Número total de visualizações de página

sábado, 2 de março de 2013

Sinais

Inquietante a entrevista do General Valença Pinto ao Expresso de hoje...

3 comentários:

Bmonteiro disse...

Inquietante, ou arrazador (?) como na 1ª página Expresso,
não sei porquê.
Mas deve ser culpa minha, retirado há dez anos das lides.
Ano da graça de 2006: desaparecem as regiões militares (Lisboa; Norte, Porto; Sul, Évora).
O MDN Fernando Nogueira (com Cavaco PM), 'conseguiu' que o Exército aceitasse a eliminação de uma (Centro, Tomar)
Nas RM, com dois oficiais generais cada uma na cúpula, logo = a seis.
Que sucedeu entre o académico MDN Severiano Teixeira e o CEME?
Criados, no comando do Exército, seis cargos de oficial general.
Quem era o nosso estimado CEME?
E futuro CEMGFA?
That is the military...

Zuricher disse...

Tenho pena de não ter acesso ao Expresso porque é uma entrevista que gostaria de ler.

De há algum tempo a esta parte que tenho a percepção de que o governo perdeu os militares e que em caso de necessidade estes não lhe obedecem. Foi, aliás, este o motivo pelo qual quando se falou em requisição civil para os maquinistas da CP (desde onde vejo a coisa haveria desobediencia e seria necessária a militarização) não vi com bons olhos a coisa. Parecia-me que os riscos de ser desobedecida seriam imensos e se logo a seguir os militares não aplicassem a militarização era o fim da picada.

As forças armadas são garante último da estabilidade dum país. Um governo que as perde fica sem rede de segurança e este governo perdeu os militares a bem de medidas populistas.

Por tudo isto e algumas coisas mais gostaria de ler esta entrevista.

Floribundus disse...

é difícil perder mais de 200 oficiais generais duma só vez.
já não servem nem para desfilar na Avenida.
vejo um deles no belmiro a comprar 'visqui'

éd fácil viver do dinheiro dos contribuintes

no Reino Unido há só um. isto é o 3º Mundo

sem o desejar cheguei a tenente miliciano