Número total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Professores de manifestações

Na televisão, logo de manhã, uns tantos professores ou aspirantes a professores numa das actividades que melhor sabem fazer: manifestações. Aliás, manifestações itinerantes, a nova moda da Intersindical para mostrar músculo rijo. Entendi, destas e doutras, que basta alguém autodenominar-se professor para exigir o direito a emprego vitalício no Estado. Quer haja alunos ou não, que isto de escola não é coisa de alunos, mas de professores. Claro que se compreende a frustração de quem não consegue emprego a dar aulas. Mas, perante a crise da natalidade, por que escolhem tal actividade? Ter as habilitações próprias de professor confere uma qualidade, mas não um direito. Aliás, se a moda pega, não tarda a termos por aí gente com todas as habilitações próprias de engenheiros de minas, técnicos aeronáuticos, pilotos, administrativos, técnicos aduaneiros ou bancários ou de um qualquer curso ou percurso a reivindicar emprego público. É mais cómodo, que procurar emprego fora de manifestações, onde se canta e dança a imitar a cigarra, é trabalho cansativo e para os outros.

2 comentários:

RB disse...

Pelo comentário deverá ter andado a estudar com o ministro Relva...

(c) P.A.S. Pedro Almeida Sande disse...

Há uma linha estreita para a cegueira e para a desumanidade!