Número total de visualizações de página

quarta-feira, 13 de março de 2013

Francisco

Gosto do nome Francisco. Aprecio a obra e o pensamento de São Francisco de Assis. Se o novo papa adotou este nome para fazer jus ao espírito franciscano, então, os meus parabéns e votos de felicidade. Que a riqueza material da igreja seja distribuída pelos mais necessitados ou investida de forma correta, porque a riqueza espiritual depende da forma como os pobres enchem os seus estômagos vazios. E nos tempos que correm andam mesmo colados

3 comentários:

jotaC disse...

"Que a riqueza material da igreja seja distribuída pelos mais necessitados ou investida de forma correta, porque a riqueza espiritual depende da forma como os pobres enchem os seus estômagos vazios. E nos tempos que correm andam mesmo colados"

Faço votos para que assim seja...

Bartolomeu disse...

Aquilo que o Papa Francisco o Primeiro irá ser, ninguém poderá dizer. Aquilo que irá fazer, nem ele o saberá, tão pouco aqueles que o rodeiam, menos ainda aqueles que comentam a sua eleição.
Talvez O Espírito Santo, que o escolheu, conheça as razões que presidiram ao critério.
Para mim - se o percurso de vida deste homem É realmente, aquele que tem sido divulgado - é quase "líquido" que poderá influênciar mudanças profundas na igreja católica apostólica romana. E que, mesmo não conseguindo sarar-lhe as chagas que a debilitam, consiga no entanto desinfecta-las e estabelecer habitos que evitem a abertura de novas feridas.
À dias, li um depoimento de alguém com vóz na igreja, que a certa altura dizia não compreender porque é que aqueles que não frequentam a igreja, criticam tanto os casos a ela ligados.
Bom, se virmos na igreja uma empresa privada, achamos também alguma lógica no raciocínio.
Mas hà que fazer uma importante distinção entre igreja e Igreja, entre igreja católica e Igreja de Cristo, entre esta e padres funcionários da igreja católica e os padres que ensinam à congregação a interpretar os mandamentos divinos, a forma de os observar e de os enquadrar na vida do dia-a-dia.
E a realidade, como o Sr. Professor assinala neste texto, tem andado afastada em boa parte, daquilo que transparece para fora dos muros eclesiásticos.
É bom que a Igreja agora pastoreada por Francisco, consiga reencontrar o caminho que a coloca no mundo real, um mundo sedento de fé de amparo espiritual, de equilíbrio e de paz.

Floribundus disse...

têm-se esquecido de São Francisco de Sales