Número total de visualizações de página

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Gestão, minhocas e portarias...

A propósito do texto "HOJE HÁ MINHOCAS". 
Se fosse só hoje! A toxidade dos swaps é de tal forma elevada que o seu destino, segundo a notícia, foi o lixo. Embora não goste de generalizações, este dossier dos swaps não pode deixar ninguém tranquilo sobre a qualidade da (de alguma) gestão pública.
Não se compreende como é possível que matéria tão relevante pudesse pura e simplesmente ser rasgada e colocada no lixo. Invocar uma portaria para justificar o acto (mais parece administrativo do que de gestão) não faz sentido. Ou faz? Há portarias para tudo e mais alguma coisa, uma excelente via para a desresponsabilização. Défices de competência e de gestão não faltam. Aguardemos para ver o que vai a Ministra das Finanças decidir sobre mais este caso. Esperemos que seja possível reconstruir a documentação desaparecida através dos arquivos das empresas...

4 comentários:

Bartolomeu disse...

Quando a Senhora escreve, concluindo o presente texto «Aguardemos para ver o que vai a Ministra das Finanças decidir sobre mais este caso.» Aguarda mesmo que a MF decida sobre este caso, aquilo que é esperável que decida?
Ou... como é fundamental continuar a acreditar que os governantes estão no governo para governar e governar é sinónimo de decidir de acordo com os interesses do país e de quem nele vive e trabalha, pagando os seus impostos e esperando que a receita siga os fins a que se destina; resigna-se a esperar e a acreditar que o bom senso e o sentido de ética seja retomado?!
;)

Luis Moreira disse...

E não há um auto de destruição com data e nomes?

Rui Fonseca disse...

Estimada Margarida Corrêa de Águiar,

Grato pela gentileza da referência a que só agora respondo por me encontrar a cinco fusos a oeste.

Rui Fonseca



Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Caro Bartolomeu
O que é ainda mais extraordinário, segundo as notícias de hoje (jornal Expresso), é que os papéis foram destruídos em 2012 num período em que os swaps estavam debaixo de atenção especial da então SE do Tesouro. Os papéis da CP e da Carris só escaparam por falta de disponibilidade de tempo da funcionária com tal exigente tarefa!
Caro Luis Moreira
Segundo a mesma portaria, deveria haver um auto de eliminação, que parece que não foi feito. Mais uma irregularidade. Já diz o ditado popular: o que nasce torto tarde ou nunca se endireita.
Estimado Rui Fonseca
Não tem de quê. Boa estada nesse fuso tão distante deste "rectângulo à beira mar plantado".