Número total de visualizações de página

domingo, 20 de novembro de 2011

Justiça: a única alternativa

"...Alguns magistrados do Ministério Público é assim que gostam que as coisas aconteçam. Incapazes de produzir prova irrefutável, não desarmam. Para eles a maior prova é a sua própria convicção. Não serve em tribunal, mas serve-lhes a eles...
...Perder soberania para os funcionários de 7.ª linha da troika é coisa pouca comparada com esta prepotência de uns quantos senhores da justiça em relação a todos os portugueses. Prefiro ouvir os disparates dos funcionários da troika, mesmo quando eles se metem onde não são chamados,
do que ver milhões de portugueses acreditarem que podem julgar alguém com base no circo a que assistem nos órgãos de comunicação social...
... Eu não quero cidadãos do meu país com a opção de serem condenados, por serem poderosos, na praça pública ou nos tribunais.
A única alternativa que pode haver é a de serem condenados porque se prova a sua culpa ou inocentados porque não se prova a sua culpa..."
Paulo Baldaia, no DN de hoje

2 comentários:

Tonibler disse...

Quando ouvi a expressão "funcionário de 7ª linha" aplicada pelo Ulrich aos técnicos da troika apeteceu-me dizer-lhe "...e isso não diz nada da 1ª linha portuguesa?".

Quanto à apreciação que é feita da justiça, é bom recordar que a única parte da soberania que nos resta é a do poder judicial. Esse é tão bom que não o poderíamos passar para Bruxelas.... Mas gostava que estas manifestações se fizessem todos os dias e não quando este lixo que nós todos produzimos cai em cima daqueles que nos são mais próximos ou mais conhecidos. Já que não é possível sair do Euro ou da UE então sejamos europeus em tudo e encerremos de vez a justiça portuguesa. Perdemos o quê? Os processos atrasam-se, é?

MM disse...

Permito-me, aqui, citar Eduardo Damaso: "As buscas vergonhosas - Ainda nao se sabia o que aconteceria ao Duarte Lima e já a praça estava inundada de carpideiras preocupadas com a honra. A Ordem dos Advogados já tinha um representante nas buscas mas, mesmo assim, um dos seus responsáveis foi ao local. Provavelmente para se assegurar de que ninguém lhe batia... O Procurador Geral foi ao ponto de dizer que as buscas eram 'vergonhosas'. O que eh vergonhoso eh a forma como esta gente condiciona a justiça. Foi assim na 'Face Oculta', agora marcada por uma ameaça, essa sim, vergonhosa, do PGR a um inspector e a um procurador, e vai ser assim com Lima. Os investigadores acabarão a ser investigados e ultrajados pelo mais togados da Republica".