Número total de visualizações de página

domingo, 16 de outubro de 2005

Era inevitável

Depois dos resultados obtidos pelo CDS/PP nas últimas autárquicas, adivinhava-se a forte contestação ao líder e áqueles que o acompanharam. Sobre o ambiente no partido as declarações da Drª Maria José Nogueira Pinto, citadas hoje pelo DN, não deixam lugar a dúvidas sobre a tempestade que se está a formar e o que para aí vem:

«Nogueira Pinto aponta o dedo aos militantes conotados com Portas. "Querem transformar o CDS num parque de brinquedos ou num circo para porem notícias nos jornais. É pura traquinice. Infelizmente é também por coisas como estas que já quase ninguém quer estar neste partido. Mas este tipo de fitas comigo não pega. Comigo vêm de patins", assegura. E lança um aviso "Não sou um fantoche!"».

A política partidária está cada vez mais parecida com o futebol. Continuam a entrar petardos para dentro dos estádios e aos treinadores não se perdoa nem um só deslize.

Navalhas afiadas no Caldas. Lenços brancos à vista.


5 comentários:

MP disse...

Na São Caetano à Lapa, o 'ambiente' não é melhor.

crack disse...

Não sendo, sequer, simpatizante do CDS, muito menos sou "Portista", no sentido que os actuais dirigentes dão ao termo - tudo o que mexe à face da terra e não traz a bandeira do CDS/Ribeiro e Castro. A Portas o que é de Portas, o bom e o mau, e o CDS que tome conta de si, que já é um partido crescido, tão "velho" quanto a nossa democracia.
Acontece que este CDS não sabe o que é, o que quer ser, só sabe o que foi, no pior momento da sua história, e, em ímpeto suicidário,parece querer repetir a façanha.
Ou muito rapidamente este partido encontra o seu rumo, ou não serve para nada à democracia portuguesa, seja para eleger caciques locais, seja para eleger o representante da Nação. Nem se fala em viabilizar governo, que a circunstância recente que viveu, dificilmente se repetirá e a legislatura está "de maioria".
Maria José Nogueira Pinto tem qualidades e representa um valor seguro inquestionável, mas talvez esteja na hora de assumir as responsabilidades que esse estatuto lhe traz, sem se escudar atrás de primeiras figuras de mais do que duvidosa capacidade. Chegue-se a senhora à frente e vá a votos no partido, que tem muito boas possibilidades de se tornar uma agradável surpresa no panorama político nacional. Quanto ao Portas, deixem o seu fantasma em paz, ou não estão a fazer mais do que dar-lhe a visibilidade que o acusam de perseguir.
Ps - Boa chamada de atenção do comentador MP à situação na São Caetano à Lapa. O sucesso de Marques Mendes nas autárquicas é mais do questionável, e questionado, por muito que uma imprensa teime em dizer o contrário. Mas esta é outra saga, a resolver mais tarde.

cmonteiro disse...

De patins? ESTÁ EXPLICADA a proposta dela de substituição das pedras de calçada nos passeios!

Não dorme em serviço esta senhora!

O Reformista disse...

E a que se deverá a larga e musculada entrevista de Morais Sarmento ao Diario Económico? Sabotagem? A favor de quem?
Algum dos amigos é capaz de explicar a razão daquela entrevista?
António Alvim

Anónimo disse...

O António Alvim coloca uma boa questão.
A quem aproveita, de facto, a entrevista estranhíssima de Morais Sarmento?
Para mais tratando-se do ex-ministro de Santana Lopes que se não cansou de censurar Sampaio pela atitude política que agora reclama de Cavaco, se vier a ser eleito.
Não pode ser um caso de distraída incongruência.
Pode ser que aqui alguém explique que água é a daquele bico...