Número total de visualizações de página

sexta-feira, 13 de julho de 2012

"Criatividade" dispensável...

A carta de condução vai ter novas regras a partir de 2013. As novas regras estabelecem que a revalidação da carta de condução se inicia aos 30 anos para os condutores de ciclomotores, motociclos e ligeiros e aos 25 anos para as restantes categorias.
Até agora a revalidação para os condutores de ligeiros tinha início aos 50 anos. Não sei o que se passa na Europa, mas parece-me um exagero antecipar a revalidação para os 30 anos. Tanto assim é, que, segundo a notícia, a revalidação é meramente administrativa aos 30 e 40 anos. Deve ser  mais uma arbitrariedade à portuguesa.
Revalidação administrativa? Parece não estar em causa verificar a aptidão física, mental e psicológica do condutor, não se trata de uma questão de segurança rodoviária. Então qual é a explicação? É mais um expediente para cobrar mais taxas, obter mais receitas. A somar mais burocracia, despesas, etc. É o Estado insaciável, incorrigível...

4 comentários:

Bartolomeu disse...

«Parece não estar em causa verificar a aptidão física, mental e psicológica do condutor...»
É evidente que a nova legislação, não visa mínimamente, reduzir o número dos acidentes rodoviários, testando as capacidades dos condutores, mas sim e como muito bem a cara Drª. Margarida assinala, estamos nítidamente perante « mais um expediente para cobrar mais taxas, obter mais receitas.»
E ainda a malta se preocupa com a forma como o ministro Relvas obteve o diploma...

AF disse...

Claro, está bom de ver. No outro dia, fui requerer a mudança da minha morada... resultado, carta nova: 15 €urinhos, se faz favor.
Isto a somar a todos os outros €urinhos entretanto pagos nos vários sítios tipo registo automóvel (22 €), registo Civil (10€). A carta e o DUA do carro, ainda vá, que é preciso um documento físico novo. Agora, mudar a morada no Cartão do Cidadão, 10 € ... pra apagar a morada antiga e editar uma nova por cima, no computador.

Suzana Toscano disse...

Margarida, deve fazer parte do combate à burocracia...

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Caro Bartolomeu
Mas que importância tem manter um Estado desnecessariamente gastador e inutilmente interventivo? Há sempre um saco sem fundo para alimentar esses caprichos...
Cara AF
É toda uma mentalidade que é preciso mudar. Mas como? Nem a crise…
Suzana
E também do combate àqueles - até podem ser os mesmos, reclamam uma coisa, mas fazem outra - que aspiram em reformar o Estado...