Número total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Eu renuncio!

Neste momento de aflição em que todos temos de dar as mãos e deixar de olhar só para o nosso umbigo, correspondo ao apelo de quem nos governa e de quem apoia quem nos governa, faço pública parte da lista do que o Estado criou e mantém para minha felicidade, e de que de estou disposto a patrioticamente prescindir.

Assim:

Renuncio a boa parte dos institutos públicos criados com o propósito de me servir;

Renuncio à maior parte das fundações públicas, privadas e áquelas que não se sabe se são públicas se privadas, mas generosamente alimentadas para meu proveito, com dinheiros públicos;

Renuncio a ter um sector empresarial público com a dimensão própria de uma grande potência, dispensando-me dos benefícios sociais e económicos correspondentes;

Renuncio ao bem que me faz ver o meu semelhante deslocar-se no máximo conforto de um automóvel de topo de gama pago com as minhas contribuições para o Orçamento do Estado, e nessa medida estou disposto a que se decrete que administradores das empresas públicas, directores e dirigentes dos mais variados níveis de administração, passem a utilizar os meios de transporte que o seu vencimento lhes permite adquirir;

Renuncio à defesa dos direitos adquiridos e à satisfação que me dá constatar a felicidade daqueles que, trabalhando metade do tempo que eu trabalhei, garantiram há anos uma pensão correspondente a 5 vezes mais do que aquela que eu auferirei quando estiver a cair da tripeça;

Renuncio ao PRACE e contento-me com uma Administração mais singela, compacta e por isso mais económica, começando por me resignar a que o governo seja composto por metade dos ministros e secretários de estado;

Renuncio ao direito de saber o que propõem os partidos políticos nas campanhas pagas com milhões e milhões de euros que o Estado para eles transfere, conformando-me com a falta de propaganda e satisfazendo-me com a frugalidade da mensagem política honesta, clara e simples;

Renuncio ao financiamento público dos partidos políticos nos actuais níveis, ainda que isso tenha o custo do empobrecimento desta  democracia, na mesmíssima medida do corte nas transferências;

Renuncio ao serviço público de televisão e aceito, contrariado, assistir às mesmas sessões de publicidade na RTP, agora nas mãos de um qualquer grupo privado;

Renuncio a mais submarinos, a mais carros blindados, a mais missões no estrangeiro dos nossos militares, bem sabendo que assim se põe em perigo a solidez granítica da nossa independência nacional e o prestígio de Portugal no mundo;

Renuncio ao sossego que me inspira a produtividade assegurada por 230 deputados na Assembleia da República, estando disposto a sacrificar-me apoiando - com tristeza - a redução para metade dos nossos representantes.

Renuncio, com enorme relutância, a fazer o percurso Lisboa-Madrid em 3h e 30m, dispondo-me - mesmo que contrariado mas ciente do sacrificio que faço pela Pátria - a fazer pelo ar por metade do custo o mesmo percurso em 1 h e picos, ainda que não em Alta Velocidade.

Renuncio ao conforto de uma deslocação de 50 km desde minha casa até ao futuro aeroporto de Lisboa para apanhar o avião para Madrid em vez do TGV, apesar da contrariedade que significa ter de levantar voo e aterrar pertinho da minha casa.

Renuncio a mais auto-estradas, conformando-me, com muito pena, com a reabilitação da rede nacional de estradas ao abandono e lastimando perder a hipótese de mudar de paisagem escolhendo ir para o mesmo destino entre três vias rápidas todas pagas com o meu dinheiro, para além de correr o triste risco de assistir à liquidação da empresa Estradas de Portugal.


Seria fastidioso alongar-me nas coisas que o Estado criou para o meu bem estar e que me disponho a não mais poder contar. E lanço um desafio aos leitores do 4R : renunciem também! Apoiemos todos, patrioticamente, o governo a ajudar o País nesta hora de aflição. Portugal merece.

61 comentários:

Humberto Neves disse...

