Número total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Os donos da RTP

Afinal, parece que quase toda a gente, partidos políticos da oposição, centrais sindicais, pensadores mediáticos, não querem mudanças na RTP e querem a RTP tal como está. E as estações privadas fazem barragem informativa contra a privatização.
O que criticavam a cada momento passou a ser bom do dia para a noite. Os pensadores acham que o serviço público é óptimo e bem distintivo  do serviço privado.
Não admira. Estão sempre lá. Apropriaram-se do serviço público para as suas acções privadas. Tornaram-se os verdadeiros donos da empresa. Com os outros a pagar. Custe o que custar!...
PS: Li que o CA da RTP se sublevou publicamente contra a anunciada privatização. Mas eles não foram nomeados pelo Governo apenas para gerir a empresa? E continuam por lá?

11 comentários:

Massano Cardoso disse...

Claro que não querem. A RTP passou, de repente, a ser a vaca mais sagrada de Portugal. Se matam a vaca, deixa de haver tetas, deixando de haver tetas não há leitinho... Afinal dizem que até dá lucro. Resta saber quem é que anda a ficar com o lucro...

Tonibler disse...

A grande vantagem de não haver dinheiro é que se não acabarmos com a RTP alguém acaba com o estado. E com ele a RTP. Resta saber se essa solução não resolveria tudo de uma vez só...

Sid disse...

Que miséria de país!
Não há tempero (bom senso). Isto é assim: Querem uma coisa, quando não a conseguem como desejam, já não querem, e, partem logo para o outro extremo, todos ofendidos. Visto assim até parece coisa de meninos mimados e malcriados.
Vós que sois a nata que o povo elege para governar os seus destinos, andam a fazer o quê? Andam é numa lide de ego e caprichos?
Vamos lá ver uma coisa:
- O trabalho da RTP é ou não é uma acção de cidadania?
- O arquivo da RTP, é ou não é um documento único da Historia recente de Portugal (património de Portugal)?
- Todos nós pagamos a taxa o que resulta em 140 a 150 milhões de euro ano, certo?
Vamos lá ver o que esta mal:
- Média salarial 40.000 euros: MAAU...
- Média do "esbanjamento" diário dos últimos anos: 1 milhão de euros: UM ROUBO!
O que eu penso ser o mais lógico a fazer:
- Reestruturar a RTP por forma a que se ajuste a sua manutenção e funcionamento aos valores das taxas.
-Tudo o que estiver a mais, simplesmente, deixa-se para traz.(borda fora)
- Os ordenados dos artistas que por lá andam, reduzidos a valores compatíveis com a gestão da receita.
- Os que não aceitarem, que vão procurar trabalho para onde bem entenderem.(borda fora)
E não venham com a lenga-lenga dos direitos adquiridos, é graças a eles que o país esta atolado. Há milhares de portugueses a enfrentar desemprego e falências, eles também tinham direitos, que até à pouco tempo, julgavam adquiridos.

Tonibler disse...

Caro Sid, isso não foi sempre assim nos últimos 4000 casos de empresas públicas que se discutiu??? E desses 4000 casos em que 10 eram relativos à RTP, resolveu-se alguma coisa?

Anonymus disse...

Ena pá, este vício da RTP ao fim de 20 anos dá quase outro gamanço como o do BPN, não é?

Sid disse...

Caro , não sei se foram 4000. Sei que quando começam uns a puxar para um lado e outros para outro é o principio para tudo fique na mesma ou pior. Sei também que as anteriores discussões não foram hoje, foram no passado, no tempo em que ainda não estávamos no limite.
As pessoas tem o dever de entender a situação do país, nos tempos que correm não podemos estar a aguentar um sector público tão dilatado e muito habituado ao regabofe. Cada dia que passa a pouca economia que possuímos vai diminuindo, se não se fizer cortes no sector público como vamos evitar a falência do país? Quem vai pagar os ordenados dessa gente? O BCE? O FMI?
Vender a RTP é das ultimas coisas a fazer no combate ao défice. Acima já deixei a minha opinião ao que deve ser feito em relação a esta, mas volto a repetir: que se ajuste o funcionamento e manutenção da RTP aos valores da receita das taxas, o que estiver a mais, simplesmente fica de parte. O sector público não é uma galinha de ovos de ouro. É um galo, e, este está muito gordo, preguiçoso e atrofiado, tem de fazer e dieta e exercício físico.

(c) P.A.S. Pedro Almeida Sande disse...

Esta luta insana dos interesses não leva a lado nenhum. Cada vez me convenço mais que portugal só poderá recuperar com todos os que nunca estiveram envolvidos na coisa pública. Todos os outros já provaram que: ou são pouco sérios; ou demasiado gananciosos; ou demasiado cobardes; ou incompetentes.
Concordo com o Sid: o problema é um problema de gestão (da má gestão que põe interesses privados sempre acima dos públicos).
Aliás, como gestor, acho imensa graça aos donos das "boas práticas" serem quase todos juristas... Nunca mais "sai" uma lei que não permita aos juristas chamarem-se de gestores?

Se precisarem de um gestor (daqueles formados em escolas públicas sem lugar a equivalências) com bom senso e não ganancioso é só contactarem-me: não "gamo", sou parcimonioso na utilização da coisa pública, tenho bom senso, sentido de responsabilidade, de justiça, experiência e formação actualizada do que são boas práticas de gestão...

Ah, pois é, o lugar já tá tomado por uma Vera Pereira!

Ilustre Mandatário do Réu disse...

Donos não digo, porque somos nós os que pagamos a conta. Agora monos...

Tiro ao Alvo disse...

O que aconteceria se o governo decretasse o encerramento do canal 1 da RTP?

Sid disse...

Sr. T ao A, se tal acontecer e você estiver por perto, corra para bem longe, é que a polícia de choque malha em tudo o que aparece pela frente.

Tonibler disse...

Se chegarmos ao Verão de 2013 com a RTP no portfólio de empresas do estado, o governo deve demitir-se e a troika deve assumir que o estado português não tem solução. Se nem aquela porcaria consegue...