Número total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de agosto de 2005

"Homens, mulheres e inteligência"...

Foi publicada, hoje, uma notícia, segundo a qual os homens estão mais propensos a ganharem mais prémios Nobel e a alcançarem um nível de excelência do que as mulheres, porque são mais inteligentes.
Volta e não volta vem à baila a problemática das diferenças sexuais e “rácicas”. Aliás, um dos co-autores deste estudo, Richard Lynn, já foi alvo de críticas pelas suas posições eugénicas.
Em 1994, o livro de Richard J. Herrnstein, The Bell Curve, apontava para a inferioridade intelectual dos “afro-americanos”. Os trabalhos de Richard Fynn constituíram algumas das principais referências bibliográficas de Herrnstein.
Em 2002, Fynn publicou um artigo intitulado “Skin color and intelligence in African Americans”. Neste trabalho, o autor fez a afirmação de que os “afro-americanos” com pele mais clara eram mais inteligentes do que os tinham a pele mais escura!
O facto de os homens terem cérebros mais pesados ou serem capazes de realizarem certas tarefas com mais facilidade que as mulheres não é suficiente para tamanha descriminação e muito menos fazer quaisquer afirmações de superioridade.
Quando li a notícia recordei-me de algumas ex-colegas parlamentares que não se iriam calar perante estas conclusões.
Só muito recentemente é que as mulheres começaram a ter oportunidades. Veja-se o caso da frequência do ensino superior. Num passado recente era predominantemente masculina. Hoje, está “feminizada”. Recordo-me que há alguns anos os meus alunos eram maioritariamente homens. Agora, até fico “inibido” perante tamanha plateia de meninas. São tantas e tantas que quando aparece um rapaz até parece um milagre!
Depois digam que os homens são mais inteligentes do que as mulheres…

5 comentários:

O Reformista disse...

Acontece, como sabe, que os rapazes têm mais coisas para fazer do que estudar para o 19
Dipersam-se, andam sempre cansados. Depois de entrarem na faculdade a coisa muda. Há aqui uma diferença biológica que permite as raparigas terem melhores notas no secundário e assim ocuparem as poucas vagas para Medicina.

Anthrax disse...

Não se agaste caro Massano Cardoso, do jeito que a coisa vai e com tantos incentivos comunitários às políticas transversais onde se inclui a Igualdade de Oportunidades entre homens e mulheres, um dia destes a "mesa vira" e daqui a uns anos a conversa é ao contrário.

Pinho Cardão disse...

Caro Professor:
É só modéstia quando refere que fica "inibido" perante tamanha plateia de meninas!...
Segundo sei, é precisamente nesses momentos que o Professor mais brilha...se se pode falar de mais brilho em quem é sempre brilhante!...

INF disse...

Gostaria de saber, se possível e desde já agradecendo, onde foi publicado o artigo que menciona.
É costumeiro, infelizmente, o aparecimento de certo tipo de noticias, apoiadas ou não em estudos e teses várias, que pretendem demonstrar uma impossibilidade originária para atingir determinados patamares de conhecimento com base na etnia ou género.
Esquece-se, não raro, os condicionalismos que enformam o acesso às faculdades por exemplo, e que nada têm que ver com a cor da pele ou o género per se, mas ao mesmo tempo têm tudo a ver com eles.
O que às vezes tb origina alguns disparates ao nível da discriminação positiva...mas enfim.
Gostei do vosso blog.

Salvador Massano Cardoso disse...

Foi anunciado no Jornal The Independent
Academic says men are more intelligent than women
Published: 25 August 2005 The Independent
http://www.independent.co.uk/search/advanced.do?method=navigate&searchKey=-509067099&pageNumber=2

A seguir alguns artigos de/e relativos a Richard Fynn publicados na revista Population and Environment

http://springerlink.metapress.com/app/home/contribution.asp?wasp=69b1150951794a82b969049ebb0702b3&referrer=parent&backto=issue,7,8;journal,16,43;linkingpublicationresults,1:105738,1

http://springerlink.metapress.com/app/home/contribution.asp?wasp=69b1150951794a82b969049ebb0702b3&referrer=parent&backto=issue,8,8;journal,16,43;linkingpublicationresults,1:105738,1

http://springerlink.metapress.com/app/home/contribution.asp?wasp=69b1150951794a82b969049ebb0702b3&referrer=parent&backto=issue,6,8;journal,16,43;linkingpublicationresults,1:105738,1