Número total de visualizações de página

terça-feira, 8 de novembro de 2011

A informação, produto tóxico

Irritante e intolerável é ouvir o serviço público de informação, RDP, a dar informações falsas aos ouvintes. De mais a mais, quando essa informação vem dos seus comentadores especializados. Hoje de manhã, o especialista em economia da RDP referiu que o plano recapitalização dos bancos iria permitir a reabertura do financiamento às empresas, completamente bloqueado.
É falso; não vai!
Não vai, porque os Bancos estão obrigados pelos Reguladores europeus a baixarem o rácio Crédito concedido em relação aos Depósitos de cerca de 150% para 120%, em dois anos.
Mesmo que os principais Bancos portugueses estivessem super capitalizados e sentados em almofadas de dinheiro, não estariam em condições de dar um cêntimo à economia, por força da obrigatoriedade do cumprimento daquele rácio. É um paradoxo tecnocrático, mas é assim. Compete ao Governo removê-lo, em conversações com a Troyka.
O especialista económico da RDP devia saber isto. Tinha essa obrigação estrita. Assim, engana os ouvintes e anda a espalhar falsas expectativas. Falar do que não se sabe é mais um produto estruturado, mas bem tóxico, do serviço público.

4 comentários:

Tonibler disse...

Ora, caro Pinho Cardão, gabo-lhe a paciência de ainda detectar as asneiras dos comentadores "económicos".

(Aliás, ilustríssimos estudiosos da matéria :) já chegaram à conclusão que capital não interessa para nada há muito tempo)

Rui Fonseca disse...

Claro que a recapitalização é uma treta.

Mas há quem tenha opinião diferente:o senhor C. Santos Ferreira, por exemplo.

Anónimo disse...

A ignorância deixou de ser tóxica entre nós, Pinho Cardão. Dela se alimentam os mais sábios e inteligentes que a exibem sem qualquer rebuço ou pingo de vergonha. E ainda recebem pela exibição! Ignorâncias "sabidas", é o que é..

Eduardo Freitas disse...

Acompanho, com veemência, os comentários que zurzem, com inteira justeza, nos inúmeros iliteratos que nos atazinam diariamente nos media. Mas o que verdadeiramente se me torna insuportável é pensar que, enquanto contribuinte, sou obrigado a pagar a esta gente para ir perorar idiotices e ignorância nos meios de comunicação estatal.