Número total de visualizações de página

domingo, 22 de abril de 2012

O património que não valorizamos

Hoje celebrámos o Dia da Terra revisitando um dos mais bonitos locais de Lisboa, o Jardim Botânico Tropical ali mesmo ao lado do Mosteiro dos Jerónimos. Salta à vista o desleixo dos espaços, a falta de informação (limita-se à placa indicativa do nome científico e popular de cada espécie), a vetustez e decrepitude das estruturas. Ao espaço só se acede pagando. Dois euros para adultos que nem direito dão a um singelo guia informativo sobre a história e o significado daquele acervo. O dinheiro recolhido não parece suficiente para manter aquele museu ainda vivo mas que aparenta sinais de lamentável desprezo. Um património que não valorizamos como tantos outros, apesar do enorme fluxo de turistas que visita aquela zona da cidade. Mesmo lamentando, foi um excelente passeio porque o desleixo dos homens ali  é  compensado pela beleza e por vezes pela imponência de uma natureza importada.




5 comentários:

Henrique Pereira dos Santos disse...

Há anos que defendo a reintegração do jardim no Palácio de Belém (de que fez parte), mantendo o uso público. É um dos mais fantásticos jardins de Lisboa incompreensivelmente desconhecido e marginal.
Ficava bem à Presidência da República responsabilizar-se pelo Jardim.
henrique pereira dos santos

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

José Mário
Quem é que não gosta deste Jardim? É lindíssimo, mas em estado de abandono. É um resistente, mas até quando? Vou lá muitas vezes e tenho visto a progressão da degradação. Em Janeiro de 2012 escrevi aqui no 4R sobre o Jardim Botânico Tropical:
"Sou visita habitual do Jardim Botânico Tropical. Fica perto do bairro onde vivo e sabe-me bem ir até lá admirar e contactar com a natureza, respirar ar puro, fazer exercício percorrendo os caminhos do jardim, há sempre mais alguma coisa para descobrir. É de facto um jardim lindíssimo, que reúne centenas de espécies vegetais, frondoso pelas árvores e arbustos tropicais que o decoram e recortado com muito bom gosto por belos lagos, caminhos e estufas artísticas, sem esquecer a variedade de patos e os imponentes pavões. Faz pena assistir à degradação dos jardins ex-líbris de Lisboa. São espaços fundamentais de bem-estar e qualidade de vida, mas constituem também património natural, histórico, cultural e turístico que se perde. Será assim tão difícil encontrar uma saída para reunir recursos que assegurem a manutenção destes jardins? Gasta-se tanto dinheiro mal gasto! A culpa é da crise?"

Bartolomeu disse...

Paira por lá um fantasma, cara Drª. Margarida, chama-se "Colonial"... buuuhhhh que medo!

jotaC disse...

Caro Drº Ferreira de Almeida,
Um património a mostrar sinais de desmazelo...mas já antes da crise!...

Suzana Toscano disse...

Caro Henrique Pereira dos Santos, a Presidência da república não pode "apropriar-se" do que não faz parte do seu território :)