Número total de visualizações de página

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

As máquinas falantes já chegaram à CNE

Logo de manhãzinha, mesmo antes de abrir inquérito aos factos relatado no Público, que refere que Meneses pagou rendas e outras despesas a moradores de bairros do Porto, ouvi o Presidente da Comissão Nacional de Eleições de imediato opinar, não resistindo ao microfone, que "esses pagamentos , à partida, são efetivamente de índole fraudulenta. A aparência é que é para favorecer o cidadão, mas por baixo disso está o desejo que votem na pessoa que faz isso». E logo brandiu a lei: pena de prisão.
O digno Presidente, julgando-se numa roda de amigos a tomar o café matinal na leitaria da esquina, nem achou conveniente ouvir o réu antes de opinar. O microfone poderia não voltar e lá ia o momemto de glória. 
Mais tarde, reagiu o candidato, com uma versão absolutamente diferente. E soube-se que a CNE tinha mandado abrir um inquérito. 
Compete à CNE, a par de outros objectivos,  assegurar a igualdade de tratamento e de oportunidades dos candidatos e candidaturas. 
Com as suas lamentáveis e extemporâneas declarações, o Presidente da CNE não o fez. E cada vez se nota mais a falta de estrutura de muitos que são chamados a ocupar lugares públicos relevantes. Falta de estrutura destes e falta de estrutura de quem os nomeia. 
Muitos pensam que ocupar um cargo público se resume a ser uma máquina falante. Os media também assim pensam. E normalmente espremem-nos até não deitarem mais sumo e serem jogados ao lixo. É bem feito. 
Nota: O texto é sobre a atitude extemporânea do Presidente da CNE, que julgou sem dados e ouvindo apenas o que disse um jornal, não sobre a candidatura de LFM ou sobre os actos que pratica. Que fique claro.  

3 comentários:

Luis Moreira disse...

Decidiu está decidido!

Bmonteiro disse...

Altas Autoridades - finalidade:
'Aliviar' responsáveis pela tutela, ministros & ajudantes, das suas responsabilidades.
Não foi esta Exma AA que há poucos meses, botou cá para fora:
Não há qq impedimento em serem autarcas pela Quarta (república) vêz?
A bem do regime.

Pinho Cardão disse...

Caro Luís Moreira:

Mas mal...muito mal!...

Caro Bmonteiro:
Não sei; mas, pela amostra, já vi que são capazes de tudo.
Quanto a autarcas da 4ª República, o problema é que ela nunca mais chega. Todos nós, autores e comentadores (bom...alguns nem tanto...) nos esforçamos para que venha.