Número total de visualizações de página

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Os 32 da mão estendida


Entre eles, muitos, quase todos, dos maiores críticos da União Europeia. Afinal, o grande objectivo da crítica é obter mais uma esmolita. Para que tudo continue na mesma. 
Estranhos modos de vida destas elites, andar sempre de mão estendida!...

5 comentários:

António Barreto disse...

A outra mão é para brandir o chicote aos huguenotes".

Tavares Moreira disse...

Esta atávica postura de distintas elites (por critério jornalístico), insistindo na INADIMPLÊNCIA ao ponto de a projectar como grande desígnio nacional, dá realmente que pensar, caro Pinho Cardão.
Isto pode ser um sinal de decadência já sem retorno possível e, como tal, é muito, mas muito preocupante.

João Pires da Cruz disse...

O Reis é um sujeito com muito azar no mundo onde nasceu. Passa a vida nisto, é cartas, é protestos, é manifestos, é processos... Não me queixo, porque enquanto anda nisto não anda a dar aulas, mas na deixo de ter uma certa pena do homem. Deve ser duro ser a única pessoa que tem razão neste mundo.

luis barreiro disse...

"Estranhos modos de vida destas elites, andar sempre de mão estendida!..."
Estranho? Se eles todos vivem á custa da teta do estado, logicamente puxam a brasa para a sua sardinha. Só quando o estado não tiver dinheiro para pagar as suas mordomias, nem houver alguém que empreste, é que o discurso mudará.

Pinho Cardão disse...

Caro João Pires da Cruz:
De facto, e balanceadas as coisas, é bem melhor andar entretido nisso do que a professorar na Faculdade de Coimbra.