Número total de visualizações de página

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Senhor das Terras de Basto e do Alandroal!...

Dizia um lídimo representante do pessoal verdadeiramente socialista que excursionou de Cabeceiras de Basto e de Famalicão, com passagem por Fátima, e do Alandroal, com visita a Mafra, até Lisboa, para vitoriar António Costa na noite de ontem:
“Eu sei lá por que viemos aqui”!
Eu não também não sou capaz de esclarecer tão preclara questão!...

6 comentários:

Suzana Toscano disse...

Se visitaram Mafra, esta bela localidade, estava ganho o dia, não há almoços grátis...

cmonteiro disse...

Há, há! Foi por causa disso que vieram! :)

Rui Fonseca disse...

Caro Pinho Cardão!

Cá estou, mais uma vez, a dar corda ao contraditório.

Não é que não esteja, desta vez, de acordo contigo; o que quero acrescentar é que, por má sina nossa, nem só o PS promove manifestações espontâneas.

Isto é síndrome que apanhou toda a gente.

Vezes sem conta, tenho-me indignado com a forma como são gastos os dinheiros dos impostos que pagamos (dos que pagam, claro), nomeadamente na compra de votos traduzida em passeatas por esse país fora.

Mas já algum partido levantou a questão? Nenhum.

Temos Juntas de Freguesia que não fazem sentido, a não ser como promotoras excursionistas. Temos vereações que se conluiem com os directores das Câmaras para se governarem à custa do orçamento.

Algum partido denuncia isto? Nenhum.

E muito mais, muito mais, corre por muitos lodosos canais.

No tempo do outro senhor, promovia a União Nacional manifestações espontâneas. Mantêm-se.

Salazar, se reparares bem, anda ainda por aí.

Bartolomeu disse...

Muito sinceramente, não tencionava tecer outros comentários acerca deste tema, porém, e "de passagem" recordei-me da celebre obra literária do alemão Goeth, "Fausto", uma das mais poderosas e profundas criações do génio humano. Assenta este excelente poema de proporções épicas, no seguinte enredo:
Fausto, relata a tragédia do Dr. Fausto, homem das ciências que, desiludido com o conhecimento de seu tempo, faz um pacto com o demônio Mefistófeles, que lhe enche com a energia satânica insufladora da paixão pela técnica e pelo progresso. Esta mesma energia, porém, faz de Fausto um homem desdenhoso das consequências e estragos de sua Ciência, tornando-o um gênio leviano, um louco obcecado pelo progresso e cego para tudo mais.
Não sei bem porquê, ou secalhar suspeito, encontro uma quantidade de lugares comuns, entre as personagens de fixão e as da recente realidade eleitoral.

Madalena disse...

Eu acho que nem consigo dar muito ênfase a este episódio. Que as Juntas de Feguesia tenham vocação e orientações de ordem social eu até louvo. É preciso é que vá um pouco mais além dos passeios das crianças e dos velhos. Este episódio dos Pê Ésses do Norte e do Sul em Lisboa a festejar a vitória de António Costa, lamento pelos que levam as coisas muito a sério, mas é puramente cómico. É a comédia de costumes no seu melhor. Eles nem sabiam ao que vinham. Mas sabiam que tinham passeio à borla. Falta-nos um Gil Vicente. Temos gatos, mas não é a mesma coisa.

Virus disse...

Meus caros,

o que mais me espanta não é o facto dessas pessoas terem sido usadas, até porque algumas delas nem sequer eram do PS, ou de quem quer que fosse...

O que me espanta é que do PSD "no pasa nada"... parece que nem sabem o que se passa. Bem sei que até já usaram este género de artificio... mas nem um comentário de um qualquer elemento menos vísivel a chamar a atenção para o sucedido?

E depois admiram-se de tudo estar como está...