E não se pode renunciar a este Primeiro-Ministro e ao seu (des)Governo???

Bartolomeu disse...

Se algum dos candidatos às próximas eleições presidenciais, apoiar esta lista de renuncias, acrescentando-lhe que renuncia, (caso seja eleito) a desempenhar a função num palácio (que pertenceu à monarquia), a oferecer banquetes e recepções, nesse palácio, a manter um faustoso museu, nesse palácio, a deslocar-se ao estrangeiro acompanhado de numerosas comitivas e que renuncia a que se hospedem em hoteis de luxo, e ainda que renuncie, quando terminado o mandato, à manutenção de gabinete, com staff e todas as despesas pagas... então esse candidato, conta com o meu voto!

Fartinho da Silva disse...

Isto é uma enorme pouca vergonha!

Também renuncio a tudo o que anunciou Caro Ferreira de Almeida.

Estou mesmo fartinho da silva...

Pinho Cardão disse...

Caro Ferreira de Almeida:
Seguindo o seu apelo, aqui estou eu a acompanhá-lo em todas as suas renúncias.
Mas há uma coisa a que nunca renunciarei: ao privilégio e honra que para mim constituem o ajudar a manter vivo um Blog em que se escrevem textos com o humor, a ironia e, acima de tudo, a qualidade deste,e também a de tantos outros do meu amigo e dos restantes autores.
Um grande "momento" do 4R.

Benuron disse...

E para onde podemos/devemos enviar este manifesto?
algum e-mail, fax, telex disponivel?

obrigado

jotaC disse...

"Eu", apesar de não ter sido ouvido nem achado neste delírio, também renuncio a todo esse bem estar que o governo parece querer impingir-me contra a minha própria vontade.... Basta!

Salvador Massano Cardoso disse...

Eu também RENUNCIO!

cmonteiro disse...

Mas caro Ferreira de Almeida... E OS LÓBIS? QUE SERÁ DESTE PAÍS SEM ELES a serem aplicadas na prática as suas renuncias?

Isto precisa de ponderação e de um amplo e patriótico consenso...

Vamos debater isso depois, para já deixa-se assim o país que essas tomadas bruscas de posição desequilibram o sistema.

Eduardo F. disse...

Associo-me às renúncias propostas. Peço, em contrapartida, o favor de nunca ter de renunciar a belíssimos textos como este.

cjt disse...

Cumpro, também eu, o dever da Renúncia, copiando e republicando integralmente a lista, com o devido link para cá.
Obrigado pelo post excelente.

ANTHRAX disse...

Pois eu cá associo-me à renuncia.

Zordake disse...

Eu tbm me associo à renuncia.
Esta renuncia dava um belo grupo no FB...

lagoa disse...

Apoiado!
Eu também renuncio a tudo o que enumerou!

Anónimo disse...

Mais um, caro Amigo, mais um que se lhe junta nessa lista de renúncias!

Parabéns por um texto tão bom, tão conciso e tão certo, caro Ferreira de Almeida. E obrigado por no-lo ter trazido.

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Excelente exercício, José Mário, para a redução da despesa pública. Posso dar um pequeno contributo? Também renuncio à fantástica eficiência e eficácia dos serviços das empresas municipais.

Susana Matias disse...

Podem contar comigo na lista de assinantes da lista de renúncia. Alguma questão podem contactar-me. Acho que Portugal tem que se unir e mostrar que quer a mudança. Ficamos sempre sentados à espera que as coisas aconteçam...não digo sair aos tiros para a rua, mas debater, fazer "brainstormings" e uma vez na vida actuar para o bem de todos e não para o bem do bolso e alguns.

esseantonio disse...

Também assino. Que tal criar uma petição?

Salvador Massano Cardoso disse...

Uma petição deste teor merecia discussão séria no Parlamento. Uma excelente ordem de trabalhos. Talvez conseguissem incorporar algumas destas ideias no próximo orçamento e atuar em conformidade.
Vamos a isso! Merece muito mais do que algumas petições que já lá entraram!

