Número total de visualizações de página

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Os pesadores de palavras


A jornalista diz que Miguel Relvas pressionou e ameaçou. E tem todas as edições do jornal para reafirmar que sim.
Miguel Relvas diz que nem pressionou e, muito menos, ameaçou.
A ERC iniciou um Inquérito. O Parlamento pressiona por outro Inquérito.
Palavra contra palavra, não sei que poderão os inquisidores concluir. A não ser que meçam o peso da palavra de cada qual. É isso: no fim, terá razão quem tiver a palavra mais pesada.
À falta de mais ou de melhor trabalho, o pessoal vai-se entretendo a pesar palavras.
A nós o que nos pesa é o que pagamos por esta sofisticada forma de diversão, apresentada como trabalho árduo. Mas com dignidade constitucional, "pour épater le bourgeois"!...


23 comentários:

Bartolomeu disse...

"O homem tem cara de sacana!"
-Afirma a minha vizinha Maria Carqueja, antiga vendedora de feira- basta-me olhar para eles, topo-os logo, à distância... vêm com aquele rizinho meio apaneleirado, e julgam que enganam a gente.
Mas não sô Baartolomeu, já cá cantam muitos a carregar debaixo de sol e de chuva, para ganhar o pãozinho prós filhos.
Mas ó D. Maria, olhe que o "ar" das pessoas pode enganar.
Olha-me de soslaio; - a mim não me enganam eles, quando nos vêm comer à mão, é porque precisam de nós... depois, esquecem-se de quem trabalha duro e de quem confiou naquilo que eles prometeram... metem-se lá naquele palácio em Lisboa, a discutir uns com os outros, na sacanice, mas no fim... o que eles estão é a puxar a brasa á sardinha deles, no fim, são todos amigos e almoçam e jantam juntos e com um bocado de jeito, ainda se riem d'agente...
- É capaz de ter razão, D. Maria...
-Pois tenho Sr. Bartolomeu, pois tenho, mas olhe, também não faço conta com eles, para nada... ando cá na minha vidinha e nem quero saber do que é que eles conversam, aquilo são lá querelas entre eles, para andarem entretidos.
-Acha?
- Não acho, tenho a certeza! Olhe, se eles tivessem ido para lá, com a intenção de fazerem aquilo que prometeram ao povo, não lhes sobrava tempo para estas palhaçadas. Mas eles dão o cu e oito tostões para andarem na gabarolice. Esse é que é o mal! Parecem aquele galo que ali tenho... tá a vê-lo?! Anda sempre naquilo, todo empretigado de reoda das galinhas, mas não cobre nenhuma.
(às tantas... nas próximas eleições legislativas, vou ter de votar na Ti Maria Carqueja... assim ela se proponha...

Caboclo disse...

estás a dizer palavrões Bartolomeu ? esse negócio de dar o c. é especialidade socialista ....especialmente do franciu ..tu já votaste nele ..confessa..

tens coragem para confessar ou não ?

Caboclo disse...

ahaho esse galo aí da ti Maria deve ser socialista...ahahah...

Caboclo disse...

A mim por dizer palavrões bem menores e muito mais bem aplicados ..já me censuraram neste blog dezenas de vezes ...mas não tem problema ..eu adoro o efémero..

Bartolomeu disse...

Tens de ter paciência, brazuca, e saberes reduzir-te à tua mísera insignificância.
Sabes que esta coisa de referir palavras que fora de contexto podem ofender a integridade das pessoas, é um exercício que obriga a alguma destreza de raciocínio, logo, inacessível a muitos.
Além do mais, eu gozo de um privilégio que me permite escrever com liberdade, chama-se este privilégio, razão.

De todo o modo, dá-te por satisfeito porque, se fosse eu o editor do blog, já te tinha mandado dom os porcos ha uma eternidade.
Aproveita a benevolência destes quartarepublicanos.

Pedro disse...

Pois....mas olhe que não é :

- A palavra de um contra o outro,
foram varios telefonemas, e varias jornalistas que o confirmam.


Mais:

- A directora telefonou ao Relvas, a transmitir que a pressão era inaceitavel...e o Relvas pediu desculpa.


(esta parte todos confirmam!)

