Número total de visualizações de página

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Uma camarata para o Parlamento!

Mais um Ministro chamado ao Parlamento.
Proponho que o Governo passe a dormir por lá. Os Senhores Deputados, com os Ministros à mão, ficam mais tranquilos na função fiscalizadora. Se os Ministros têm tempo para governar o país? Mas que interessa o país, perante o interesse dos Senhores Deputados?

3 comentários:

Jorge Lucio disse...

Caro Pinho Cardão,

Acha mesmo que esta questão das secretas é de "lana caprina"?

Não sei, nem me interessa, se este Silva Carvalho de que se fala foi nomeado pelo PS ou PSD. Mas nem tudo é uma brincadeira, e a AR não deve eximir-se às suas obrigações de fiscalização. Pena é que se veja esta questão com olhos diferentes quando se simpatiza com o Governo ou com a Oposição.

Pinho Cardão disse...

Caro Jorge Lúcio:
Nem me estava a referir concretamente a questão nenhuma. O que queria salientar é que é constante a chamada dos Ministros à Assembleia da República, por tudo e por nada, numa forma folclórica de fazer política, e colocando a Assembleia num mundo perfeitamente virtual, longe do que é importante para a resolução dos problemas nacionais. A constante chamada de Ministros é uma forma de chicana política que indignifica o Parlamento. Deste modo, tudo se nivela por baixo, o importante, o menos importante e o que nada interessa ao país. Para os Ministros é uma pura perda de tempo, tanto mais que vão normalmente responder a perguntas para as quais já deram mil vezes resposta. E uma falta de respeito para com os portugueses, que querem os Ministros a trabalhar para e pelo o país, e não em conversas sem utilidade com os Deputados.
Se isto acontece com todos os partidos da Oposição? Mais ou menos, que sempre acontece, mas com abuso maior das oposições de esquerda. De qualquer forma, é um ponto fraco do nosso parlamentarismo, que deveria ser resolvido. Deveria...se o pessoal político não se reproduzisse com os mesmos defeitos.

Bartolomeu disse...

O melhor comentário a este post, foi dado já pelo meu co-comentador Toni Bler, no anterior post intitulado "O sexo da Agenda" - «"mentiu", "não menti", "mentiu"».
Enquanto ministros e deputados gastam tempo nesta discussão, ganhamos nós, porque lhes faltará tempo para decidir as parvoices que têm saído daquelas doutas cabecinhas.