Número total de visualizações de página

domingo, 15 de julho de 2007

A doença prioritária!...

O Ministério da Saúde, e alguns procuradores por ele, têm andado num extraordinário afã a publicitar a oferta pública hospitalar para a nova doença cujo processo de cura radical hoje se inicia.
O marketing é poderoso, a procura satisfeita just-in-time, os meios financeiros infinitos, os serviços gratuitos.
Se, apesar do especial recrutamento, e por um qualquer absurdo, não houver vaga num hospital público, o doente é logo enviado a clínica privada especializada. E aos doentes das bandas da Madeira é mesmo facultado o imediato transporte aéreo para Lisboa.
Nada pode falhar, que a moléstia é grave e o Ministério vela por nós.
Aos outros doentes, os que abusivamente procuram assistência imediata, ou apenas alívio ou cura para viver, o Ministério assegura lugar na bicha. Seja nos Hospitais ou Centros de Saúde. E para a bicha não ser tão grande, exige taxa moderadora.
Há que distinguir as doenças. Assim é que está certo!...
A Bem da Nação!...

4 comentários:

lusitânea disse...

Está tudo previsto.Para compensar a estimulação do decréscimo de natalidade dos cristão velhos propiciada pelo aborto subsidiado vão certamente nascer mais filhos das imigrantes que querem arranjar um passaporte Português.Em país rico é assim .Paga-se tudo...

Margarida Corrêa de Aguiar disse...

Caro Dr. Pinho Cardão
Os que estão vivos têm direito a viver!
A situação dos doentes com cancro em lista de espera é imoral.
É chocante que morram ser humanos em fila de espera porque o SNS decretou que não tem capacidade para salvar vidas.
O tempo de espera para cirurgias - em média 3,5 meses - é em larguíssimos casos uma questão de vida ou de morte.
Vivemos num mundo de grande cinismo!

Tonibler disse...

Que país. Vale bem a pena os impostos que pagamos.

MagudeMagude disse...

O sistema sinistrum, as respectivas troupes, (lavadas no cérebro ) na desumanidade, ignorância e desprezo, pelos Portugeses.