Mais :

- Por hipotese, é mais logico/credivel que seja o Jornal que está a inventar uma conspiração contra o Ministro nº 2... ?
ou é mais logico/provavel que o Ministro nº2 tenha pressionado, e agora tente negar ?



Ou seja, perante tudo isto... mesmo que no final, se fique pelo :

- É verdade!
- Não! é Mentira!

De certeza absoluta que todas as pessoas minimamente de bem, já perceberam tudo.

Haverá depois as que pretendem desculpar e desvalorizar (vide: Mario Crespo, e etc), e as que mesmo sendo do PSD o consideram inaceitavel.


É tudo uma questão de caracter e espinha dorsal: uns teem... outros nem por isso !

Caboclo disse...

iii ficaste raivoso Bartolomeu ..quer dizer que votaste nele mesmo..não tens um pingo de vergonha.
Vens para aqui contar historinhas da Ti Maria ..queres enganar quem? Suprema Sabedoria...Razão ...LUZ Dono da Verdade ..
Sinto o peso de tua imensa sabedoria que me verga na minha gigantesca ignorância...
Sou realmente hiper-ignorante ..mas não tanto que me leve a ter votado no rasteiro.

Caboclo disse...

Jag är okunnig, men jag kan tala svenska

Caboclo disse...

och du?

Bartolomeu disse...

O meu tradutor do google também...

James Dillon disse...

Sobre a discussão na praça da pública nem uma gota mais emprego de raciocínio, já caiu como foi referido no peso da palavra, só por si falacioso o que indubitavelmente resultará numa novela igual a centenas de outras, arre que somente este breve vislumbre do caso resultou num enfado cognitivo arrepiante e caem-me aos pés bocados duros de espírito destroçado.

Todavia em vista do embate entre ideias não pude deixar de reparar muitas vezes o medo de empregar o bonito vernáculo que nos cerca e aplaudo quem realmente o usa de forma coerente misturado de forma uniforme na massa de informação que busca comunicar, tudo em correcta sintonia do pensar com o dito sem filtros tolos e desproporcionais,

deixem-se por favor como já inúmeras vezes assisti de colocar o palavrão e ao mesmo tempo censurá-lo chamando ao mesmo tempo a quem observa estúpido: p..., o quê?, assim já não existe? ou o usas com propósito superior ao mero rasgar das normas do consuetudinário ou não uses, agora deixem-se de atitudes montadas em cima de cavalos altos e olhares de esguelha para quem vos vê,


no fim da equação deixem-se de Schadenfreude,


cumprimentos,
JD

Pinho Cardão disse...

Caro Pedro:
Pois é. Há pessoas que têm o condão de ler à distância o que outros dizem. E de prescrutar a intenção dos outros. E daí de concluir o incluível. Pela condenação, claro está! Nada de novo: a inquisição também assim fazia. Os inquisidores andavam de espinha direita; os condenados, desgraçados, andavam com ela vergada pela tortura.

Caboclo disse...

ehehehaha. ..pois é ..p. assim já não existe ..muito bom ..

E tu ó Bartolomeu tens vergonha de dizer que votaste em socrates ? diz lá ilustre sapiência..desembucha..
Nos últimos 40 anos a tua galera domina a comunicação social a quem tratou de comprar o .
Fernanda Câncio e a São José Almeida são os expoentes .
So far, only ghosts
Traurigkeit

Tonibler disse...

Caro Pinho Cardão,

só se perdem as que caiem no chão...

Ilustre Mandatário do Réu disse...

Caro Bartolomeu,

Depois de uma semana a trabalhar no duro (e com muito gosto). Devo dizer-lhe que muito apreciei o comentário do meu amigo. O riso é para mim a melhor coisa que saboreamos neste curto vaguear pela esfera.

Cumprimentos,
IMdR

Bartolomeu disse...

Sábia conclusão, caro Mandatário!
Pena é que alguns risos tenham sabores tão amargos...
;)

Ilustre Mandatário do Réu disse...

Caro Bartolomeu,

Não se esqueça da parábola das três mulheres do nosso amigo Massano Cardoso. A vida vive-se de braços bem abertos na alegria e na tristeza.

A bica também é amarga ;)

Cumprimentos, IMdR.

