais nada. Ah, mas além disso pode entrar as vezes que quiser, desde que seja uma vez por dia, não tem limite mensal. Sim, claro, disse eu, mas eu só quero mesmo vir duas vezes por semana, não preciso de mais. Além disso, dizia o funcionário, muito simpático, não tem que pagar jóia, é só a mensalidade sem compromisso de fidelidade, excelente, respondi, mas isso também era assim na modalidade que eu tinha no ano passado, por isso prefiro renovar o que tinha. Não, isso não é possível, esse deixou de haver, agora o melhor que temos é mesmo este, custa mais €20 do que o que teve mas assim vem mais vezes, para compensar…
E lá fiquei com o cartão troika, porque todas as alternativas eram piores. Pago mais do que pagava para ter o que precisava, tenho acesso a menos coisas e passei a ter que ir nadar mais vezes para amortizar o custo, que o tempo não está para desperdícios. Bem escolhido, o nome do cartão!



6 comentários:

Pinho Cardão disse...

Há pessoal que não brinca em serviço!...

Suzana Toscano disse...

Pelo menos não era publicidade enganosa :)

(c) P.A.S. Pedro Almeida Sande disse...

Cara Suzana

Cada vez mais me convenço que a Troika é apenas uma desculpa de incompetentes (quiçá criminosos como lhes chama Pacheco Pereira que pode ser mal amado mas é homem corajoso e de visão)que se escudam por trás do seu nome.
Porque das duas uma, face ao propagado aumento do IMI (seja por taxas ou reavaliação do edificado), ao aumento da água (chamam-lhe melhor gestão), ao aumento das rendas (catástrofe anunciada!), diminuição dos salários propalado por Borges (desde que não seja o seu), ao aumento do IVA nos pequenos negócios sem externalidades negativas nas contas públicas, etc, etc...
ou
está tudo distraído por incompetência ou esbulho económico nacional
ou
a conversa da competitividade é uma "treta", já que a percentagem da responsabilidade dos salários é mínima na competitividade, sendo muito mais gravoso qualquer custo de contexto agravado.

É esse que todos os que são empresários se queixam e não o empobrecer o país para modelos de quarto mundo.

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Suzana
Quando li o título julguei que o cartão Troika seria uma solução mais económica e adaptada ao bolso e às necessidades de cada utilizador. A parte boa é o incentivo para ir mais vezes ao ginásio, se não for para nadar que seja para praticar outra modalidade. Faz bem ao físico e muito bem à alma!

Bartolomeu disse...

Cara Drª Suzana;
não será, que esse ginásio que frequenta, está numa parceria publico-privada com o ministério das finanças?
Estou a ver aí o dedinho do ministro Vitor Gaspar.
Reparou bem, se o funcionário que a atendeu e lhe prestou amávelmente todas as informações, não falava de uma forma arrastada, baralhando o antes, o depois e o agora?
;)

Margarida disse...

Veja o mealheiro troika em

http://ideiassemfim.blogspot.pt/

Que tal?