Número total de visualizações de página

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Espanto e mais espanto!

Isto há coisas verdadeiramente espantosas para justificar a existência!...
Então não é que o Secretário de Estado da Energia informa a nação que está a iniciar "uma reflexão ao nível do planeamento energético que irá partilhar com mais membros do Governo", de forma a retirar taxa audiovisual da factura da luz?
Mas o energético Secretário de Estado não se fica pela reflexão, quer um debate sobre o magno tema. Aliás, já tem "um estudo interno sobre essa matéria, que vai dar início a um debate".
De qualquer forma, mesmo antes do início da reflexão e do debate, está em vias de chegar a uma conclusão: "estamos a chegar à conclusão de que (a taxa de televisão) se trata de um subsídio cruzado dos consumidores de electricidade para os de telecomunicações". O que "não é equitativo, não é coerente e não é eficiente", realçou Artur Trindade.  
Muito bem!
Um verdadeiro governante: reflecte, estuda, debate e conclui, logo no início da reflexão. E que conclusão! Um subsídio cruzado, imagine-se!...E, pelo singelo facto de ser cruzado, não é equitativo, nem coerente, nem eficiente.
Estou de acordo quanto a esta última qualificação. Se não é eficiente, acabe-se com ele e com o serviço a que se destina!... 
Mas isso já não quer o energético governante. Ele até gosta do subsídio, quere-o é cruzado nas telecomunicações!...
Cruzado ou descruzado, no fim ficamos com a mesma cruz. E ainda tendo que aguentar com as saloias reflexões do governante. 


4 comentários:

Manuel Silva disse...

E quando é que o secretário de Estado Artur Trindade termina o estudo, a reflexão e toma a decisão, para se poder dedicar a baixar as rendas excessivas (escandalosas) da energia?
Tudo baixa, ordenados, pensões subsídios de desemprego, etc., mas a mama destes senhores energéticos continua.
Ou terá medo que lhe aconteça o mesmo que ao seu antecessor, mal quis beliscar a corporação do senhor Mexia este tratou de o despedir e de abrir garrafas de champanhe para comemorar.
E a Siderurgia Nacional ameaça deslocalizar-se para Espanha (país de poços de petróleo, carvão, gás natural por todo o lado) onde, por causa desta riqueza toda, a electricidade custa menos 21%.
Estes liberais, que vivem em regime de monopólio protegido pelos poderes públicos que deveria todos defender, têm um piadão.
Gosto mesmo destes liberais (da treta), sempre agarrados à teta do Estado, o qual em palavras tanto abominam.
Já quanto aos de baixo, é carregar-lhes em cima: a austeridade não deixa margem, não é?
O país é pobre mas só para alguns.
Grande governo Robin dos Bosques ao contrário, este dos senhores Passos/Portas.


Luis Moreira disse...

Ainda me excitei...

Bmonteiro disse...

De caminho, pode criar uma "Comissão de Acompanhamento para a Reforma da Taxa Audiovisual" (CARTA).
Na Defesa, aparentemente sem chefes militares competentes para a mudança, criada a CARDN: Comissão de Acompanhamento para a Reforma da Defesa Nacional.
Somos assim.

Suzana Toscano disse...

Caro Bmonteiro, é melhor não dar mais ideias!, ainda lhe pegam na palavra...