Pedro disse...

Caro Pinho,

na sua resposta ao "Pedro" concordo plenamente com a analogia á Inquisição! ...mas...

...não chegaria ao ponto de chamar Inquisidor ao Relvas !

Tambem não me parece que o Publico e respectivos jornalistas sejam propriamente "Bruxas" !

Estranho um pouco é que a sua perspicacia e bagagem cultural, lhe permitam (mesmo que suavemente) vislumbrar na opinião do Pedro, uma postura que o levou a relembrar a Inquisição...

...mas em simultaneo, na situação do Relvas/Publico, já não consegue vislumbrar nada. È um pouco estranho!

Para mim, e sem andar tanto para trás, até á Inquisição, bastará recuar 50 anos e olhar a historia de portugal desses tempos, talvez se perceba o perigo de ter Ministros a ameaçar Jornalistas!

(e este facto, até o Relvas reconhece tendo inclusivamente pedido desculpas...donde não é especulação, é antes a realidade, q muitos fingem não ver!)

Caboclo disse...

Só tem brincalhões espertalhões na área ..
Esta galera se esquece que jornalismo também é denuncia..
E hoje alguns blogs são trabalho de jornalismo quer esta quadrilha queira quer não.
E o brincalhão do Pedro não sabe que há bem pouco tempo ..não 50 anos ..mas 5 anos ..o chefe da galera da quadrilha " o falso " ou "o rasteiro" também conhecido por pinóquio..mandou a policia a casa de Antonio Balbino Caldeira, o maior dos patriotas , que divulgou no seu blog doportugalprofundo a fraude que foi a licenciatura mais manhosa da história de Portugal. Mandou a policia ..vasculhou a casa dele colocou-o em tribunal ..VOCE SABIA DISSO PEDRO ????Sabe nadaaaaa!!!!!!
Acha que isso é pressão ?Fala sério...
E qd estourou o escândalo Freepor( sem t por causa do inglês técnico)o rasteiro não sossegou até ter comprado a TVI com dinheiro publico da PT..e afastar a jornalista que o denunciava ..

ISSO É PRESSÃO PEDRO ? fala sério...

O que essa galera sabe sobre PRESSÃO ? PERGUNTEM A ANTÓNIO BALBINO CALDEIRA O QUE É PRESSÃO..

Pinho Cardão disse...

Caro Pedro:
Utiliza uma argumentação vistosa, mas limita-se a atirar para o lado, e fica longe do golo. Argumentação "pour épater le bourgeois".
A questão essencial é a de que estão duas palavras em confronto. E que, em princípio, valem tanto uma como a outra, têm o mesmo peso. As conversas não foram públicas, ninguém mais as conhece. O que se pode conhecer é o que os interlocutores dizem ou disseram. Perante isto, o meu amigo argumenta na base de pressupostos que pessoalmente construiu e, sem mais, valora uma palavra em relação à outra. E chega a dizer que "bastará recuar 50 anos e olhar a historia de portugal desses tempos, talvez se perceba o perigo de ter Ministros a ameaçar Jornalistas"!...tomando como pressuposto de partida e como verdadeira essa ameaça, para além de vir com o, a meu ver, despropopositado argumento da situação política em Portugal de há 50 anos, como se tivesse algo a ver com o que se passa.
Não conheço de todo a jornalista em causa, como, no todo, nunca terei falado com o Ministro Relvas mais do que um minuto somado, em três ou quatro cumprimentos de ocasião.
Por isso, não tomo partido por nenhum.
Ao contrário, outros já pesaram, julgaram e condenaram. O julgamento popular está feito. E vai continuar, o condenado vai continuar a ser assado em lume brando.
Por outro lado, pagamos e sustentamos uma ERC, que pode servir precisamente para esclarecer casos como este, se é que pode ser esclarecido. Nem já esse julgamento virá a tempo.
Cada qual faz justiça por suas mãos. Um retrocesso civilizacional, mas que muitos apoiam.

Pedro disse...

Caro Caboclo:

nada do que tenha acontecido no passado (Licenciatura, Freeport, TVI, etc) pode servir para que fechem os olhos no presente.

