Número total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de março de 2013

Politicamente incorreto

Faço saber que há pelo menos um português que se está literalmente nas tintas para o que José Sócrates disse: eu. 
Preocupa-me, isso sim, que um Parlamento se entretenha com as declarações do antigo PM, com os deputados a imitarem os comentadores televisivos que lhes moldam ou condicionam o discurso, em vez de discutirem as soluções para o País. Mas é o que temos, há que tristemente reconhecer...

11 comentários:

Massano Cardoso disse...

E vão dois!

Floribundus disse...

acrescentem-me na contagem

Tonibler disse...

Pois eu acho extremamente positivo que o parlamento se entretenha com coisas sem importância. O que me preocupa é quando se metem com coisas importantes.

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

José Mário
E preocupa-me também que os projectos de poder estejam à frente dos interesses do país. Não parece haver soluções estáveis, as guerras partidárias e de poder continuam imparáveis, indiferentes aos estragos que nos trouxeram até aqui.

Pinho Cardão disse...

Ora, comigo já são quatro!...Aqui no Blog, claro.
Mas amanhã seremos milhões!...

Carlos Monteiro disse...

Os maus amigos perdoem-me a provocação: então rebater aqueles argumentos não é «trigo-limpo-farinha-amparo»?...

Carlos Monteiro disse...

correcção: "os MEUS amigos"...

Roberto Rensenbrink disse...

Pelo contrário: como diz o adágio (?), há que manter os amigos por perto e os inimigos mais perto ainda.

Ilustre Mandatário do Réu disse...

Uma retórica oca vazia de factos.

Penso que é na falta de acordo sobre factos elementares permitindo depois qualquer embuste retórico que está o grande problema do país. A retórica enrolando os menos aptos e maravilhando os mais equipados...

Bmonteiro disse...

Não diria tanto, quanto ao grande líder socialista de Vilar de Maçada.
Que um jornal de economia, há pouco recebido de um amigo, se encarregou de desmascarar.
Já quanto ao circo de S. Bento, exactamente como concluí esta manhã:
enquanto andam nisto, não têm de trabalhar (exige algum esforço) em coisas úteis (dá algum trabalho).
A ex da RTP, que poderiam estudar, pensar, propor soluções ao governo.
Dada a incapacidade deste.
Somos assim.

Carlos Sério disse...

Quem diria. Nesta questão estou inteiramente de acordo com o Tonibler.