Número total de visualizações de página

domingo, 15 de julho de 2007

Eleições em Lisboa: primeiro balanço

Passa pouco das 22H00, estão contados os votos das eleições, com os seguintes resultados creio que quase finais (entre parêntesis a previsão que aqui apresentei na 4ª Feira):

- A. Costa – 29,5% ( 28 a 30,5%)
- C. Rodrigues - 16,7% (17 a 19,5%)
- F. Negrão - 15,7% (17 a 19,5%)
- H. Roseta - 10,2% (14 a 16,5%)
- R. Carvalho - 9,6% (7,5 a 10%)
- Z.S.Fernandes- 6,7% (5 a 7,5%)
- T. Correia - 3,8% (3,5 a 6%)

Abstenção cerca de 62%, o que tornava excepcionalmente difícil qualquer previsão.

Principais conclusões:
1- Abstenção a grande vencedora, a maior de sempre nestas eleições, que será talvez uma reacção de protesto/bocejo em relação a uma disputa eleitoral que terá sido vista pelos eleitores como consequência da falta de senso da classe política.
2- Derrota significativa do PSD, apenas comparável à que o PS apurou nas últimas eleições presidenciais, que interpreto como clara reprovação da estratégia, algo suicida, na gestão (e gestação) da crise na CML.
3- Resultado pobre de A. Costa – menos de 30% é quase meia derrota - para as expectativas que a sua candidatura criou, é certo que muito empoladas por uma grande operação mediática ao serviço do marketing oficial.
4- Roseta bastante aquém das minhas previsões, embora com um resultado razoável, acima de Ruben o que não era fácil com tão elevada abstenção.
5- R. Carvalho não aproveitou a enorme abstenção, o que quer dizer que o eleitorado PCP ou emagreceu ou então também prefere as férias aos votos.
6- Derrota pesada para o CDS-PP e para P. Portas, que assim entra com o pé esquerdo nesta nova fase de combate político. O que dirá nesta altura Ribeiro e Castro além de, como é natural, estar a rir “às bandeiras despregadas”?
7- As previsões do 4R não foram assim tão desajeitadas, sobretudo terão sabido interpretar os pontos fracos das sondagens.
8- Apenas Roseta ficou bastante aquém da previsão, Negrão um bocado aquém e Carmona “quase lá”.

12 comentários:

Tonibler disse...

Em cheio no resultado Costa!

Meia-derrota, não será. Deve dar para lançar as próximas e para fazer a festa entre a Rocha do Conde d'Óbidos e a Doca Pesca, que é para isso que lá está.

Bartolomeu disse...

No anterior post, onde o caro Dr. T. Moreira apresentou as citadas previsões, um qualquer "Bartolomeu" alvitrava que o resultado previsto para o candidato do PS, ficaria hipotéticamente a dever-se à estratégia da feijoada e do garrafãozito de tinto. Tb este comentador falhou parcialmente e não totalmente porque as bandeirinhas e a excurçãozita lá estiveram patentes no Altis. Não se enganou tanto esse tal de Bartolomeu, quando afirmou que a população lisboeta não era imbecil, mas sim crédula, pois... afinal já nem credula é. Se o PS quer crédulos a atestar as suas "vitórias", já tem de os ir recrutar a Cabeçeiras de Basto. Desta vez ainda os tiveram quase à borla, mas em 2009, depois da gracinha com a porta giratória, vão ter de lhes oferecer cachê. Ixo é que era bom, bem de lá uma pexôa na caminete desde caja do diabo mais belho, uma contidade de kelómatros ,e ainda a botam a andar à roda... ná! Xe nos quejerem boltar a ter cá, bai ter de haber uma feijoada, tintol e o Toy amaiz o kim Barreiros, co pexoal de Cabexeiras num é lôrpa.
Mas lá passou mais uma eleição fantástica e fantoche, com Helena Roseta a utilizar um meio de transporte suigeneris, para se deslocar à mesa de voto, e para reconfirmar a sua atitude fingiu que se esqueceu dos documentos em casa. Cá para mim, hoje está de molho com uma valente dor nos músculos das pernas. Mas pronto, as lutas pelo poder exigem sacrifícios e o dela nem foi dos piores, pois não precisou de apresentar o pedido de demissão de cargo algum.
Agora e até 2009, vamos assistir à grande batalha entre a C.M.L. e a A.G.P.L. Acredito que chegando as novas eleições, vai continuar tudo como hoje, nem Lisboa vai ser revitalizada, nem requalificada, nem rehabilitada nem restituida aos cidadãos, como alguns candidatos afirmaram. Por acaso achei muita piada`quando essa medida foi apresentada, isto porque vinha acompanhada da intenção de proibir a entrada de viaturas particulares no centro da cidade. hehehehe Estou mesmo a ver o pessoal a ir habitar os edifícios da baixa e a deixar a biaturazinha em parques de estacionamento em cascos-de-rolha. A menos que o Dr. António Costa esteja a pensar trazer o pessoal de Cabeceiras de Basto, oferecendo-lhe um andarzinho remodelado na Rua dos Fanqueiros, ou coiso e tal.
Mas não pensemos por isto que Lisboa não tem futuro. Eu acredito que tem um futuro luminoso e auspicioso.
Ouvimos ontem J.M. Carrilho referir que em 2005 a dívida da Câmara de Lisboa era de 700 e mais um molhão de euros (nem sei ler esta verba), em 2007 imagino que ela tenha aumentado, pois não foi descoberto petróleo no Beato, como em tempos se pensou que fosse possível e as águas do Tejo deixaram de ser auríferas ha uma eternidade. Penso ainda que em 2009 esta cifra necessite de um rolo de papel com 25 metros para que possa ser escrita.
Quanto ao futuro auspicioso que profetizo para Lisboa, será viàvel se, como imagino venha a acontecer, António Costa privatize a Câmara e Joe Berardo lhe lance uma OPA. Aí sim, vamos ter uma capital verdadeiramente cosmopolita e totalmente virada para a Europa e para a cultura.

