Número total de visualizações de página

terça-feira, 11 de outubro de 2005

Vitorino Magalhães Godinho

Hoje tive a honra inestimável de colaborar na apresentação do último livro de Vitorino Magalhães Godinho. Partilhei essa responsabilidade com o General Loureiro dos Santos e com o Sr. Presidente da Assembleia da República. Vitorino Henriques Godinho – Pátria e República (Edição da AR-D. Quixote) é a mais importante obra publicada sobre a história da I República portuguesa. Trata-se de uma biografia exemplar que combina a narrativa de grande erudição e rigor com uma visão profunda dos problemas da sociedade portuguesa.

O biografado, pai do autor, participou enquanto oficial de infantaria na Revolução de 5 de Outubro (uma descrição magistral!), foi deputado à Constituinte e ao Parlamento, participou na preparação do Corpo Expedicionário Português e integrou-o na sua 2.ª Divisão que combateu em La Lys. Posteriormente foi Adido Militar em Paris, Ministro dos Negócios Estrangeiros e Ministro do Interior, tendo mais tarde assumido a Direcção-geral de Estatística do Ministério da Fazenda de onde foi saneado por Salazar.

Através deste percurso, Vitorino Magalhães Godinho escreve não só a biografia, mas faz uma nova história da República.

Do melhor que tenho lido.

Com 87 anos, VM Godinho deixa um legado científico, cultural e cívico, a um País que pouco lhe deu e muito lhe recusou. O seu querer, a sua paixão pelo ofício de historiador e pela sua Pátria, ainda podem aumentar esse legado. Aqueles que, como eu, tiveram o raro privilégio de partilhar os últimos 30 anos do seu trabalho, sabem o valor inestimável desse contributo.

4 comentários:

Anthrax disse...

Ora bolas Dr. "D"! Não podiam ter escolhido uma Editora diferente? Tinha de ser a D. Quixote? Um livro tão interessante e pimbas! D. Quixote.

Passo a explicar. É que vai abrir uma livraria nova no centro histórico de Oeiras que se chama, "Folhas com História" (e de alguma forma estou metido nisso). O problema - que não é problema nenhum, é de propósito - é que a livraria é específica. Isto é, é uma livraria temática. Bom, mas o problema, é que os moços das editoras portuguesas têm alguma dificuldade em perceber que aquela livraria só vai vender títulos específicos e então acham que se queremos os títulos específicos também temos de levar com os títulos mais generalistas (o que, definitivamente, não irá acontecer). E agora como é que vamos pôr as mãos nesse livrito? Hmmm? Está mal... Bem, lá vamos nós ter de falar com os moços, para ver se eles vislumbram alguma luz, mesmo que seja no fundo do túnel.

David Justino disse...

Meu caro Anthrax,
como o compreendo, lá vai ter que levar com uns tantos monos.
Dê sinal quando a livraria abrir. A Vila de Oeiras precisa de um projecto desses e eu vou passar a dispôr de mais um pretexto para gastar o ordenado, mais perto de casa.
Cumprimentos e felicidades para a "Folhas com História".

Anónimo disse...

É o que dá a concorrência com publicidade gratuita neste Blog. Depreendo, meu caro David, que a prazo vou ficar sem um cliente...

Anthrax disse...

Caro Dr. "D",

Fique descansado, dir-lhe-ei quando tiver a certeza da data da inauguração.

Caro JMFA,

Não devia ver as coisas dessa forma. Isto não é concorrência nenhuma, é apenas algo diferente. Tá a ver a "motor books", em Londres? É quase a mesma coisa, mas num espaço muito mais pequeno.

De qualquer forma, fique descansado, depois quando for a inauguração, dê lá um pulinho e avalie por si próprio a "concorrência".