Se olharmos para trás, podemos até ver "um Adolf a brincar aos comboios cheios!" (se é que me entende), mas não é por isso que devemos aceitar "erros mais levezinhos" no futuro.

Os erros do passado não justificam os erros do Futuro.

Assim como os erros do presente, não desculpam os do passado.

Cada coisa é uma coisa, pelo que deverá ser avaliada e julgada por si só (com o devido enquadramento de contexto), mas não desculpabilizada ou agravado pelo passado de outrem.

Ou seja, como o Socras entrou pela casa do Balbino a dentro...vamos dar como aceitavel que agora todos espreitemos pelas janelas do Balbino?
Não acredito nem defendo isso. Se o Socras entrou e pressionou o Balbino temos de condenar. Se mais alguem pressionar outros, devem tab ser condenados por nós. Tout court!!

Pedro disse...

Caro Pinho:
acha que eu continuo a chutar ao lado e até longe do golo...mas "olhe que não, olhe que não" !!!

Talvez seja mesmo o seu campo que esteja inclinado...ou a baliza que ande sempre a fugir !

Se não vejamos:
"O que se pode conhecer é o que os interlocutores dizem ou disseram."

Pois daqui...apenas e só daquilo que os interlocutores disseram, já todos vimos, que pelo menos um dos interlocutores já disse e desdisse !

Esse mesmo interlocutor, tb confirma que "ligou a pedir desculpas", pelo que podemos concluir que todos os interlocutores, confirmam que existiu algo pelo qual o Ministro sentiu necessidade de se desculpar.

Esse mesmo interlocutor, sobre o assunto que gerou esta situação - "Espião e contradições do Ministro na Comissão Parlamentar" - tambem é sabido que já disse e desdisse, que não conhecia mas afinal até jantou, entre outras contradições.

Ora perante isto, e num plano meramente analitico, parece-me que o tal pesso especifico da PALAVRA de cada um dos interlocutores já tem dimensões diferentes. Não me parece nada sensato (independentemente das divisas de cada um), dar uma ponderação e valor a quem apresenta um discurso coerente, linear e até ver sem contradições, e em simultaneo perante um discurso titubeante, que vai alterando a versão, e de quem já se tem como certo "inverdades/esquecimentos" bem recentes e concretos perante uma Comissão Parlamentar.

Ou seja, considerar tudo branco e limpido, com todos estes dados na mesa...isso só por si, é estar já a desviar a baliza do sitio.

Assim, é normal que não se marquem golos.

Quanto aos "50 anos", e quando o PinhoCardão me aponta o "para além de vir com o, a meu ver, despropopositado argumento da situação política em Portugal de há 50 anos, como se tivesse algo a ver com o que se passa. "

Basta que suba um pouco nos comentários, e reveja a menção á INQUISIÇÂO...que percebo perfeitamente foi meramente uma imagem, mas que por si só já dá como aceite : "uma perseguição" !
Ora no plano das suposições e ideologias tem tanta validade evocar a INQUISIÇÂO(e persiguições), como evocar a CENSURA(e pressão) - são exactamente as mesmas posturas, de lados distintos da fronteira, mas adveem ambas de uma "posição pessoal sobre o assunto"!


Resumindo, tenho a certeza q o Relvas não é a PIDE. Mas tb tenho a certeza que os jornalistas do Publico não são INQUISIDORES qa querer o Relvas na fogueira.

Mas , e aqui tem de concordar, neste caso concreto:
um Ministro a telefonar para um Jornal (confirmado por todos!) a dizer que...e mais que...! Depois a ligar a a pedir desculpa ... (reconhecendo um erro proprio)!

Não julgo ser a postura mais democratica e digna para um Ministro da Republica.

E neste ponto não há "especulação" nenuhuma : São Factos conhecidos de todos, e Principios Morais que acredito e defendo pessoalmente.


P.S - obgd, pela: "argumentação vistosa" : mas lhe garanto que é a essencia da mesma que me faz escrever! em jeito de brincadeira : para bonito, tou cá eu !!! ,o)

Pinho Cardão disse...

Caro Pedro:
Pois muito bem. Gostei deste bocadinho. Tudo o que mais for dito parece que será falar em redondo. Diverjamos pois, em harmonia.