Número total de visualizações de páginas

sábado, 29 de julho de 2006

“Malucos e maluquinhos”…

Uma das principais características dos pequenos aglomerados populacionais ou de diversos agrupamentos é a existência da figura “típica”. De um modo geral, apresenta comportamentos que são considerados diferentes dos ditos “normais”. Alvo de galhofa, fonte de divertimento, usado como argumento no envio de certas mensagens a terceiros, íman para catarses sociais e políticas, “responsabilizado” pelos disparates dos “normais, enfim, muitas outras características poderiam ser apontadas, mas para simplificar podemos dizer que se trata do “maluco” da aldeia. Sim, o maluquinho da aldeia, porque aldeia que se preze tem de ter um. Mas não são só as aldeias, os diversos grupos, quer sejam desportivos, culturais, sociais, religiosos ou políticos, também têm de ter o seu equivalente sem o qual perdem importância e até alguma identidade. Apesar do perfil que já foi traçado, há ainda outros aspectos que, de modo geral, possuem: são sociáveis e muito, e têm um bom coração, não obstante os disparates que são capazes de fazer.
A notícia do Expresso, segundo a qual o presidente do Conselho de Administração do Hospital Sobral Cid foi repreendido por escrito pelo senhor ministro da saúde pelos apoios inequívocos que deu à Briosa, fez-me rir a bandeiras despregadas. Não contexto a investigação da Inspecção-geral da Saúde quando detectou as ilegalidades cometidas pelo Zé Beto. O erário público foi prejudicado, como é óbvio, embora, fazendo algumas contas, não fosse uma quantia exagerada. Uma faixa no valor de 230 euros com os dizeres “O Hospital Sobral Cid apoia a Académica” exibida nos dias dos jogos, ter ido buscar com carro da casa um velho futebolista a Olhão, último campeão vivo da taça de 1939, a presença de dois televisores LCD com acesso à TV Cabo e Sport TV foram algumas irregularidades detectadas. Mas de todas a que achei mais piada foi o facto do relatório ter considerado como inapropriado a ida dos doentes do hospital aos jogos da Académica. Oh senhor ministro da saúde, então acha mal que os doentes do foro psiquiátrico possam assistir aos jogos? Então não considera que é uma ideia original e até benéfica para a reintegração dos mesmos na sociedade? Ou o senhor ministro tem receio de que os jogos de futebol agravem mais a saúde mental destes cidadãos? Claro que as tricas dos “futebóis” é mesmo de doidos, mas ver um espectáculo até pode ser positivo.
Queria ainda dizer ao senhor ministro da saúde que o Zé Beto se orgulha de, por onde passa – estou a falar de instituições de saúde –, conseguir que as mesmas dêem lucro! Ora como o Serviço Nacional de Saúde dá prejuízos monstruosos e o senhor ministro quer poupar a todo o custo que a situação se agrave, o melhor seria arranjar mais Zé Betos para colocar à frente da presidência de administração dos nossos hospitais e, assim, teríamos o problema resolvido. E o senhor ministro repreende-o? Nem sabe o que perde….

5 comentários:

TTT disse...

O que eu dizia ha uns dias veio hoje a confirmar-se na entevista ao Diário de Aveiro (http://www.diarioaveiro.pt/11714.htm) em que Herminio Loureiro depois de ter anunciado na conferencia de imprensa da sua apresentação a candidato da liga que e passo a citar: "a politica deixará de contar comigo", "abandonarei todos os cargos politicos", "comigo nao haverá acumulação de cargos"

Vem agora o dito cujo em entrevista dizer o seguinte:

Vai abandonar os seus cargos políticos?
Para cargos executivos, a política deixará de contar comigo, disse-o com clareza. Mas com a mesma frontalidade sublinhei que não acredito que o futebol deva auto-excluir-se da sociedade. Se os arquitectos, os engenheiros, empresários, presidentes de empresas, grandes advogados, jornalistas e outras classes estão no Parlamento, qual é a razão para o futebol se excluir? Também não embarco no discurso fácil e populista.

E esta?
Vale de facto a pena avisar os dirigentes desportivos, os politicos do governo, os da outra oposição, a comunicação social, os comentadores e o público em geral desta cambalhota e desta vergonha.

Pinho Cardão disse...

Caro Professor:
Também li a notícia e fiquei a pensar que isto é tudo uma brincadeira.
Custou mais a Inspecção do que as enormes "irregularidades" encontradas.Aliás, se os inspectores fossem crescidinhos e dignos desse nome, limitar-se-iam a ter uma reunião com o responsável hospitalar e encerravam o auto, sem mais considerações.

Anthrax disse...

Pergunta:

Alguém sabe qual é que foi o blogue citado pelo Ministro?

É que isso vem na sequência da noticia sobre o SNS que saiu no Público de hoje.

Massano Cardoso disse...

Caro Anthrax

Parece que é o Saúde SA(http://saudesa.blogspot.com. Pelo meno é o que vinha no jornal.

Anthrax disse...

Muito obrigado caro Professor :) (é que hoje não tive oportunidade de ver o público, excepto na sua versão online e não vi lá nenhum blog).