Catarina disse...

E eu aqui estou também, como não podia deixar de ser! Claro que alinho em todas essas renúncias!
E já agora, não obstante ser off topic, gostaria de vos dizer que celebro neste mês de Outubro um aniversário. Faz este mês um ano... UM ANO... que frequento o 4R. E que ano excepcional! Desde a minha primeira visita que fiquei seduzida, encantada pela extraordinária diversidade de temas, alguns expostos com toda a seriedade que merecem, outros salpicados com humor e boa disposição, mas todos eles apresentados e desenvolvidos com o intuito de informar e criar o gosto pelo diálogo, um diálogo que tanto pode ser ameno ou aceso, mas que se rege rigorosamente pelas normas do bem conviver. Este texto que acabei de ler é a tal cerejinha em cima do bolo! : ) Este é um espaço onde a divergência de ideologias ou de opiniões e atitudes não serve de barreira a uma convivência virtual amigável e despretenciosa. Resta-me agradecer a todos os autores/administradores do blogue a forma como me têm recebido, não esquecendo alguns comentadores com quem tenho “debatido” a sério!! : )) Bem hajam a todos.

Christian disse...

Eu renunciei aqui: http://corta-cola-bloga.blogspot.com/2010/09/para-ler-sem-falta.html

Carla M disse...

eu renuncio às novas oportunidades, às formações no desemprego e às formações nas empresas financiadas pelo Estado, que são pagas a peso de ouro e não dão mais conhecimentos a ninguém.
renuncio ao magalhães em favor de professores que saibam falar correctamente.
renuncio às IPSS que encaixam somas avultadas com dinheiros da SS sem que se verifique um reflexo nos valores cobrados pelos serviços que prestam.

Tiago Barbosa disse...

E eu renuncio ao Magalhães do meu filho, que de qualquer modo não pode ser usado pois os professores não têm conhecimentos de informática suficientes, e agora não há triplas que cheguem nas salas de aulas! pois as baterias não aguentam uma aula... Vamos a essa petição!!!

Parabéns pelo trabalho!

Tiago Barbosa

Ilda Massano disse...

Já agora e com a vossa licença...eu também!

Joaquim Santos Silva, "o Plebeu" disse...

Acho muito pertinente e verdadeiramente patriótico. Vem ao encontro do que há muito tempo tenho reclamado e por que me tenho batido. Aqui, as causas do que tem sido um verdadeiro desbaratar do Erário Público. Por isto, deveriam responder criminalmente todos quantos têm tido responsabilidades na (des)governação deste país.

Paulo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paula disse...

Subscrevo em absoluto o que escreveu! Acrescentaria a renuncia a tantas juntas de freguesia e camaras municipais despesitas, assim como a Governos Civis.....
Seria bom criar uma petição pública que desse mais visibilidade aquilo que muitos de nós estamos dispostos a prescindir...

boLAnDO disse...

Tambem renuncio a tudo isso inclusive ao actual PM e pseudo-socialistas.
Permitam-me tenha colocado um link no meu facebook

http://www.facebook.com/?ref=home#!/profile.php?id=1675036644

Isabel Magalhães disse...

Vou partilhar o seu artigo o mais que puder... 'até que a voz me doa'!

Anónimo disse...

Muito obrigado pela solidariedade de todos. É bom sentirmo-nos acompanhados na dor da renúncia.
E bem hajam por acrescentarem á lista tantos e tão adequados sacrifícios.
Esperemos que agora o governo valorize este esforço de quem se priva das coisas boas feitas em seu nome para salvação do País.

just-in-time disse...

"A little out of time"
Vou acompanhando este excelente "blog" um pouco à distância e estou habituado a que cada "post" e os "comments" que suscita, com mais ou menos ironia ou acidez, termine sempre com o habitual brilho e elevação.
Por isso, não posso deixar de lembrar que não se pode confundir a necessidade de contenção com as obrigações associadas à afirmação da dignidade do Estado e da sua representação, sob pena de se confundir tudo.

joshua disse...

