Número total de visualizações de página

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Assim vai a Europa...

A minoria de bloqueio voltou atrás. Ainda bem porque o Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados é hoje mais preciso do que no passado. Foi corrigido um erro, mas fica a interrogação sobre o que mudou de lá para cá no panorama europeu para que a minoria de bloqueio se tenha reconvertido à evidência da pobreza que alastra na Europa, com milhões de pessoas sem capacidade de satisfazer uma necessidade tão básica como a alimentação.

4 comentários:

Suzana Toscano disse...

Estarão mesmo assutados?

Anónimo disse...

Não sei. Mas sei que o retrocesso é prova de sensatez...

MM disse...

Talvez seja só uma questao do "politicamente incorrecto", mas nao posso deixar de pensar no que ouvi, há uns anos, "ao vivo e a cores", Sergio Vieira de Mello dizer: "só cerca de 5% da ajuda internacional chega ao destino e aos efectivamente necessitados". E se Sergio Vieira de Mello conhecia bem o Mundo e sabia do que falava! Ora, em mare de crise financeira...

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Ficaram assustados de repente? A situação que se vive na Europa é para estarmos todos muito assustados. Já ninguém tem certezas de nada, Suzana.
Pois é, José Mário, bom senso e lucidez têm faltado. E sensibilidade social também. Os cidadãos começam a estar mais atentos do que nunca.
Caro MM
Bem lembrado, mas estou em crer que os excedentes que nos são entregues chegam à mesa das pessoas carenciadas. Estes excedentes são geridos por entidades idóneas, como é o caso do Banco Alimentar, e são canalizados para as instituições de solidariedade social que por estarem muito próximas das populações têm condições para garantir que as ajudas são dadas a quem realmente precisa.