Bartolomeu disse...

Post Scriptum (para que não se confunda com o partido da rosa)
Irei de seguida enviar uma carta à Comissão de Eleições, sugerindo que daqui para diante, as mesas de voto, passem a ser colocadas à entrada das praias e dos centros comerciais.

Tavares Moreira disse...

Caro JMF Almeida,

Registo sua amável adenda em post quase coevo deste, aproveitando apenas para esclarecer que o erro maior~de previsão não foi com F. Negrão, foi com H. Roseta...

Caro Tonibler,

Não se esqueça que o Senhor discordou da minha previsão, atribuindo um sulatado muito superior ao candidato A. Costa...
E ainda acha que o resultado deste não foi pobre?
Ou entende que terá sido apenas pobrezinho? Aí talvez estejamos de acordo...
Quanto ao PSD eu já previa um resultado mau. Mas foi ainda pior, admito que em consequência do esforço final da campanha...

Tonibler disse...

Caro T. Moreira,

Muito superior, não foi. Fui traído por 3 pessoas que me disseram que iam votar e depois não foram.... :)
Eu acho que o resultado foi mau para todos, tirando para a Helena Roseta que só ia à procura do lugarzito de vereador.

Tavares Moreira disse...

Ok, Tonibler, a sua previsão para A. Costa (32%) foi apenas 2,5% superior ao valor apurado, concordo que não é assim um desvio muito comprometedor...Foi mais optimista em relação a Carmona (desvio de 3,3%) e mais ainda em relação a Ruben C (desvio de quase 5%).
Se é pelos desvios que se pode apurar as preferências dos apostadores, eu seria apoiante de Lena Roseta e o Senhor de Ruben C.
Estarei certo?

Tonibler disse...

Céus! Que imagem! Mas o PCP teve um resultado catástrofe. Com esta abstenção deveria ter tido muito mais.

Tavares Moreira disse...

Tonibler,

Não é isso que es~´a em causa, meu Caro.
O que é factual é o seu enorme optimismo quanto ao resultado de Ruben C., o qual denuncia - sejamos francos - uma particular simpatia pelo candidato em apreço.
Não pretendo com isto cola-lo ao PCP, não iria cometer tal injustiça, mas pode muito bem acontecer que tivesse/tenha uma particular crença nas capacidades gestivas do dito cujo candidato, como eu tenho nas de H. Roseta, para o ciclismo e não só.
É só isso

Tonibler disse...

Agora que fala nisso, tenho andado aqui com umas vontades colectivistas e uns afrontamentos ocupacionistas que me sinto um pouco UCP...

Tavares Moreira disse...

Coragem, meu Caro, prossiga nesse caminho arduo mas venturoso.
Faltam dois anos para as próximas eleições na CML e pode muito bem acontecer que venha a ser escolhido para compagnon de route -e de lista também, mais importante - de Ruben C. nesse novo pleito eleitoral.
Desejo-lhe, muito sinceramente, as maiores venturas.

Tonibler disse...

Será que nessa altura vou gostar de casacos de xadrez?

Tavares Moreira disse...

Ah, ah,ah,ah...Magnífica resposta. Vejo que meu Amigo se encontra mesmo vocacionado para essa arriscada(íssima) mas estimulante missão.
Patriotismo não lhe falta, agora que Saramago - sem que quase ninguém se atreva a critica-lo - deu uma enorme machadada no brio nacional...