INTEIRAMENTE APOIADO. Quero ver os partidos responsáveis a renunciar tudo isto que obscenamente coleccionaram ao longo de décadas.

Mas primeiro temos de impugnar o Primadonna, esse Nenúfar Fatal!

elvira carvalho disse...

Eu também renuncio a tudo isso. Agora duvido é que o Governo queira saber da nossa renuncia. A não ser que ela vá acompanhada de argumentos mais fortes. Não se descortina nenhum Movimento armado que nos ajude, e o D. Sebastião desistiu há muito de romper a neblina que nos cobre.

joshua disse...

Elvira, D. Sebastião pertenceu à desastrada estirpe desgraçada e misógina que agora mesmo nos apascenta.

Marquês disse...

Eu renuncio a Sócrates, Cavaco e Alegre.

Susana Pereira disse...

Gostei muito deste texto: preciso, acutilante, objectivo. Parabéns.

Anónimo disse...

Meu caro just-in-time, estou ciente - e julgo que a maioria dos que aqui comentaram - da necessidade de preservar a dignidade do Estado e da sua representação. Mas leve a desconto da ironia...

just-in-time disse...

Meu caro José Mário
Ironia e acidez, com brilho e elevação, é o timbre do 4R e da generalidade dos seus comentadores. Só peço a abstinência de quem tiver dificuldade em seguir o padrão.
Abraço.

Fartíssimo do Silva disse...

E o prémio vai...para JM Ferreira de Almeida!
Tratou-se, neste concurso, de descobrir o nome da montada do PM José Sócrates: um excelente cavalo de puro sangue lusitano que dá pelo nome de RENUNCIO!
Por dificuldades de tesouraria, o prémio será entregue ao feliz contemplado no próximo 31 de Deazembro quando a PT receber, da telefónica, a 2ª tranche do negócio da VIVO

Anónimo disse...

Grato pela sua magnanimidade, caro Fartinho do Silva. Mas pode comunicar a minha renuncia ao prémio. Outros mais necessitados do que eu certamente partilharão dos resultados da operação da PT, como de resto muitos arrecadaram no passado de outras operações sucedidas ou abortadas.
Que fazer, meu caro? Fui contagiado pela onda de patriotismo levantada pelos apelos do nosso PM e de quem o apoia, mais forte do que a que, contra o ultimato, instaurou a republica há 100 anos atrás.
E dá-me para renunciar, apesar de reconhecer que só me querem bem nos prémios que me atribuem.

Paulo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Também sei fazer gestos...

Miguel Ferreira Pinto disse...

Do melhor que tenho lido nos últimos tempos na blogosfera.

Pese embora ainda não seja directamente o meu dinheiro a ser aplicado em brincadeira e fanfarra política, é do meu país que se trata, entregue a esta bicharada do avental.

Renunciarei contra isto e todos os valores a eles inerentes.

Um grande bem haja ao autor!

Fernando Miguel Ferreira Pinto

Anónimo disse...

Abraço, Miguel.

Maria Manuela disse...

Muito bom! Retrata o espírito de revolta e impotência que nos vêm definhando.

café com letras disse...

Põem a pátria acima do interesse, da ambição, da gloríola; e se têm por vezes um fanatismo estreito, a sua mesma paixão diviniza-os. Tudo o que é seu o dão à pátria: sacrificam-lhe vida, trabalho, saúde, força, o melhor de si mesmo. Dão-lhe sobretudo o que as nações necessitam mais, e o que só as faz grandes: dão-lhe a verdade. A verdade em tudo, em história, em arte, em política, nos costumes. Não a adulam, não a iludem; não lhe dizem que ela é grande porque tomou Calecute, dizem-lhe que é pequena porque não tem escolas. Gritam-lhe sem cessar a verdade rude e brutal. Gritam-lhe: - «Tu és pobre, trabalha; tu és ignorante, estuda; tu és fraca, arma-te! E quando tiveres trabalhado, estudado e armado, eu, se for necessário, saberei morrer contigo!» Eis o nobre patriotismo dos patriotas.

