Número total de visualizações de página

sexta-feira, 21 de outubro de 2005

Um candidato e quatro comentadores

É impressionante como num discurso tão sucinto Cavaco Silva consegue falar aos Portugueses e responder q. b. às especulações que um pouco de todo o lado alimentaram a expectativa da sua candidatura. Com frases muito simples, mas de grande intensidade política, Cavaco Silva disse ao que veio, porque veio, o que quer e o que não quer.

O resultado viu-se nas “reacções”: Alegre, Jerónimo e Louçã não tinham por onde pegar e desataram a atirar ao lado. Soares já tinha descarregado a sua irritação durante o dia, salvando-o o comentário elegante e civilizado de Nuno Severiano Teixeira. Dá a sensação que todos esperavam por este momento para disporem de tempo de antena. Mais curiosa ainda a sensação com que se fica de estarmos perante um único candidato e quatro comentadores oposicionistas. Por este andar Cavaco Silva vai mesmo passear-se pela Avenida da Liberdade. É o único que se comporta como um homem livre!

4 comentários:

crack disse...

Talvez tenha razão quando diz que Cavaco é o único que se comporta como um homem livre. Mas é essa pose de superioridade distante que não lhe perdoam.

Ra disse...

A irritação do Dr. Soares é directamente proporcional à sua queda nas sondagens.
Soares não está irritado com Cavaco Silva, Manuel Alegre ou qualquer outro candidato; o que irrita Mário Soares é começar a ter consciência do erro que cometeu ao se recandidatar, que não é ele o salvador da pátria nem o fiel depositário da democracia portuguesa.

Faltou-lhe a agudeza de espírito para perceber que (parafraseando outro Presidente)«há mais Portugal e democracia para além de Soares»

Bart Simpson disse...

O que é um facto é que cavaco não disse nada. Falou de estabilidade. E de não se resignar.
Que disse verdadeiramente de importante? Nada.
O discurso foi preparado, o afastamento ao PSD também, enfim, a táctica previsível. A ver vamos se os "tugas" vão na cantiga...

Paulo Pisco disse...

Eu corrigiria, um candidato três comentadores e um homem irritado ou arrependido. Este último é, naturalmente, Mário Soares.

Mas o que Cavaco pode traser de novo é realismo no discurso, vontade de construir o futuro, mesmo sabendo não ser tarefa fácil.
Eu gostaria de ver debatido de forma realista as verdadeiras opções para o país, para que todos podessem "escolher" responsávelmente quem melhor pode "ajudar" a concretizá-las. Vamos ver...