Eça de Queirós

http://voxnostra.blogspot.com/2010/10/patriotas.html

café com letras disse...

Já agora apoio o movimento de renúncia,mas duvido que consiga envolver e mobilizar para esta causa os principais visados.

Anónimo disse...

Meu caro ´café com letras´, admito que esses a que se refere como ´principais visados´ não envolva nem mobilize. Mas já não é mau sentir que se despertam consciências e ao mesmo tempo, afinando a nossa, à custa, por exemplo, do texto de Eça que com grande oportunidade nos trouxe aqui. Obrigado.

joao jose disse...

Considero-me uma pessoa de sorte e pretendo retibuir essa sorte em Portugal através de um pequeno investimento num turismo rural e desta forma criar 4 postos de trabalho.
Não imginam os atrasos e as incoerências com que me tenho defrontado com a Administração Pública (daquela que não quer saber do País real) para me chumbarem esta minha iniciativa.
Querem mesmo que desista e coloque o dinheiro, sei lá, no consumo ou na Suiça.
Mas não o farei porque sou daqueles Portugueses que não vai desistir de melhorar as condições para as gerações vindouras.
Talvez se estes funcionários públicos pudessem ser despedidos, o País estaria muito melhor e os outros BONS Funcionários Públicos seriam um valor acrescentado para o País.
Espero que Portugal mude agora que estamos com uma imagem péssima no Mundo.

João Lopes

Jorge Alvarez disse...

É uma vergonha!!!!!!!!!!!!

O Sr. Prof.Dr.António de Oliveira Salazar, pagava as suas férias no Forte de S.João do Estoril.

No Palácio de S.Bento tinha 2 contadores de electricidade, um particular e outro para os assuntos do Estado.

Que diferença!!!!!!!!!!!!!!!

J Cecilio disse...

Renúncio a todas as mordomias enunciadas e, com algum pezar, à festa das inaugurações e comemorações promovidas pelo governo. Aliás, pensando melhor, renúncio ao próprio governo.
E, por favor, não me venham dizer que sou neoliberal, destruidor do Estado Social, etc, etc. Chega !!!

carla freitas disse...

Estou de tal forma de acordo com estad renúncias que sugiro que se transformem em petição pública.

José Manuel Pires disse...

Coloquei no meu blogue !

OBRIGADOooooooooooooooooo

e... LUTEMOS TODOS PELOS VALORES DO SER HUMANO PELOS VALORES DO 25 de ABRIL de 74 (COM OS VALORES e PRINCÍPIOS DE SALGUEIRO MAIA)

http://josepiresapresidencia.blogspot.com

Um abraço LIVRE de um HOMEM LIVRE !

José Pires

Costa Gomes disse...

Meus caros, também sonhei alguma coisa em Abril de 74. Mas foi sol de pouca dura. A selvajaria, a lei do mais forte, a "força" dos novos caciques treinados no "aggiornamento" vieram suplantar Salazar de quem, aliás, não me posso queixar. Manos ainda de Caetano em quem depositava toda a esperança numa abertura franca ao diálogo e à democracia plena (que agora não existe). Caetano estava a "abrir-se" e, mais cedo ou mais tarde teríamos uma passagem para a democracia como aconteceu em Espanha. Aqui? Foi a roubalheira que todos conhecem que deixou o País num estado caótico no que refere às finanças. E que dizer dos pobres africanos que foram entregues às feras? Mais um pouco de paciência da parte dos militares descontentes com os vencimentos e tudo levaria um rumo mais coerente e menos lesivo do interesse Nacional. Governados por oportunistas e trapaceiros, da esquerda à direita, sempre na corda circense, chegamos a este ponto em que, só com muita fé e esperança, se vê uma luz ao fundo do túnel.
Estou, certamente, em sintonia com o "RENUNCIO" que deu origem a todos estes comentários. Digo mais: gostava mais da paz e da vida simples que levava há 40 anos atrás. Pobrete? Alegrete. Agora, mesmo com dinheiro, ando à procura da tranquilidade social sem encontrar um cantinho em que possa dizer: estou seguro.
Em tempos, quando se dizia alguma coisa, havia o cuidado de falar baixinho pois "até as paredes ouviam". Hoje, podemos chamar os piores nomes aos politicos que temos que nada acontece. Ainda se riem. P*** de democracia. Costa Gomes

José Manuel Pires disse...

É com um conjunto de Homens como o Sr. Costa Gomes e equipa/colaboradores do R4, que temos de definir uma 3ª via; onde os valores e princípios de Salgueiro Maia (deportado para as ilhas após 25 de Abril de 74) sejam efectivamente aplicados.
BASTA !
RENUNCIEMOS TODOS A ESTES BANDALHOS QUE NOS TÊM SISTEMATICAMENTE DESGOVERNADO e... LUTEMOS TODOS PELOS VALORES DO SER HUMANO PELOS VALORES DO 25 de ABRIL de 74 (COM OS VALORES e PRINCÍPIOS DE SALGUEIRO MAIA)

http://josepiresapresidencia.blogspot.com

Um abraço LIVRE de um HOMEM LIVRE !

José Pires ( in Ericeira * made in Vinhais )

José Manuel Pires disse...

Criei a petição:

http://www.peticaopublica.com/?pi=RENUNCIO


Um abraço LIVRE de um HOMEM LIVRE !

José Pires ( in Ericeira * made in Vinhais )

Eduardo disse...

Renuncio. Gostava de ver estes chicos espertos um dia julgados

José Manuel Pires disse...

Renuncie Eduardo! Tem aqui a oportunidade:

http://www.peticaopublica.com/?pi=RENUNCIO

fernando baptista disse...

Não! Não renuncio a combater esta geração de Abril que, de forma irresponsável e incompetente, tem destruído a esperança das novas gerações. Patriótico é votar contra este orçamento e obrigar o Presidente da República a assumir as suas responsabilidades politicas perante a desejada demissão deste desqualificado governo. Este é um tempo de exigência e de sofrimento para a esmagadora maioria dos portugueses. Por isso, como é possivel deixar nas mãos deste governo a administração de um património que agora é extorquido aos portugueses fruto da incompetência deste mesmo governo. Não será preferível entregar essa gestão ao FMI, pelo menos temos a garantia de uma boa governança.

Antonio V. disse...

Efectivamente, julgo que estamos todos fartos de políticos que não governam o País. Governam o curto prazo, a pensar nos votos, nas próximas eleições, no partidos...
Neste País, onde cada um defende os seus interesses individuais, acima de tudo e de qualquer forma, quase sempre sem ética, sem responsabilização, precisamos de Homens de Estado, Homens de causas, que sirvam Portugal e governem para o futuro da Nação.

ANTONIO disse...

" PORTUGAL É HOJE UM PARAÍSO CRIMINAL ONDE ALGUNS IMBECIS SE LEVANTAM PARA IR TRABALHAR, RECEBENDO POR ISSO DINHEIRO QUE DEPOIS LHES É ROUBADO PELOS CRIMINOSOS E AJUDA A PAGAR ORDENADOS AOS ILUMINADOS QUE BOLSAM CERTAS LEIS " da autoria de Barra da Costa, criminologista, e que eu subscrevo

Caboclo disse...

Chega de renuncias !! passemos ás exigências !!! agoraaaa!!!

renuncia é o que eles querem !!!
nao lhes podemos dar o que querem !

Exigências agora !!!!